Às vezes

Às vezes penso que estou sonhando
Revendo imagens que se perderam
Às vezes vejo-te a chegar
Dás-me um beijo
E deixas-me tão só
As vezes penso em ti, sem querer
E assim volto a viver
Outra vez a paixão
Dos que amam sem saber
Sem poderem prometer
Às vezes chego até mesmo a sentir
O teu corpo em minhas mãos
E ouço-te a pedir para fazer o que eu quiser
No prazer de te amar até cansar
Às vezes acho que é só um sonho
Que na verdade preciso de acreditar
Às vezes quero voltar a viver o passado
E começar o nosso amor outra vez
Para poder fazer as coisas
Que a gente não fez
E te amar ainda mas
Muito mais do que te amei.

2 comentários:

shark disse...

Atão a Baby Sitter esgalha uma ode destas ao soldado desconhecido e ninguém diz nada?
Se não for eu a cuidar da moça...

teresa disse...

estavamos à espera que fosses tu a desvirgindar... a ode, claro!