Será?

Vi-os chegar. Traziam sacos de supermercado e uma árvore de Natal. Estão a tentar entrar em minha casa pelo quarto do meu filho. Será que querem partilhar a árvore comigo? Será que se sentem sós? Será que estão a fazer baixo-relevo com o martelo hidráulico e eu não percebo nada de arte? Será que acham o quarto pequeno e o querem expandir? Será que as crianças estão a brincar? Será que estes vizinhos ainda vão ficar aqui ao lado muito mais tempo?

35 comentários:

shark disse...

Se andam a fazer obras só para montarem a árvore de natal bem podes preocupar-te que eles não saem tão cedo...

gaija do norte disse...

ainda não consegui perceber nada. dar cabo da paciência dos vizinhos também é violência doméstica?

tab@sco disse...

Violência doméstica é isso! Vizinhos assim, que numa tarde desta, não sabem estar quietos e sem fazer barulho. Isso é que é. Queixa-te deles!

gaija do norte disse...

não gosto de confusão, muito menos com vizinhos. este prédio era um descanso...

teresa disse...

Se o gajo só vai a casa de quinze em quinze dias não querias que fizessem barulho? desmancha prazeres, é o que tu és...

gaija do norte disse...

vamos por partes, chefa.

ele vem a casa de quinze em 15 dias, é verdade, mas tem que ser de martelo hidráulico?

teresa disse...

Tás a ver o calo que se forma? Tás? É claro que tem de ser...

gaija do norte disse...

calo? em quinze dias? é triste, mas não dá para ganhar calo. a não ser... (não quero pensar mais nisso!)

teresa disse...

vá lá... partilha comigo esse teu pensamento pecaminoso...

shark disse...

Sim, sim.
Partilha, partilha!

gaija do norte disse...

não queiram saber, não era pecaminoso. esses eu partilho com gosto!

teresa disse...

Então partilha essse pensamento casto... Ou seria um pensamento ca noijo?

teresa disse...

Não percebo essa lingua de bifes, a tua zona é qual, colega?

Gabs disse...

esses teus vizinhos são muito esquisitos. No meu patamar somos 4. Mas o da frente nunca está cá, a do outro lado só incomoda pois tem sempre cozinhados suculentos, e a velhota do lado crava-me umas compras do continente. mas tb já me emprestou leite...

teresa disse...

eu gosto é dos meus vizinhos de patamar... nem sei quantos são...

gaija do norte disse...

eu gosto dos meus vizinhos todos... menos dos de patamar!!!

teresa disse...

e eu gosto muito da minha vizinha que vai despejar o lixo de calcinha de pijama.

gaija do norte disse...

(só me lembras cenas tristes!)

teresa disse...

a tua vizinha fugiu com o caixote?

gaija do norte disse...

(não, mas não a quero imaginar em pijama!!!)

teresa disse...

eu gosto de as ver com aqueles com punhos na camisola e na calcita. acho que ficam muito elegantes.

gaija do norte disse...

um dia perco a vergonha e conto uma história de um pijaminha desses...

teresa disse...

conta... conta... conta...

O Santo disse...

eu tb devo ter vizinhos... qq dia paro em casa um tempinho so pa saber disso.
conta... conta... conta...

Gabs disse...

Agora pelas calças de pijama com punhos na calcita... uma vez nas Olaias apareceu lá o Jorge para dormir , levava um amigo, e eu com um pijama turco desses... Deve ter sido por isso que ficámos as duas no mesmo quarto...

teresa disse...

O Jorge? Qual? O Jorge T? não me lembro nada..

gaija do norte disse...

não deve, gabs, foi por isso de certeza! um pijaminha turco já é o que se sabe, com punhos, então...

teresa disse...

melhor que isso só o tal punho entalado na meia para dormir... meia branca com ráquetas de lado.

gaija do norte disse...

AHAHAHAHA

agora eu devia por aqui a fotografia de um que eu conheço que foi para a cama parecia um astronauta... dizia que era por causa do frio, que entrava por todo o lado, mas o que é certo é que eu nunca mais fui a mesma mulher!!!

teresa disse...

e eu devia pôr a fotografia de outro que se levantou a meio da noite e fugiu para casa, a mais de 70 quilometros, de pijamita e chinelos. o mesmo que no dia a seguir estava a telefonar para uma tal de Luiza que, surpresa!, era eu... continuo a mesma mulher e ainda hoje me rio...

gaija do norte disse...

bem, esse ainda devia ter alguma virtude...

teresa disse...

zero.

gaija do norte disse...

(ahh, já sei...)

este tinha uma virtude, mas depois daquela visão dantesta desapareceu!

teresa disse...

este tinha possibilidades, mas poucas

gaija do norte disse...

o problema deste não eram as possibilidades, antes as impossibilidades...