Três Homens num bote

Mas como não encontrei a versão portuguesa, só tenho a a inglesa, aqui vai um pouco de Três Homens de bicicleta, com as mesmas personagens, anos mais tarde, na Alemanha:
"Há uma outra coisa que se deve conter na Alemanha, que é a de atirar coisas pela janela. Os gatos não são desculpa. Na minha 1ª semana na Alemanha, fui incessantemente acordado pelos gatos. Uma noite zanguei-me a sério. Reuni um pequeno arsenal - duas ou três pedras de carvão, umas quantas pêras rijas, uns cotos de vela, um ovo que encontrara na mesa da cozinha, uma garrafa de soda vazia, e outras coisas do género- e, abrindo a janela, bombardeei o sítio de onde me parecia vir o barulho. Acho que não acertei em nada, não me lembro de alguém alguma vez tenha acertado num gato, mesmo que o estivesse a ver, excepto talvez acidentalmente, quando tentava acertar noutra coisa(...). Passados dez minutos, ouvi um violento toque de campainha. Tentei fingir que não dava por nada, mas continuava, e vestindo o roupão, desci à porta. Era um polícia. Tinha posto tudo num montinho diante dele. Perguntou : " Estas coisas são suas?", respondi " Eram minhas eram. Mas já não as quero. Qualquer um pode ficar com elas... fique o sr. com elas." "Porque as atirou pela janela?", "atirei-as aos gatos", "Quais gatos", perguntou.
Era o género de pergunta típica de um polícia alemão. Retorqui com o máximo sarcasmo que podia pôr na pronúncia, que tinha vergonha de admitir que não sabia exactamente "quais " gatos. Expliquei-lhe que não os conhecia; mas ofereci-me para ir à esquadra identificá-los pela forma de miar, se o polícia lá juntasse todos os gatos do bairro.(...) O divertimento daquela noite custou-me doze marcos (...)"

13 comentários:

Anônimo disse...

bem feita!

Anônimo disse...

(nós pisgamo-nos num ápice para cima da árvore)

ass: gato que fuma

Anônimo disse...

(mas o ovo ainda vai)

teresa disse...

este é um dos meus heróis. nunca ninguém (talvez o Tom Sharpe...) teve tanta graça como ele...

Anônimo disse...

uma ninhada,

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=14&id_news=348675

Anônimo disse...

Portanto estas coisas das guerras dantes era por causa da imortalidade, queriam ficar a ecoar na memória da eternidade e não tinham pixels,

Com o Alexandre pode dizer-se que fez aquilo tudo para fugir da mãe, a bela Olimpia, mas já com D. Sebastião a mãe foi-se embora quando ele tinha 6 meses e deu parecido,

Anônimo disse...

às tantas é tudo regulação demográfica como dizia o Malthus

Gabsna net disse...

Eh, eh, pus isto em honra da chefe, que acerta nos gatos.

Anônimo disse...

eu sei: é chumbadas, mas essa parte está muito mal, com um ovo ainda vá

Gabsna net disse...

Pois é... adoro gatos, de todos os tamanhos e feitios.

Anônimo disse...

vuuuummmm

teresa disse...

Eu acertava ao lado, era só para os assustar que estava farta de gatos... mas se tornar a ter uma invasão já sei que posso dar-vos dois ou três...

Anônimo disse...

(pois, que convém ter preparado a modos que um jantar, ou um esboço, vá)