Eu é que sou o presidente da junta

Um juiz militar de Guantánamo, James Pohl, negou-se hoje a suspender por 120 dias - como pedia a acusação e havia sido solicitado pelo presidente Barack Obama - o julgamento de um saudita acusado de estar envolvido no atentado do «USS Cole», que causou 17 mortos em 2000, segundo o The Washington Post. .

11 comentários:

Calatrava disse...

Com a devida vénia, Meritíssima Cabra, há aqui engano. Presidente da Junta (de salvação mundial) é o Obama, o juiz é o Regedor.

teresa disse...

Calatrava, meretissima nunca.
quanto ao resto estamos de acordo. Regedor é só a forma arcaica de dizer o mesmo. E também se punham em bicos de pés, de certeza.

Calatrava disse...

Pois é Teresa, segundo me parece quando era necessário prender alguém, o Regedor era responsável pelo preso, de facto o Regedor fazia de testemunha, de juiz, e a sua palavra valia mais do que qualquer documento.

Quanto à meritíssima, retiro o que disse, leia-se digníssima.

sagher disse...

vai buscar o premio que te ofereci e repassa

teresa disse...

Calatrava deixe-se lá de vénias, coisa de que nunca gostei, e satisfaça a minha curiosidade. Onde e quando? No que me toca foi FDUC 81-86.

teresa disse...

sagher, obrigada pelo Dardos mas o que nós agora queriamos era uma cerimónia de entrega como a que o Ronaldo teve. Caramba, também temos direito de lançar os fogos...

teresa disse...

E sagher, já estás nos blogs de serviço..

Emiele disse...

Mas a verdade é que se põe nos bicos dos pés e... consegue?
A minha dúvida é essa.
Ele pode?

teresa disse...

Emiéle, em princípio pode. O Juiz é soberano.
O que o Obama fez foi "pedir" à acusação, aos prosecuters, para "pedirem" aos juizes que os julgamentos sejam suspensos.
Na minha opinião, e dado que nos EU vigora o princípio da oportunidade da acusação (o ministério público lá, ou seja os advogados de acusação que representam o Estado, podem escolher se acusam ou não), os julgamentos poderiam acabar de imediato se a acusação retirasse as queixas. Nesse caso o Juiz teria de aceitar e essa ordem podia ter ser emitida pelo Procurador Geral.
O que foi pedido foi a suspensão e nesse caso o Juiz pode ou não aceitar.
O que se passa em Guantanamo é diferente. Eles estão a ser julgados por Juizes militares e o processo é especial. Apesar disso assim que o julgamento se inicia o Juiz manda na sala mas, sendo estes processos políticos, parece-me que este juiz, não acatando um pedido do presidente, pode estar cheio de razão mas a sua razão é meramente formal.

Anônimo disse...

que engraçado, gosto de conversas jurídicas, fico sempre a achar que estou a fumar cachimbo

teresa disse...

há uns anos tentaram que eu começasse a fumar cachimbo porque "fazia menos mal que os cigarros". Ainda tenho o cachimbo que me ofereceram. Nunca o usei.