A numerologia dos ausentes

Chega um tipo aqui desprevenido para ver onde param as modas e o que lhe aparece à frente? Ora vejamos (esta é para mostrar que temos de aprender com os bons...):
Algures lá para baixo o problema era sobre ménage - o que ocorre logo? Três. E ainda por cima nem com pormenores nem sem pormenores, qual foi o desfecho? Nada.
Depois aparece a chefa (que falando de bons tem de vir à baila ou lá se vai o 13º) a dizer que afinal não é três mas deve ser A 4 - o que me parece um exagero, mas como foi a chefa que disse...
Depois até o comentador mais de serviço que os e as ditas cabras acha que afinal aquilo resulta é a dois - mas que revela a versatilidade e a diversidade que nos caracterizam.
Acho por bem vir relembrar que o tio Woody era da opinião que, enfim, sempre se pode considerar sexo com alguém que se ama e ainda vão arranjar um termo fino tipo manopessoais por exemplo. Monopessoais? Soa melhor?

12 comentários:

gaija do norte disse...

ménage a três? ora tu vives em que palácio?

O Santo disse...

por aqui é tudo mto limpinho.
é como se diz "uma limpeza"

teresa disse...

Acordaste com frio, caíste da cama ou estás a passar-me a mão (a tal mano pessoal?) pelo pêlo? Um post às sete da manhã?!...

gaija do norte disse...

a ménage começa cedo...

teresa disse...

Deve ter acordado cedo para fazer a depilação para algum encontro com um par de ligas..

Anônimo disse...

hum, eu agora vou esfingicar

gaija do norte disse...

tu muito esfingicas!
boa esfingificação, então :)

Gabs disse...

Amar a si próprio como a nós mesmos. Amén.

Gabs disse...

Ah, e o livro do Woody Allen? Pronto, fica lá com ele.

O Santo disse...

Os livros... extremosamente cuidados e guardados até entrega para breve...

teresa disse...

Breve? Livros?
Estás a falar de "Uma Breve História do Tempo" do Stephen Hawking?

Gabs disse...

Que bom, vou ter uma prenda no Natal! (é que só emprestei um).