ilusões

Entro dentro do quarto. A luz é muito ténue, algumas velas estão cuidadosamente acesas e distribuídas de forma a tornar o quarto acolhedor. A música ambiente é calma e relaxante. A cama é um imenso colchão no chão tapado por um lençol branco. Dispo-me e penduro a roupa no pequeno armário. Livro-me de todos os acessórios que trago. Deito-me na cama que me convida. Fico deitada de barriga para baixo, imóvel. Fecho os olhos e deixo-me levar pela música que me relaxa o corpo e a mente.
Passam uns minutos e oiço a porta a abrir devagar, mantenho-me de olhos fechados. Sinto-lhe o cheiro e o corpo a passar perto do meu.
Os sentidos estão alerta apenas os olhos continuam fechados.
Sinto o corpo a aproximar-se do meu, as mãos ligeiramente frias percorrem a pele das minhas costas várias vezes. A minha respiração altera de ritmo a cada passagem. A sensação de relaxamento é indescritível. Abandono todos os pensamentos, sinto a mente pairar. As mãos, agora mais quentes percorrem-me cada um dos braços, com movimentos estudados. Pega-me num e noutro braço muito devagar, como se tivesse todo o tempo do mundo. Deixa de me tocar. Os meus sentidos acordam, na tentativa de perceber o que se segue. Move-se demasiado devagar para que eu de olhos ainda fechados consiga decifrar os movimentos. Ao de leve sinto as mãos na minha perna direita primeiro. Explora-a com as duas mãos. Depois a perna esquerda, os mesmos movimentos, esquadrinham-na. A minha respiração altera-se, deixo-me ir novamente. Sinto-lhe a respiração que lhe acompanha os gestos. Todos os toques são precisos, suaves mas firmes, decididos.
Debruça o corpo sobre o meu e num sussurro pede-me que me vire devagarinho. Viro-me o mais devagar que consigo. Sinto-o junto da minha cabeça, as mãos pousa-as nos meus ombros, massaja-me a parte superior do peito junto aos braços e o pescoço, volto ao estado de abandono em que fico até que dê por terminada a massagem. E, fico ali naquela imensa cama no chão feita com lençol branco iluminado pelas velas, a pairar.

23 comentários:

futebol sem golos disse...

Atão, mas...
Já acabou?

Isto vai ser em fascículos, espero.

teresa disse...

e isso também conta para as 24 horas?? é que assim também eu...

@na disse...

cabrinha-mãe e cabra-tubarão foi só mesmo uma massagem!

ah... disse...

Ah...

teresa disse...

outra armada em clinton...

@na disse...

se existisse homem que me fizesse uma massagem daquelas e me soltasse outros instintos, nunca mais o largava. Isso sim era o duplo prazer...

shark disse...

(Deixa cá apontar esta...)

teresa disse...

ai não foi um homem? Não me digas que foi um urso polar...

@na disse...

não... uma mulher

teresa disse...

olha ela a dar a volta ao texto...

@na disse...

11 era uma mulher sim senhora, se fosse homem chamava-lhe um figo ahhh e eu gosto tanto de figos

shark disse...

Continuarei sempre a acreditar que um homem capaz de replicar (ou pelo menos respeitar) a sensualidade feminina e o erotismo típico de fêmea vai sempre conseguir impor-se pela pila.
Sim, porque uma pila pode fazer toda a diferença nestas coisas.

teresa disse...

ai pode?? notas assim tanto a falta dela?

gaija do norte disse...

alguém faz o favor de me mandar a morada do dito massagista?

@na disse...

é quando quiseres gaija... tens é de vir a terras de mouros, achas que aguentas?

gaija do norte disse...

então se é daí fico por cá, que também há excelentes massagistas!

teresa disse...

agora estás a ser escaganifobetica... ai só por ser do sul já não queres??

gaija do norte disse...

não é não querer, mas para quê ir tão longe com ele aqui tão perto?

@na disse...

tsss... tsss Porque Lisboa é linda?

gaija do norte disse...

mas eu continuo a gostar tanto do Porto...

teresa disse...

Lisboa é linda vista de fora para dentro ou de dentro para fora... lá dentro é muita feia...

teresa disse...

e 22... (que é feito do z??)

gaija do norte disse...

deve estar às voltas com o grão e as natas...