Taras e manias? Não, não tenho nenhumas...

Sou absolutamente saudável, sem paranóias, sem tiques, boa parideira e essa coisa das manias não é comigo.
Tenho é uma personalidade forte e faço questão, sim! que é uma escolha minha, de ter algumas coisas na minha vida que se repetem, mas isso é só porque as circunstâncias a tal o levam.
Se não como nunca peixe com talheres de carne é porque não me dá jeito, mais nada.
Não uso um toalhão de banho sem antes sacudir para ver se tem aranhas, não porque tenha pavor, mas por uma questão de higiene.
Recuso-me a sentar numa mesa com 13 pessoas e não é superstição, apesar de o Fernando, que tinha o sorriso mais bonito do mundo, ter morrido pouco tempo depois de o ter feito pela única vez e não, não é por isso, mas só porque as costeletas podem ser só doze.
Não me visto na frente de ninguém, que despir é despir, mas vestir tem os seus segredos e os meus não os revelo e, apesar de não haver enchumaços, há o um dois três teste que não partilho com quem quer que seja.
Nunca me deito numa cama desfeita, apesar de algumas vezes fazer a dobra do lençol para a desfazer logo a seguir, mas gosto de panos bem esticados por baixo de mim.
Cozinho sempre com um copo de vinho tinto ao lado, e é copo grande e de pé, que o refogado pode começar a esturrar e um gole de vinho resolve, desde que o copo seja bonito.
As prateleiras dos meus armários são arrumadas por cores e texturas, que uma t-shirt de algodão castanha ao lado de um top de seda preta baralha-me os olhos.
Não faço nunca batotice quando jogo, gosto demais de ganhar para saber que o consegui por baixo da mesa e, por isso mesmo, sempre me recusei a pôr umas mamas postiças para encherem olhos de tansos.
Tento não fazer nada estéticamente feio, mesmo quando estou sozinha, mas isso foi desde que percebi que os balneários das meninas tinham buracos nas paredes.
Vou sempre à Missa do Galo e sei de cor uma das leituras, que nunca se sabe e uma vez por ano também não faz mal.
Gosto de desenhar triângulos em folhas brancas e de escrever frases sem sentido enquanto estou ao telefone.
Detesto deitar o que quer que seja para o lixo, porque nunca se sabe quando pode ser preciso e aquele parafuso há-de servir para alguma coisa.
Faço questão de manter as tradições e no Natal tenho de ter perú e uma mesa linda com toalha de renda e o melhor serviço e os talheres de prata e na Páscoa amêndoas e flores e casa limpa do cimo ao fundo, porque já me chega o rebuliço no resto da minha vida.
Uso canetas pretas e papel quadriculado porque sim e pronto, que um porque sim fica sempre bem.
Em quartos às escuras só durmo, que para tudo o resto tenho de ter luz, que se sentidos temos cinco gosto de ver o que faço e gosto de acordar com a luz do sol porque é de dia.
E, tal como a @na, detesto gavetas e portas mal fechadas, sapatos desarrumados e outros pormenores que desequilibram a minha estética.
E não durmo nunca, mas nunca, sem água na mesa de cabeceira.
Manias? Não, só feitio.

22 comentários:

@na disse...

leio as tuas e lembro-me de mais duas ou três...

teresa disse...

foi o que me aconteceu quando li as tuas... mas continuo a dizer que é só feitio...

@na disse...

eu assum, são pancas mesmo, e quem não se der bem com elas... olha, porta da rua, serventia da casa

nem um fetichezinho... disse...

Muito nos contas...

teresa disse...

e como eu gosto dessa expressão... mas gosto mesmo e já usei várias vezes...

teresa disse...

queres o fetiche? mostra o teu jogo primeiro...

@na disse...

não... isso é demasiado privado

oh... disse...

Oh...

teresa disse...

(mas o tubarão pode ter ficado com o sindroma spielberg e não se importar de partilhar os fetiches em ecran gigante... é só uma tentativa...)

@na disse...

a única coisa que partilho é que ainda só não experimentei com uma mulher, porque ainda não conheci nenhuma que me seduzisse. Se algum dia aparecer não digo que não! E mais não digo!

@na disse...

11 again

teresa disse...

bem...a parada acabou de subir... eu estava a falar do tubarão, mas quando os gajos se cortam chegam-se as gaijas à frente...

@na disse...

ahahahah...

shark disse...

Eu é trios. Três não é uma multidão nas fantasias do tubarão.

O Santo disse...

(gemeas... gemeas...)

@na disse...

(vocês são uns tarados!)

O Santo disse...

(deves ter a mania.... deves deves)

teresa disse...

(isto vai-se compôr, que ainda deve andar por aí muita tara escondida...)

shark disse...

Escondida porquê? Vergonha é roubar. E deixar-se apanhar.

gaija do norte disse...

meus meninos (saiu-me!) vergonha é passar fome!!!

teresa disse...

olha que tu hoje não digas nada, ó gaija, que com tanto bolo de chocolate não deves ter é fome nenhuma.

@na disse...

achas santinho?