Eternamante

Lembro-me, sim, que prometias caminhar até ao fim, comigo, por uma estrada completamente ladeada de árvores de fruto onde cantavam os pássaros que escuto na memória dos dias em que me permiti sonhar um amor genuíno.
Recordo também o destino que lias, cigana, nas palmas das minhas mãos, na cama, enquanto brincávamos com partes dos corpos a sério que transpiravam, pouco tempo depois, numa manta estendida à pressa no chão.
Era para sempre, dizias. Mas aos poucos desmentias pressupostos e acumulávamos desgostos na traição da tua ausência, muitos pesos na consciência que viraste como canhões contra o falso inimigo em que aparentemente me tornei.
Lembro-me que sonhei um dia o filho que te faria, o coração que me cegava e que tudo perdoava, a razão perdida numa discussão que abortava, pela evidência do meu engano, a loucura desse plano desesperado para te prender a mim de alguma forma.
Mas agora deixo que o sonho durma, enquanto finjo que me esqueço, de cada vez que me despeço, a verdade adormecida no encanto do teu olhar que já não reflecte o mesmo amor que me afirmavas nos dias quentes de que me lembro agora.
O sopro gelado de beijos distantes inspira-me um sentimento de vazio.

E por mais que nos lembre amantes não consigo combater esse frio.

13 comentários:

gaija do norte disse...

está quase a chegar o verão. estás quase a matar as saudades!

Lactrodectus Mactans disse...

Bonito...=)

shark disse...

Obrigado...
;)

shark disse...

Achas que sim, Gaija?
Gostava de partilhar esse optimismo...

teresa disse...

Caro Tubarão, fico sempre sem palavras quando te leio e há vezes, como esta, em que até o ar se me falta com a comoção. Hoje conseguiste que eu ficasse absolutamente siderada - "enquanto brincávamos com partes dos corpos a sério que transpiravam, pouco tempo depois..." . Pouco tempo depois???
É o que digo, às vezes prefiro sardinha a peixes maiores mas de pequeno rendimento!

shark disse...

Por isso te mostras tão hábil nas tuas escolhas, chefa.
Os peixes maiores são, de facto, fraquitos.
Mas sinceros.
:)

gaija do norte disse...

eu não partilho nada!

shark disse...

Estás no teu direito.
Posso então pedir-te um pedacinho emprestado?
(De optimismo estival, naturalmente.)

Anônimo disse...

deixem o Incal funceminar, não aposto o meu pau que é d'ouro, mas aposto a minha esperança que ainda é maior, que o Sol vai brilhar amanhã

poças tenho tanta roupa para lavar

mas agora vou ler pró edredon com mon chéri's ao barulho

miau! -> este vai para quem eu cá sei :)

gaija do norte disse...

mon cherry? tás com o santo???

gaija do norte disse...

quem não partilha não empresta!

Gabs disse...

Quem dá aos pobres empresta a Deus.

Sofia disse...

Queria escrever textos semelhantes no meu blog, mas falta-me a perícia.