Suiça, 3 de Setembro de 2008

Os porcos na Suíça vão passar a ter à sua disposição um duche, para se refrescarem nos dias de calor. Também os peixinhos vermelhos do país podem ficar descansados: só devidamente anestesiados é que poderão ser mandados pela sanita ou metidos no congelador, de acordo com a nova legislação protectora dos animais que ontem entrou em vigor.

Porcos a tomarem duche acho bastante apropriado e até vulgar, mesmo por aqui. Quantas e quantas vezes, cá em casa, não meto duas gaijinhas na banheira enquanto vou mastigando o porcas do costume.

A história dos peixinhos vermelhos é que me intriga mais. Os tipos pôem os peixes vermelhos na sanita? É capaz de ser boa ideia, que os nossos saltavam sempre do aquário e uma sanita sempre é mais difícil de galgar, mas não sei se gostaria de saber que tenho um olho de peixe a olhar para mim em alturas menos convenientes.
O congelador parece-me melhor pensado. Também costumo guardar lá um peixito ou outro que posso aproveitar depois para fazer souflé e bem desfiadinho nem se nota a côr. A anestesia é que está aqui a baralhar tudo. Eu quando os meto no congelador já não mexem muito, não vejo grande necessidade de os anestesiar antes. E também já pus alguns na sanita, mas esses também estavam praticamente sem dar ao rabo, não acredito que a anestesia fizesse grande efeito. Será que andei a maltratar peixinhos vermelhos sem querer? Ou será que quem tem de ser anestesiada é a criancinha dona do dito cujo? Isso já posso perceber, que sempre poupa umas horas de choro desconsolado e as tentativas de fazerem um funeral e põrem bandeira a meia haste para o idiota do peixe que saltou do aquário para a caixa dos legos.

Mas estes suiços não se ficam por aqui, que os periquitos, os hamsters, os lamas, ou os iaques, entre outros, têm de estar em contacto com animais da mesma espécie não podendo viver sós. Nesta têm toda a razão. A última vez que tivemos um iaque, o Armando, apaixonou-se por um cobertor de pápa castanho e vermelho. Ainda tentámos que o trocasse por um edredon, que sempre era mais fácil mudar a capa e lavar de vez em quando, mas ele recusou sempre. Eu já disse às crianças que cá em casa, a partir de agora só quero casalinhos. O único que vai continuar sózinho é o cão, que esse já vale por quatro ou cinco.
Não sei é se o problema com o idiota do bicho não será meu. Parece que me faltam estudos - os cães suíços têm direito a protecção particular, porque todos os candidatos a donos são obrigados a terem formação prévia.
Deve ser este o busílis. Falta-me o curso de formação. Vou ter de saber se me posso candidatar a algum da CEE, ainda devem estar dois ou três a funcionar, e até me pagam as deslocações, os almocitos e com sorte compro um Mercedes com os trocos. Este animal, tenho-o dito muita vez, vai ser a solução da minha vida. Ainda me vai dar muitas alegrias!

5 comentários:

gaija do norte disse...

a joana ali de baixo tinha curso de formação para lidar com o animal? está mal! depois queixam-se...

O QUATORZE disse...

Boa Tarde
Não se devem perder oportunidades,
Força nisso
amizade
Luis

Gabsna net disse...

Pois eu arranjei um segundo gato para fazer companhia ao primeiro. mas não sei se aguento mais um cão.
Esta precisa de socializar, mas imaginemos que o detesta. E é um dinheirão em comida e vets.

teresa disse...

Gaija, puseeste o dedo na ferida, é claro que não devia ter. Tivesse ela feito um curso de formação em Guantánamo e tenho a certeza que teria tudo corrido muito melhor. (já disse que estes gajos me metem nojo??)

14 - oportunidade de quê? de lhes rachar a cabeças ao meio? é que às vezes, mesmo com força, pode ser difícil, acredite.

Gabs, se quiseres companhia tenho um cão lindo e tal e coisa e já sabes que por ti e pela tua cadela faço tudo... e o gajo nem fica caro em comida, que se guardares os vomitados nas carpetes podes servir na refeiçãso a seguir...

Gabsna net disse...

Ah, ah, o teu e a minha estavam a calhar um para o outro...ela odeia pequenotes e ele tem a mania que morde...
Mas a sério, "a civilização de um povo pode medir.se pelo modo como tratam os animais" e sem cair em exageros, nunca vi pior que o nosso interior... Currais sem luz, onde os animais ficam no seu próprio esterco, gatos esfomeados pelas ruas, cães abandonados, e o pior foi aquele de dois meses todo dia acorrentado à casota sem água, ao sol, pois a 1º coisa que fazia era entornar a tigela. Tirei uma foto com ele, mas devia era tê-lo trazido.