Acentuado arrefecimento nocturno

O que vão ler a seguir pode chocar-vos. Recomendo que parem por aqui, eu próprio vou ter que me sentar para não definhar, a recordação do que acabei de ver quase me faz desfalecer, choca-me, vira o meu mundo de pernas para o ar.

Continuam a acompanhar-me? Agradeço, penhorado, isto é coisa que se ultrapassa melhor com a vossa compreensão e desabafar sempre foi uma boa terapia para mim.

A coisa conta-se em pouca palavras, dirigia-me a eu a certo e determinado local, não posso dizer-vos exactamente onde, é confidencial, teria que vos matar a seguir, e que se me depara perante os meus incrédulos olhos? (céus, já passaram tantas horas e é como se tivesse acabado de acontecer, revejo-me a andar em direcção aos fatos expostos, a virar a etiqueta e, que vejo eu?)

(esperam, vou ali tomar um calmante)

Vejo, com estes que a terra há-de comer, que os fatos Ermenegildo Zegna estão marcados (nem estou em mim…) a trezentos euros! Espero que ninguém me processe por homicídio involuntário, eu bem sei que um escândalo destes devia ser transmitido por fases, certamente alguns dos que me liam até agora acabam de ser atravessados por doença fulminante. Sessenta contos, meus caros. Perguntei, meio a rir, se ali não faltava um zero, mas a rapariga da alfaiataria disse que eram saldos (fiz de conta que conhecia o conceito, mas alguma boa alma que me elucide o que é isso de “saldos”).

Por sessenta contos, doze notas de cinco contos, qualquer um pode ter um Ermenegildo Zegna. O Horácio Inácio pode ter um. Trezentos euros. Basta um ano sem tomar café e qualquer um pode ter o seu Ermenegildo Zegna. Uma noite sem cognacs e Cohibas e já sobra dinheiro para dois Ermenegildo Zegna.

Resumindo, ofereço cinco fatos completos Ermenegildo Zegna, em bom estado. Números 50, 52 e 54, o que vos dá uma panorâmica sobre o ser disforme em que me transformei nos últimos quatro anos da minha vida.

23 comentários:

O Santo disse...

o que sao fatos incompletos?

André disse...

Que do preço não venham razões para sobressaltos. Essas coisas vêm lá do fundo da alma ou do berço. Há quem tenha sempre ar de Ermenegildo Zegna por muito que vista Fabio Lucci, e outros há que vice versa: por muito que vistam Ermenegildo Zegna, nunca hão-de abandonar o enfadonho ar de Fabio Lucci.

Visconde de Vila do Conde disse...

André, não podia estar mais de acordo consigo, meu caro. É exactamente como diz, e sei do que falo...

Visconde de Vila do Conde disse...

Sobrinho, touché...

teresa disse...

Fatos comprados no pronto a vestir, visconde?
Já não falo em Savile Row e muito menos em Timothy Everest, que deve ser demasiado inovador para si, mas pelo menos um fatito à medida no Rosa e Teixeira. Ermenegildo Zegna até o Ronaldo veste.

Visconde de Vila do Conde disse...

Teresa, sempre preferi o corte italiano. E sempre me dei bem.

(chamo a sua particular atenção para o pormenor no texto que refere "a rapariga da alfaiataria")

teresa disse...

Eu reparei mas também reparei que falou em preços de fatos e não de cortes (já agora, sabe o que é um corte?)

OPS disse...

A língua Portuguesa é estupenda e presta-se a estas coisas:

Se o Mário Mata,
a Florbela Espanca,
o Jaime Gama
o Jorge Palma,
o que é que a Rosa Lobato Faria?

E, já agora:

alguém acredita que a Zita Seabra
para o António Peres Metello ?

Como não ligo muito a fatos, deixo aqui algo que me fez pensar. A língua portuesa é mesmo engraçada!

Visconde de Vila do Conde disse...

Teresa, a verdade é que a minha alfaiatarias tem as minhas medidas desde há anos e comove-me ao ponto de ter meia dúzia fatos já prontos para que eu não perca muito tempo quando lá me desloco. O Ermenegildo, um bom rapaz, vem de Itália propositadamente só para colocar a etiqueta.

(não lhe posso contar a minha vida toda, como perceberá...)

Anônimo disse...

quanto ao acentuado arrefecimento nocturno concordo, quanto ao resto não se preocupe meu caro, quem liga à embalagem quando a estirpe sai no cheiro? Imagine que amanhã concedi em apresentar-me numa homenagem em forma implícita (não suporto as explícitas acho vulfgares) e por certo que vou lee não sei se acabado marlboro ou concedo balenciaga, em qualquer caso como é de manhã tudo é fácil e botins dkny por fora das calças que gosto das patas quentinhas,

doutra maneira também não ia, faltei às últimas não-sei-quantas, e esta vou porque um amigo me pediu. Acontece que o amigo é bonito e faz surf, portanto não tenho como dizer não, já que sempre me posso encostar e esquecer o mar de tédio. Talvez encontre a condessa de E, essa também gostava de revêr, bonita e divertida,

mas os dior e roberto verino continuam no cabide, só me faltava ter que me preocupar, já bem basta a inevitável bolha de silêncio azul que se forma quando eu entro, o antigo terramoto,

enfim nem quero falar mais disso e a minha cauda de andorinha vai atrasar

ah, e um anel de diamantes convém verem que ainda brilho em versão carbono

Anônimo disse...

pois, no milu sabia eu que podia confiar

Anônimo disse...

prático, mas houve um tipo primo deste que me afinfou uma dentada quando lhe tirei um mango na Indonésia

Anônimo disse...

Visconde

Não acha que o nome Ermenegildo tem moooontes de plebeismo?!
Deus me livre e guarde de usar sequer umas cuecas com tão cretinamente plebeia assinatura!

( que mal me pergunte aos meus botões: por que salões andará que não o vejo nos que frequento??? )

Baronesa das Urtigas

teresa disse...

Z desculpa, mas qual é a importância de saber se o tintin e o milu tinham gostos diferentes no que ao sexo feminino diz respeito? O Tintin saido do armário? Isso não muda nada, pois não? O Tintin vai continuar a ser o Tintin e pronto. E é assim que tem de ser.

teresa disse...

(este blog anda a ficar cheio de realeza. Não tarda aparece o Nuno da Câmara Pereira a dizer que o Visconde não é Visconde)

Anônimo disse...

o Tintin vai continuar a ser o Tintin e pronto, é isso mesmo, e o Asterix parece que também

(deu-me fome)

gaija do norte disse...

(queria o visconde dizer, presumo, que na alfaiataria lhe tiram as medidas há anos?... 50, 52, 54...)

Anônimo disse...

Este visconde parece-me de castelo branco ou li tudo mal.Tava aprecisar de rir...

Sofia disse...

Visconde, agora também é gordo?

Visconde de Vila do Conde disse...

Não, Sofia. Forte...

teresa disse...

Visconde eu também não sou magra, sou elegante. Que raio de mania de trocarem os nomes aos bois!

gaija do norte disse...

(chefa, manda-me calar!)

teresa disse...

Mando quem? Não está aqui ninguém a jeito... espera, tenho uma solução.

Santo (devs ser quase omnipresente com isso da santidade), diz à gsija para se calar. Já!