Jogos Olímpicos II

Passada uma semana, estou a ver de novo a ginástica olímpica. Feminina. Ganhou uma coreana, no salto a cavalo, cavalo agora é diferente... A brasileira desconcentrou-se, ficou ali quase a chorar.
O nosso Francis Obikwelo também ficou para trás. Literalmente. Parecia que tinham todos tomado a poção mágica do Astérix, menos ele. Mas assim não é justo. Aqueles jamaicanos eram muito altos. Acho que os deviam medir e pesar e corriam por categorias, alturas e tal, era mais justo, assim ele escusava de desistir das competições.

Eu até o compreendo, sou um bocado assim, se não somos os melhores, para quê andar ali a ser medíocre? Eu tinha jeito para o desenho, mas em três meses de escola artística vi logo que havia melhores e desisti. No ténis também gostava, mas não corria o suficiente, apesar de ter golpe de vista e pontaria , e tive uma lesão na perna, já não voltei.

Mas a culpa também é destas provas internacionais que vêmos, com aquele atletas a fasquia fica muito alta, e depois quando jogamos andamos ali só a falhar bolas....

A vida é assim não é, "falhar bolas e tentar sempre". Mas não vejo ninguém satisfeito. Mães assoberbadas de trabalho dizem a solteiras de 40, cheias de dinheiro e tempo livre " nem sabes a sorte que tens!". Divorciados queixam-se de criar os filhos sozinhos ou de nunca os verem. Os viúvos e viúvas, insistem na dependência dos filhos, que lhes dizem "Vai passear, vai à Grécia, vai ao Egipto, vai com as amigas em excursões!". Mas não, sem o falecido só lhes apetece ficar em casa. A apanhar bolas. De preferências as que os filhos deixam cair.

2 comentários:

O Santo disse...

match point (gand filme)

teresa disse...

and gold point?