Mesmo on-line, apalpanço é coisa séria

Como acontece ao palato apanhado de surpresa pela pimenta na língua, só agora consegui perceber o potencial da catarse que a nossa Tabasco sugeriu com a sua posta mais abaixo. E de igual forma me senti estimulado (sou todo cliché na reacção física às especiarias – as propriamente ditas, que já provei) para descobrir os novos sabores de ódios de estimação requentados.
A minha dificuldade é escolher entre um lençol com cinco ou seis monitores de extensão ou fazer a coisa por capítulos, mas essa é uma decisão que tomarei ao longo do exercício que a Cabra mais picante me propôs abraçar (abraçar o exercício, não a propriamente dita).

Isto porque um gajo com o meu feitio acumula quase tantos ódios de estimação como aqueles que suscita, pelo que uma pistola de palavras não bastaria: só mesmo uma metralhadora. Ou mesmo uma bazuca. Uma brasuca também podia servir, em determinadas circunstâncias e estritamente no âmbito do salutar debate acerca dos prós e dos contras do malfadado acordo ortográfico que, já agora, pode abrir o rosário das minhas embirrações.
Não tenho paciência para reaprender a escrita, depois de tantos anos a esforçar-me por aprender onde intercalar os cês. É um fato e eu até desatino imenso com gravatas.
E com o euro também, essa divisa multimarca que nos minimiza a soberania e acabou com os contos de réis para agora nos presentear com as histórias da carochinha que nos contam quando escasseia o pilim.
Eu ainda raciocino em escudos e o meu cérebro não quer dispensar a bengala cambista.

Também desatino com todo o tipo de gajos que não aqueles que só sirvam para me ajudarem, por comparação, a fazer boa figura (felizmente, estes são a esmagadora maioria e por isso desatino pouco neste particular). Falo, naturalmente, em fazer boa figura perante o único grupo onde não possuo qualquer ódio de estimação (e mesmo que possuísse dava a volta ao problema, pois percebia ser uma falsa questão): as moças.
Mas a ideia é exorcizar pequenos demónios e por isso sigo já para o que mais me desagrada nessas criaturas com pila que de pouco ou nada me servem em termos práticos: não são mulheres. E isso é, a todos os títulos, imperdoável.

Porém, vou confinar ao parágrafo acima quaisquer alusões a esse desperdício de cromossomas que poderiam render bem mais na pele das mais maravilhosas criaturas do universo do qual, aliás, possuo algumas razões de queixa comuns a todos os apreciadores de Ficção Científica.
É inadmissível o silêncio dos extraterrestres que em puto sempre esperei viessem pôr ordem na barraca com as suas inteligências superiores e supremacia tecnológica avassaladora. O mais próximo que encontrei desta fantasia foi a supremacia tecnológica dos americanos (reelegerem o Bush desmentiu de vez – ou será que confirmou? - a sua origem alienígena) e na parte do silêncio apenas a actual líder do PSD.
Em matéria de marcianos até Marte se revelou uma desilusão. Em vez de homenzinhos verdes andamos à procura de criaturinhas microscópicas nalguma poça daquela água congelada a que se reduz a esperança terráquea num Novo Mundo para envenenar.

Reparo agora que já me estiquei e por isso deixo a coisa em suspenso até ver se ainda há alguém acordado depois deste prazenteiro momento de leitura.

23 comentários:

teresa disse...

Eu estou acordadíssima...

Mas olha, eu gosto do euro que me impede de me sentir ainda mais abusada - mil paus todos os dias para as gaijinhas levarem para a escola? - e gosto de gajos. Acho que nestes capítulos não nos entendemos.

Anônimo disse...

será que isto é comigo? olha que eu tenho bom pau pá, ganhei fama de pau d'ouro, nem percebia o que isso era, depois disseram-me que era por causa do número de ouro, o phi, e eu ri,

mas os gajos é que acham isso

shark disse...

Isso é contigo, claro. Como é que ao pé de um gaijo da tua envergadura posso eu fazer boa figura nas caixas de comentários?
:-)

shark disse...

Realmente, Chefa, e apesar de muito me custar isto de contrariar a minha superiora, acho que não vamos conseguir ultrapassar a divergência.
A única hipótese que vejo nisto é eu ganhar tantos euros que deixe de fazer sentido contá-los ou uma hipotética paródia em grupo que me obrigue a tolerá-los.

shark disse...

A tolerá-los, os gajos. Claro.

E nos comboios é ponto assente que sou sempre a última carruagem e jamais a locomotiva.
Só para clarificar a minha posição ferroviária que os bilhetes de avião custam euros a mais para as minhas posses.

teresa disse...

tolerar gajos? isso também não me agrada, podes ter a certeza, que idade para fretes já não tenho

O Santo disse...

1,58 Z???

acordado ate estava... mas bocejei umas 5 vzs por paragrafo. amanha releio.

gaija do norte disse...

nem os meus apalpanços consegui terminar... que lençol sô shark :)

O Santo disse...

ai isto nao e versao capitular?

gaija do norte disse...

(cariño, quanto trabalhinho me poupas!!!!)

O Santo disse...

pois... tudo eu.
e... ó sra d gaija? se a gente reunisse os odios todos em conjunto? poupavamos os srs de mta horita de leitura e ficava o caso arrumado de forma airosa? eu ja mando um resumo e tu ajeita isso... pode ser??

teresa disse...

tens ódios resumidos, santo? os meus são todos por extenso..

gaija do norte disse...

ò sô santo, ajeitar os teus ódios???

(não é nada muito ca noijo, pois não?)

tab@sco disse...

AFINAL TEM MESMO DENTES, JÁ OS VI!

shark disse...

Adonde, adonde?

Anônimo disse...

mas portanto melhor mesmo é não ter ódios de estimação porque fazem mal ao estômago,

parece que o mais adequado é uma

uzi

(aprendi com os putos de Virgen de los Sicarios)

Anônimo disse...

mas tenho uma melhor: deixar cair a cretinice da competição, tão déjà-vu e passar à coopetição, como não sanemos bem o que é sempre andamos entretidos

e a porra é que eu tenho de escrever senão vem chuva: variedade semântica

Gaija: sabes latim e grego? Tão querida...

já estou a ver que além de ficar cheinho ainda aprendia umas coisas giras mas depois tinha de ir para o ginásio e lá estragava tudo

gaija do norte disse...

z, se este sol todo se deve à tua escrita, vai em frente...

por mim pode chover de vez em quando, eu gosto :)

Gabs disse...

Os ódios de estimação. Pensei que era para serem os leitores a dizerem de nós "odeio aquela que está sempre a trocar a foto" etc.
Vou tentar fazer um resumo.

Gabs disse...

L´enfer c´est les autres.
Resumi.

O Santo disse...

Qual foto?

Anônimo disse...

já choveu gaija, a ver quando para

gaija do norte disse...

ainda chove, agora menos. está mesmo bom para o fim de semana :)
(já escreveste tudo?)