Sim City

Acredito que até percebam da poda, mas apetece-me falar nisto. Porque sim.

Parece que o projecto de um tal de Freeport foi viabilizado ao mesmo tempo que os limites de uma ZPE foram alterados. Ou melhor, redefinidos. Ou ainda melhor, clarificados.
Não sei, não faço a mínima ideia do que aconteceu por lá, mas sei o que pode ser uma redefinição de limites de uma Zona de Proteção Especial. E pode ser isto, querem ver?

Aqui ao lado está uma carta. A carta da Reserva Ecológica do Concelho de Faro. Fui buscá-la à net, não fiquem já com ideias.
Nesta carta, se a aumentarem, podem ver uma linha que marca os limites da Reserva Natural da Ria Formosa. É a linha do "pode não pode", do "até constroi ou não põe tijolo de maneira nenhuma". Continuem a aumentar o mapa e olhem para a legenda. Ao fundo, no canto direito, tem a escala - 1/25000. Agora, e se quiserem, meçam a espessura da linha. Podemos fazer contas?
Se a linha tiver um milímetro de espessura isso quer dizer que ocupa 25 metros de terreno. Como estas linhas são feitas em cartas, que eu juro que nunca as vi desenhadas na terra, onde estão aqueles 25 metros? É que continuemos a brincar. Vamos supor que têm um terrenozito ali na zona, sei lá, uns 300 hectares, e aquela linha passa lá pelo meio e aquela linha diz que de um dos lados podem construir qualquer coisinha e do outro é melhor estarem quietos.
25 metros, não é? Agora vamos supor que esses 25 metros se estendem por dois quilómetros, e garanto que estou a ser meiga, que pode ser por muitos mais. Ora bem, feitas as contas, 25 metros vezes dois mil metros dá cinquenta mil metros quadrados, portanto temos cinco hectares de linha. Cinco. E ali, naqules cinco hectares, ninguém sabe o que se pode fazer.
E isso interessa para quê? Cinco hectares em trezentos? Parecem pormenores, pormenores tão pequenos como o milímetro de grossura da linha. Pois é, mas se nos trezentoshectares que o avô vos deixou só foram urbanizáveis sessenta e se o PDM disser que na zona urbanizável podem construir 40 fogos por hectare, ou se quiserem brincar aos hoteleiros disser que a densidade de ocupação máxima são 12 camas por hectare, aquela linha representa mais, ou menos, 60 camas ou 200 casas. Tanta coisa para uma linha tão fina, não é?

Mas isto sou só eu a pensar. A pensar como se agitam bandeiras e a malta fica com o coração aos saltos a pensar nas pobres avezinhas que já não têm onde fazer os ninhos e criar os filhinhos porque se alteraram limites de um Parque Natural. E às vezes, muitas vezes, o que se discute é o milímetro daquela linha.

O Freeport foi aprovado e os limites de uma ZPE foram alterados? Foram. Já fiz compras no Freeport, já vi as alterações da lei, tudo verdade verdadinha. Agora algum dos muitos que andam para aqui a bracejar por o sacana do Sócrates ter alterado a lei e clarificado os limites sabe se o que estava em discussão era muito mais que a largura de uma linha? Ou outra coisinha fininha assim?
Eu não sei, mas é por não saber que ainda não apontei dedos.
Mas claro, esqueci-me de falar num outro pormenor. Os tais cinco milhões.

A seguir - O (in)crível Mr. Smith

6 comentários:

Anônimo disse...

supor com ^ é apenas um dos disparates deste texto.

teresa disse...

muito obrigada, priberam!

Gabs disse...

Eu prefiro o Campera.

shark disse...

Eu gosto muito do Zorro mas fazem-me impressão os restantes mascarados.
Deixam um fedor do camandro nas caixas de comentários.

shark disse...

E não estou a falar de Z(orros) que conseguimos identificar mas sim nos cobardolas incapazes de darem as trombas pelos seus azedumezinhos de merda, como fazem os homens (e as mulheres) com eles no sítio.
Tresanda sim, a cobardia.
(Desculpem lá meter o bedelho, mas estou a ser coerente com o meu discurso dos últimos 4 anos de blogosfera).

calamity jane disse...

Pois eu qd li a posta no charco percebi logo do que se tratava... afinal estes tascos tb nos permitem conhecer as pessoas