O Caso Maddie

E é que passou um ano desde que estive na Praia da Luz e estavam imensos jornalistas em todo o lado, e a criança tinha desaparecido, fora raptada, mas já se dizia que devia estar morta.
Nós estávamos na praia e lá vinham as tv's filmar... nós punhamos um ar sério e constrito, que já se sabe que esses jornalistas depois haviam de ir dizer na tv "indiferentes ao drama, os turistas divertem-se...".
Agora não se calam que a cadela não sei quantas e o cão não sei quê detectaram sangue a cadáver no quarto, e que era impossível levarem uma miúda pela janela, sem ninguém notar...
Olha a grande novidade.... Eu vi aquilo. E aquela hora era de dia, e andam pessoas por todo o lado, era mesmo fácil levar uma miúda aos berros... mas como somos muito espertos, mandámos as provas todas para analisar em Inglaterra. E o carro também cheirava a cadáver na bagageira.
Ah, mas que mistério tão denso! Chamemos o Maigret e o Poirot, mas a criança já foi.
E os pais ficaram sem ela. Oh, que pena...Estão arrependidos, pois estão. Já é castigo que chegue.

3 comentários:

teresa disse...

Devo ser das poucas pessoas que nunca viu uma única reportagem sobre o caso Maddie. Fazia até questão de mudar de canal sempre que aparecia qualquer alusão à história. Também nunca, até hoje, escrevi uma linha que fosse.
Não sei se a mãe chorou ou não, se os gémeos são rapazes ou raparigas e de que côr é o peluche.
Acho que também nunca vi o Titanic pelas mesmas razões - não gosto que me impinjam dramas com ar de grandes produções.

with all due respect disse...

"Não gosto que me impinjam dramas com ar de grandes produções."
Fónix, chefa. Um subordinado até se põe em sentido perante uma tirada assim.

gaija do norte disse...

a única vez que falei sobre este caso foi no ano passado, na irlanda, quando os nativos atacavam a nossa pj, e foi para a defender que o fiz.

(também nunca vi o titanic)