vida dura

hoje decidi escrever apenas com letras minúsculas. e porquê? não sei... apenas porque me apeteceu. hoje também estou cansado. e porquê? isso já sei... porque me fartei de andar a pé. e andar a pé por onde? pois é, por maputo. nada melhor então do que falar sobre o que fiz hoje. acordei às 6,00h da manhã e espreitei pela janela do quarto, no 10.º andar, e ainda estava escuro. fiquei calado, para não acordar a minha filha, a contemplar o nascer do sol. no dia anterior tinha contemplado o pôr-do-sol. depois de termos tomado o pequeno almoço (melão verde, melão laranja e papaia, ovos mexidos com bacon e baked beans) fizemo-nos à estrada e fomos continuar a ver e fotografar os edifícios do pancho guedes. começámos pelo edifício do alto comissariado britânico. depois fomos ao hotel tivoli ver o seu interior. tanto num caso como no outro não vimos vestígios da intervenção do pancho. bom... depois corremos a baixa de maputo de mapa na mão à procura de mais edifícios. fomos a montes de edifícios, entre os quais refiro a fortaleza e a sede do standard bank. depois de termos fotografado mais uma série deles na antiga praça macmahon, fomos visitar a estação dos caminhos de ferro projectada pelo eiffel (acho que é assim que se escreve) e fartámo-nos de tirar fotos nos cenários do filme diamantes de sangue, que foi filmado quase todo em moçambique. como tínhamos que estar no hotel polana às 14,30h tratámos de dar corda aos sapatos e subirmos para o centro cultural franco moçambicano onde fomos almoçar (um bife com batatas fritas , ovo estrelado e uma coca-cola: 140 meticais). meti conversa com umas portuguesas que também lá almoçavam e fomos apanhar um táxi para o tal hotel - paguei 150 meticais. cheguei ao hotel polana e esperei 45m pela a pessoa com quem tinha combinado encontrar-me, que acabou por não aparecer. era a filha da dona de uma das casas do pancho que visitámos ontem. voltámos às fotografias e foi mais uma dose: casas e mais casas, mostrar a credencial da faculdade, falar com os donos das casas ou com os seguranças ou mesmo com uma entidade... e mais fotos e mais percursos a pé. foi dose. vimos as casas gémeas do pancho, outras casas e também o edifício prometeu que está um pouco estragado. entretanto tive que ir ao centro comercial polana comprar um telemóvel desbloqueado para colocar o sim da mcel que comprámos. voltámos para o hotel polana onde esperámos pela minha irmã. fomos fazer uma city tour, by night, e passámos pela casa do presidente da assembleia da república, pela casa da primeira ministra, luísa diogo, que tínhamos visto de manhã junto do prédio 33, pela casa do nelson mandela e da graça machel, pelo gabinete de trabalho do presidente da república, pelo campus universitário da universidade eduardo mondlane, pela escola portuguesa de moçambique, etc, etc.. fomos jantar ao surf, comi pizza havaiana, bebi fanta uva, esperei que todos acabassem e paguei, 1135 meticais. vim para o hotel e a pedido da teresa estou a escrever este post. com letras minúsculas. amanhã vou ter que repetir a dose e andar outros 15 km a pé.

18 comentários:

@na disse...

seja bem aparecido arrebatador das moitas. Já me tinha perguntado quando iríamos ter o privilégio de sermos premiados com um ar da sua graça.

teresa disse...

e a alma zé, como está?

@na disse...

e eu que ainda pensei que ele amanhã ia repetir a dose e escrever outro post, afinal são só 15 km a pé.

shark disse...

Olha, o Paixão deu à costa?
Até que enfim que dá um arzinho da sua graça...
(Alguém pode confirmar se sobraram alguns rissóis da festa de apresentação?)

@na disse...

qual festa de apresentação?

teresa disse...

festa?? deram uma festa e não me disseram nada? eu ando aqui perdida no meio de nada e vocês no rissol...

gaija do norte disse...

olá paixão, bem-vindo! já na festança? agora que há rissóis ninguém me diz nada? para as ranhocas ninguém se esquece de mim, mas para o que é bom... só por causa disso, vou fazer creme custarda outra vez! e agora não vou roubar ao açúcar :)

teresa disse...

junta-te a mim gaija, que também ninguém me convidou...tens um bocadinho de creme para mim?

gaija do norte disse...

anda cá! já está feito, quentinho e com canela!

@na disse...

alguém me explica que raio de creme é esse que rima com mostarda?

@na disse...

11

teresa disse...

creme custarda ana...também se usa para dar cor aos ovos... e tem o cheirinho de quando eramos meninas e os desejos eram outros e mais fáceis de satisfazer. Porra outra vez!

@na disse...

e post com receita na rúbrica culinária, não?

gaija do norte disse...

e eu como creme custarda para me lembrar desses tempos de menina e dos desejos faceis de satisfazer!
e gosto do cheirinho que fica pela casa...

@na disse...

e o post?

gaija do norte disse...

@na, eu hoje já escrevi o guerra e paz, já chorei baba e ranho, já tive que ler o teu post... assim que ganhe coragem, eu mando a receita, pode ser? :)

teresa disse...

e hoje é dia de choradeira? Até eu já me ranhosei um bom bocado (e a culpa foi tua, ana )
Receita da farinha custarda? É como a gelatina, Ana. Compras a embalagem e fazes como lá diz. Melhor que farinha maizena, que é outro dos cheiros da minha infância. Isso e os bifes e ovos estrelados do pequeno almoço do meu pai.

gaija do norte disse...

eu gosto da maizena, mas prefiro a custarda. e nem tinha reparado porque o faço de cor, mas a receita está mesmo na embalagem