Somos gaijas duronas.

Chorou, chorou, chorou e continuou a chorar. Dois dias inteiros de lágrimas à solta, numa tristeza sem fim, como se o mundo tivesse terminado na quarta feira à tarde quando cortou o cabelo e o namorado a mandou passear.


Muito se chora quando se tem 17 anos. 
Já não me lembrava como era. Já não me lembrava como se vive no fio da navalha.
"Ele não quer nada comigo porque diz que estou feia. Não gosta de raparigas de cabelo curto"
E eu e a mãe, ainda a frase não chegou ao fim, e já estamos cheias de vontadinha de pegar nele e mostrar-lhe assim muito bem mostradinho o que pode fazer com a imbecilidade que lhe corre nas veias. E salta-nos da boca o "que besta" o "ai se fosse comigo" e um ameaçador "está mesmo a pedi-las".
Cheias de boas intenções e muito sangue nas guerlas lá lhe vamos sugerindo como tratar um anormal destes. Como se humilha. Como é fácil esmagar um verme. Como, mantendo sempre a compostura e um sorriso nos lábios se diz, en passant, que esperamos que seja muito feliz e arranje uma gaja que esteja mais vocacionada para lidar com pilas microscópicas como a dele.
 
Mas depois lembro-me de como era com  dezassete anos e, como disse uma outra gaija, já me teria atirado de uma ponte só de pensar que ele tinha dito que eu estava feia. Ou, como a minha ela de dezassete anos, juraria a pés juntos que ia para freira.

As rugas trazem-nos os calos nos sítios certos, ficamos rijas, gaijas do nosso nariz, a nossa carapaça protectora colou-se-nos à pele e um tipo destes serviria, no mínimo, para longas sessões de gargalhadas onde o rídiculo seria ampliado até ao exagero estratosférico e ele ficaria transformado no pobre palhaço de serviço.
Sim, somos mais fortes nas nossas fraquezas mas deixámos de ter o que tenho agora na minha frente.
Deixámos de ter cá dentro a menina. A menina que está agora no meu sofá, de lágrimas finalmente secas, deliciada com o Shrek 2 que ainda não tinha visto e com um sorriso encantado de bebé.

6 comentários:

Mente Quase Perigosa disse...

Até a mim me apetece bater no gaijo e não a conheço.

Parvalhão! (só uso esta porque isto é um blog sério!)

tereza disse...

Bem, se o visses tenho a certeza que com blog sério ou não te sairia tudo o resto boca fora...

AnaT disse...

Esse estava mesmo a pedi-las! Mas "o que não nos derruba, torna-nos mais fortes", não é assim que dizem? Mas aos 17 anos...

tereza disse...

Eu digo-te o que o derrubava a ele...

eu não dava, sou filho de uma senhora doente disse...

Um chapadão bem aviado nas trombas e tava feito.

gaija do norte disse...

deixem ficar um bocadinho para mim...