Só coisas que me apoquentam

Nestas, nas brancas, faltam-lhe dois. No casaco preto falta um. Na camisa branca lavrada também falta um. E no resto já nem sei. Perdi-lhes a conta.

Tenho tudo muito bem organizado, garanto que tenho. Tiro dos sacos, corto as etiquetas e guardo os apetrechos na caixa que está por baixo da mesa preta na cabeceira direita da cama.
Está lá tudo. Botões. Molas. Linhas. Fechos. 
Acho que até lá tenho lantejoulas, daquelas para bordar nos boleros que nem uso.
Mas depois, como neste depois de agora em que ando para aqui sem dois botões nas calças brancas, não me entendo na minha caixa organizada, linda, castanha e vermelha, que está debaixo da mesa preta na cabeceira direita da cama.
Eles estão lá. Devem lá estar. Só podem lá estar. Não sei é quais são.
Por isso digam-me, expliquem-me, elucidem-me - como organizam os botõzinhos, e os fechinhos, e as molinhas, e as lãs e os fios, que vêm de penduricalho para as precisões? Atiram para uma caixa, para aquela caixa, como eu, ou colam-lhes umas etiquetas antes para se orientarem? Assim do tipo saia castanha, aquela muita cara comprada naquele dia em que estava chateada e que não posso vestir com meias de liga porque é muito curta? 

11 comentários:

Anônimo disse...

eu é tudo na gaveta da esquerda da cómoda por debaixo do espelho, e noutro dia estive a coser três pares de meias, mas coso à marinheiro, cada ponto, cada nó,

tereza disse...

as meias, quando se cosem, não se dá nó. vou ter de te ensinar... :))

gaija do norte disse...

faço o mesmo. corto as pendurezas todas e guardo-as numa caixa. tenho pendurezas com anos mas continuam lá guardadas, como parte da minha tralha. não me lembro de perder um botão pois como tenho pavor de procurar o clone, prevejo a queda e reforço.

Mente Quase Perigosa disse...

Eu sou mais como a Gaija. Olho sempre alerta à espera que o botanito abane mais do que é suposto.

Tenho, no entanto, todos os apetrechos numa caixinha... De onde são, não faço a minima ideia, mas estão lá.

Já serviram para trabalhos da creche sobre formas geométricas...

elle disse...

confesso-me: eu prevejo a queda, mas não reforço. depois, claro, procuro, procuro... também na tal caixinha. (um desespero)



(isto tá com ar de terapia de grupo)

calamity jane disse...

Quem me der ter na tal caixinha. Eu é mesmo no cestinho, ou na caixinha, ou na outra caixinha em cima do balcão da cozinha, ou em cima do móvel da entrada, ou num dos cinzeiro que não servem para pôr cinzas nem beatas (só se fuma no quintal) ou... ou... ou... É claro que quando preciso das pendurezas, não faço a mínima ideia de onde andam... That's me!

RED disse...

Cá comigo é tudo ao molho e fé em deus, enfiados para uma gaveta, sem saber quem casa com quem.

(isto é conversa de mulheres ou é mesmo só impressão minha? e de vernizes, falamos ou deixamos isso para outras pinceladas?)

Anônimo disse...

eu sou homem; dou sim gaija, dou cada ponto cada nó e fica ali uma cicatriz reforçada e por ali já não rompe, mas eu estou-me nas tintas se fica piu-piu, isso é para outros,

AnaT disse...

Eu é mais como a CJ... mas como não tenho jeitinho nenhum para estes aprumos, normalmente a Mãe, cose, reforça e tem uma caixinha para estas emergências...;o)

Rachel disse...

Ui, tudo numa caixinha!??!?!
Quem me dera! Até no cesto das coisas da cadela devem andar saquinhos com botões e pedaços de cartão com linhas ás cores...

Nunca consegui organizar essa parte da minha vida. Mas tenho pena.

calamity jane disse...

Ufa!!! Tou muito mais aliviada. Pelos vistos há mais por aí como eu. Cheguei a pensar que eram todas como as blog-parceiras, organizadas e arrumadas e ja ia chorar para o divã. Assim deixo a sessão pra depois da Páscoa...