Um pau de dois bicos.

Tolerar

v. tr.,



Foi há uns tempos, ao ler uma notícia sobre anfetaminas, que se acendeu um néon à volta da palavra e eu vi, finalmente, a luz.
Tolerância.
Durante muito tempo comprei-a como me a venderam, achei que ser tolerante era mais uma virtude e andei, em nome dos bons princípios, a tolerar tudo e mais alguma coisa.
Tolerei gente má e gente menos má. Tolerei sopas frias, tolerei funcionários arrogantes, tolerei salas desarrumadas. Tolerei faltas de educação, crápulas, bifes demasiado passados, gente pequenina, batoteiros, chefes mal criados, crianças barulhentas, merceeiros ladrões, duches com pouca pressão, amantes desinteressados, sapatos apertados, armários com pó e amigos com memória curta. Tolerei dias que nunca mais passavam, tolerei homens-besta e tolerei uma vida virada do avesso.
Fui tolerando.
E a tolerância é isto, uma habituação que nos vai fazendo deixar de sentir o que já está tolerado, e vai acrescentando tolerância à tolerância já gasta. Nada nos parece de mais, que é só uma questão de tolerância.
Esta é a história das gentes e da gente. Vamos-nos habituando, vamos aceitando, vamos desculpando e vamos-nos enterrando. E, um dia, acordamos, olhamos para nós, e não percebemos como chegámos ali. Se pudéssemos rebobinar a vida íamos ver-nos a ceder todos os dias um bocadinho, a tolerar mais umas afrontas, a desculpar mais uns erros, a sermos virtuosamente indulgentes.
Não quero mais ter que permitir, desculpar, deixar passar, consentir tácitamente, suportar!
Sei o que gosto e não gosto. Sei o que quero e não quero. Sei o que é certo e errado. E sei que não me apetece tolerar mais nada.
O tempo que passou por mim não deixou só rugas nos cantos da boca. Deixou vida vivida, estrada andada, decisões arrancadas cá do fundo, de onde dói mais elas saírem. E deixou, também, algumas certezas. Não muitas, que se dois e dois são quatro nem sempre tudo o resto é tão lógico e se aprende em cantigas de tabuada.
Não sei muito, mas sei que gosto de mim como sou, gosto de mim como estou e não quero, em nome de uma tolerância de anfetamina, voltar a acordar um dia e pensar - que estou a fazer aqui? Quem é esta Teresa que eu não conheço, mas que é tão tolerante?
Tolerância? Não. Tolerei tudo o que tinha a tolerar, moldei-me nesse barro e agora estou na altura de julgar. De dizer, alto e bom som, não gosto, não quero, você é uma besta ou dê-me o Livro de Reclamações.
Agora não tolero mais. Abro as portas da casa e da vida e digo saiam, não são bem vindos, não vos quero aqui, não desculpo e não consinto.
E sim, sou uma cabra intolerante. Mas sou eu.

37 comentários:

Milu disse...

Tirando a penúltima frase "E sim, sou uma cabra intolerante" que acho vulgar, o resto do texto está fantástico.

@na disse...

e assim mesmo é deves ser... TU!

teresa disse...

Milú,
Não tolero que me chame vulgar.... (ok, pronto, foi só uma brincadeira... obrigada pelo comentário e por ter gostado de todas as outras frases..)

Não é TU. É NÓS.. Todos. Raio de mania de termos de perdoar tudo...

Anônimo disse...

acho bem que mudes a fasquia, de acordo com a tua consciência, mas não passes ao extremo oposto, ou então mesmo que passes, depois tenta o meio, é por onde o rio flui melhor,

tenho ali uma torta de Azeitão a lamber-ze por mim

teresa disse...

o rio passa sempre por onde é mais fácil, que já tem muito leito por baixo...
não te preocupes, já cheguei ao meu termo e não é meio, é termo mesmo, mas muito lá no fim..

@na disse...

ahhh ... mas eu já sou assim... ou pelo menos, tento.

shark disse...

Eu de rios percebo pouco pois sou peixe de outras águas, mas lá que o post ficou porreiro...

shark disse...

Porreiro e eficaz.
Viste como eu fui a correr buscar uma fotografia?

@na disse...

aí... hoje temos um tubarão vaidoso...

shark disse...

Vaidoso não. Para mim os desejos das cabras são ordens.

@na disse...

uiiii diz lá isso outra vez...

@na disse...

consegui... papei o 11

shark disse...

Lá isso outra vez.

São ordens.

gaija do norte disse...

a propósito da tolerância, ouvi uma pessoa avisada dizer que todos gostam de nós bons, mas ninguém nos aprecia tolos (eu prefiro dizer morcões!)

isto é triste... comear a comentar postas que já vão no 12º com...

teresa disse...

e eu papo o 13º... até agora estive a papar outras coisas com muitros mimos incluidos..

gaija do norte disse...

hummm :)

teresa disse...

mimos daqueles inócuos, ó pecadora de serviço...

@na disse...

ahhh...tá bem... tá bém...

@na disse...

gosto tanto de te ouvir shark

sumaca disse...

Teresa, gostei. É isso mesmo. N é do Norte mas tem muita fibra (deve ter alguma costelazita). Sem desprimor, mas costumo identificar uma mulher do norte pela sua garra, frontalidade, coragem e genuinidade. Quanto à tolerância, aprendi a usá-la com as minhas filhas (doseada, ainda assim)e em algumas questões ideológicas. Quanto ao livro de reclamações, só este ano já "lavrei" 3 queixas. Consentir tacitamente, ser indulgente, deixar passar e suportar, situações de expressa incompetência, de burla e "chicoespertismo", arrogância e má educação? N me parece.

teresa disse...

Sumaca,

Sou so norte sou... Não de detrás do marão, mas ainda assim muito mais Norte do que onde estou agora..

teresa disse...

E não ficas com o 22, ana,,

@na disse...

eu já desisti das kpks enquanto tiver net alentejana tou desgraçada é dieta, já conseguir abrir a net é uma sorte

Gabsna net disse...

Ai, ai, será que fui eu que fiz alguma? Nem tenho escrito que estou sem net... Mas agora tenho este minusculos isus ou lá que é, vou ver se mando qq coisinha. estou de férias. Desempregada, mas de férias.

teresa disse...

Não fizeste nada, descansa...
Que se passa com a tua net?

shark disse...

Mas anda tudo sem net?
Eu estou a utilizar uma adsl do sapo porque sem fios nestum...

teresa disse...

eheeh...eu tenho... lentinha mas funciona!

Gabsna net disse...

bem, o pc não apanha a net porque se partiu a pen/antena e é preciso os do auxílio ao cliente comunicarem isso p a loja e não conseguiram por falta de comunicações ou isso. Eu já tinha ido lá comprar uma mas disseram q tinha de telefonar...o portátil ficou sem net pq se desligou e qd voltei a ligar n tinha. estou no meu minorca de 299 euros, Isus ou assim, mas tenho de usar óculos...

teresa disse...

Já verificaste se o portátil tem a wireless ligada?

@na disse...

ai que saudades do adsl do sapo...snifff... aí papava as kpks todas

sapo no charquinho disse...

Essa é que vale a pena, Ana...

gaija do norte disse...

eu continuo num de empréstimo. desisti do meu...

(não posso mesmo olhar para as teclas!)

@na disse...

MINHA 33

@na disse...

isto à hora de jantar parece que corre melhor

Gabsna net disse...

Tem, tem. Sou burra ou quê? Quê...

teresa disse...

Olha que eu já passei muito tempo a tentar perceber porque não ligava antes de ver que o wireless estava off...

Gabsna net disse...

Agora esqueci-me que vinha comentar o post, é o que dá ler as caixinhas. Pois já reparei que a minha tolerãncia é consoante os meus níveis hormomais, tipo 15 dias antes de ... fico incrivelmente intolerante e sem paciência e dou dois berros e três respostas tortas a qualquer conhecido ou desconhecido que se meta comigo.Estou em contagem decrescente para estoirar....