Seremos todos Dorian Grey's?

Hoje o José, o nosso José, faz anos. Um punhado mais que eu, mas não assim tantos. É certo que faz um número redondo, daqueles que pesam, mas ontem, aqui no blog, disse o que todos sentimos - olho para o espelho e vejo um gajo com metade da minha idade.

Deixa-me contar-te um segredo Zé, quando o teu irmão fez alguns anos menos que metade dos que tu tens agora, eu mandei-lhe um telegrama a dizer estás velho stop (sempre fui um bocadinho cabra...).
Quando tinhamos 18 e 19 anos uns imberbes 22 nos outros eram um atestado de velhice. Olhávamos para eles, para os mais velhos, e não víamos só mais velhos, víamos velhos mesmo.
Lembro-me da minha mãe ter feito 40 anos. Tenho mais cinco agora. Lembro-me de como a achava uma senhora, uma chata, uma velha. Tudo aquilo que agora não sou, não quero ser, não posso ser, não me permitem que o seja.
As nossas vidas não foram mais fáceis, o nosso mundo tem muitos mais quilómetros andados, a nossa pele está mais calejada, o nosso coração mais sofrido, mas nós temos melhor aspecto. Não sei se é dos yougurtes, das vitaminas, das t-shirts da Rip Curl ou se é só por nos vermos a cores e as nossas memórias ainda serem a preto e branco, mas uma coisa sei - parecemos muito mais novos, vivemos como se fossemos muito mais novos.
Talvez tenha sido o tal de progresso, talvez tenhamos todos americanizado e sejamos agora também umas eternas crianças grandes, com os nossos brinquedos novos, a nossa leveza com a vida, o nosso correr sôfrego para beber todo o tempo, o aproveitar enquanto podemos tudo o que pudermos.
Mas temos mesmo bom aspecto. Pelo menos eu e os meus amigos quarentões temos muito bom aspecto. E os trintinhas são todos putos e com vinte anos ainda nem aprenderam a andar e têm borbulhas na cara.
Talvez nos falte a vocação para o tal respeitinho, aquele que não se percebia muito bem de onde vinha nem o que queria dizer, mas que marcava a cara, imprimia as rugas, vergava as costas, tirava os sorrisos dos lábios, que ali era tudo gente séria.
As minhas filhas tratam-me por tu, não me escondem os namorados, dão palpites sobre os meus e arrastam-me com elas e com as amigas para andar de patins, porque contigo tem mais graça. Longe vai o tempo em que se pedia a benção, se guardava a melhor peça de fruta para o avô e não se dizia nunca, mas nunca, merda na frente da mãe.
E eles, os mais velhos, tinham sempre uma cara sisuda e falavam entre eles em francês para nós, os miúdos, não percebermos, que aquilo eram coisas de adultos, gente crescida portanto. Ainda hoje acho o francês a língua dos segredos, mas não consigo deixar de o pensar com o ar de miúda com que o pensava há trinta e muitos anos atrás. E também não consigo deixar de pensar que um tailleur é roupa de mãe e um carro de cinco portas que não seja carrinha tem mesmo ar de família e não é para mim de certeza, que ando sempre com montanhas de miúdos atrás, mas pronto, tenho bom ar e não sou velha.
Zé, tu hojes fazes anos, mas telegramas é coisa de velhos, portanto ficam aqui os meus parabéns - Estás novo stop!

28 comentários:

baby sitter disse...

Parabens ao José...

baby sitter disse...

Parabens ao José...

gaija do norte disse...

ó baby, isso era por mim e por ti, não era?

parabéns josé!

baby sitter disse...

Era já sabe como é trabalho de equipa ;)

@na disse...

Parabéns Arrebatador das Moitas!

teresa disse...

O Arrebatador desapareceu... deve estar a comer das tais lagostas grelhadas numa Avenida com nome de PREC...

@na disse...

e se não se metesse um comento pelo meio com comida, isto não era uma caixa de comentos do cabra...

teresa disse...

cabra que é cabra está sempre a comer e come de tudo.. só quem não vive no campo não sabe..

jose disse...

obrigado gaijas mas mesmo assim continuo a não me sentir bem... e hoje enchi a mula de camarões e paguei um jantar que correspondeu a uns 10 ordenados do jovem que nos serviu...

@na disse...

olha outro... isto é complô????

@na disse...

11

teresa disse...

é cãoplô!

@na disse...

boa! :))

gaija do norte disse...

por falar nisso, estou com fome! vou ver o que há...

(requeijão e doce de abóbora hihihi)

@na disse...

cabra!

teresa disse...

obrigada... tiraste-me a palavra da boca...

@na disse...

e a mim põs-me água na boca... cabra!

gaija do norte disse...

imbejosas, é só imbeija!!!!! no natal faço um cabaz para cada um com as minhas compotas, sim?

(isto se entretanto receber o meu skip!)

teresa disse...

agora queres despachar as compotas? devem ser as atrasadas, já com bolor e o açúcar cristalizado...

gaija do norte disse...

nunca chegam a esse ponto... faço pouquinho de cada vez, e são rapidamente devoradas!

@na disse...

cabra! Aí de ti que no Natal não chegue cá esse cabaz prometido...

@na disse...

22

gaija do norte disse...

claro que não falta!!! mas depois não quero tretas sobre o corpinho de 24 anos...

teresa disse...

olha, mas o natal não podia ser quando quisermos?? Segue morada já..

gaija do norte disse...

deixa-me regressar de férias e vais ver. amanhã vou ver se já há amoras. depois trago abóbora e figos. se ainda tiver ameixas e maçãs, também marcham...

teresa disse...

amoras? agora?
e olha, usas fruitfix ou é à antiga? e fazes compota com pedaços ou trituras as frutas?
tens de me dizer como fazes a de abóbora... e descascas a abobora com faca? a gila tem de ser partida sem faca..

gaija do norte disse...

tudo á antiga. não trituro os frutos, não faço ideia do que seja fruitfix. não a esborracho a abóbora, fica exactamente igual com a faca... a chila tem que ser sem faca e tens que saber onde está aquela coisa horrorosa que amarga tudo! sim, por cá, amoras são em agosto!

Gabsna net disse...

O post, o post, era sobre quê, estarmos cada vez mais novos? Cheira-me que os nossos pais pensavam o mesmo. Com os seus cigarros nas mãos e bebidas na outra, todos risonhos e a parecerem tão novos como nós, lá nos anos 50...nas fotos a preto e branco.