Lua Cheia

Está lua cheia, será que tu a vês? Levantas alguma vez o olhar para o céu, vais à janela ao mesmo tempo do que eu? Rua torta, Lua morta, Tua porta. era um poema. Está lua cheia e eu fico em casa.

12 comentários:

O diabo está nos detalhes disse...

tudo há-de passar: a fase da lua e a vontade ou a necessidade de permanecer no quarto.

teresa disse...

Pode ter ums janelas tão grandes, viradas para o rio, que nem precise de levantar os olhos para ver a lua...

(este poema foi todo um teste de português no meu 11º ano. Tinha o poema e um lacónico Comente.)

Calatrava disse...

Deixa que o desejo se liberte das amarras da censura, e sentirás vibrar a alma com a satisfação de um prazer que nem a lua te poderá dar.

Anônimo disse...

primeiro o homem-aranha e agora isto, ando a achar muita coincidência,

1.eu gosto de negros mas vê lá se não me arranjas uma vergonha no Irão
2. o cão chileno é que é o meu herói, mas enfim por metonímia passa

Gabs disse...

É capaz de ser "Lua morta, rua torta , tua porta. " Eu decorei, por isso, só indo procurar os livros. Eu costumava começar o 11º ano a dar esse poema, para rever as métricas e rimas e analisar o tema e conteúdo. Claro que também os mandava fazer isso a eles...

(Mas qual janela, estás louca?)

Calatrava disse...

SERENATA SINTÉTICA de Cassiano Ricardo – Lua morta, rua torta, tua porta.

Gabs disse...

Obrigada. Já foi há tanto tempo que dei aulas...mas está na Gramática Contemporânea de Português... do...pois...não está cá em casa...ajude aí, Calatrava.

gaija do norte disse...

bonito, gabs :)

teresa disse...

(sei lá, lembrei-me de umas janelas grandes e como este poema nos faz recuar no tempo...)

Gabs disse...

Um bocado torta era.

Tangerina disse...

Isto da Lua "mexe" connosco. Mais com uns do que com outros, decerto. Bonito, esse poema:)

Gabs disse...

Obrigada, a lua num céu limpo, é muito bonita. E na cidade não vêmos as estrelas.