O descanso da guerreira

Quiseram algumas imposições do destino que de repente tivesse que andar com três telemóveis na mala. Dois já conheciam o poiso há algum tempo, o terceiro chegou no fim do ano passado. Hoje dei por mim a olhar para eles e a reparar no seu silêncio. Caladinhos, todos em repouso, enquando eu saboreava o sofá, deitada, alternando o meu delicioso tempo entre fechar os olhos e a leitura.
Um deles não tinha de todo que tocar, mas seria suposto que os outros dessem cor de si, e se já houve tempo em que isso me deixava à beira de um ataque de nervos, digno do mais feroz spm, hoje a serenidade tomou conta de mim! O ninguém me quer, ninguém me liga, deixou de ter grande importância. Penso que quando as amigas me disserem que tenho que tirar os olhos do chão e de deixar de me armar em esquisita, eu vou sorrir. Ainda não sei bem que resposta lhes vou dar, que não sou gaija de grandes ensaios e a situação não o requer.
Os votos de fim de ano que este ano não formulei à hora certa (já vos falaram das novas tradições, e quando chegamos a esta idade podemo-nos permitir uma data de coisas) mas que incluem encarar o meu destino com mais serenidade, sem esperar uma corrida que não me saiba a passeio, sem esperar um amo-te porque um gosto de ti já o disse, abrangem também os telemóveis. Não preciso que toquem com a mesma frequência.

17 comentários:

teresa disse...

Percebo-te bem, mas tem dias. Ou melhor, tem noites...

gaija do norte disse...

:) tem momentos!

teresa disse...

É isso... mais aquela coisa de não ser possível qualquer chatice mais duradoira porque as armas do outro lado são lixadas... não me consigo rir e fazer trombas ao mesmo tempo...

gaija do norte disse...

ai... e tu de trombas não tens gracinha nenhuma!
(além dos famosos dois trabalhos...)

teresa disse...

Tenho sempre graça e não percebi essa dos trabalhos...

shark disse...

Faço votos de muitos toques nos vários telemóveis ao longo de 2009.

gaija do norte disse...

oxalá que não, tubarão! só um me interessa que toque.

teresa disse...

E é qual, gaija? O vermelho?

gaija do norte disse...

isso é o isqueiro!
(baralha-se toda...)

teresa disse...

poizé.... atão é o 96 ou o 91?

gaija do norte disse...

não tenho nenhum 96!
(como ela anda...)

teresa disse...

Não, num ando... é aquele que só tenho eu e os gaijos.

gaija do norte disse...

masquestamerda? que gaijos, carago?

teresa disse...

Começo pelo A ou pelo Z?

gaija do norte disse...

pelo R de raiqueteparta!

teresa disse...

(ó gaija, que estás a fazer acordada, na net, a esta hora? Ninguém consegue dormmir com o treca treca das teclas...)

O Santo disse...

treca treca das teclas? que expressão gira. eu ja não dormi por algo no genero e nao consegui descrever assim. ah, axo que tb nao eram teclas, deve ser por isso.