E Setembro, demora muito a chegar?

Não sei se quem usa a velha estrada nacional se safa, mas tenho a certeza que quem chega de férias ao Algarve pela auto-estrada é apanhado no pim-pam-pum da última portagem. Depois até vão rodando, com umas regras que ninguém entende, mas mal que cá entram dividem-se logo em dois grupos para as brincadeiras - índios e caras-pálidas - e ocupam os territórios respectivos - praias e centro comerciais.
Nós, por cá, já sabemos que é assim - dez meses de paraíso e dois de bang bang. Felizmente, para quem por aqui vive, distinguem-se bem e percebe-se por onde páram, de modos que é só passar de longe, que a miudagem anda entretida.
É giro vê-los, acreditem que é.

Na praia juntam-se os índios, em amontoados de tendas, panos coloridos, penachos na cabeça, barriguinhas de grande chefe touro sentado e squaw saltitante à volta das crianças, desejando mostrar o que o ginásio prometeu fazer mas é certinho que não fez apesar de estarem convencidas que sim, valeu mesmo a pena. A pele deles é vermelha, como não podia deixar de ser, e reluz ao sol com os óleos dos rituais. As tribos são sempre grandes e barulhentas, com os gritos de guerra a ouvirem-se muito longe, que lá em casa têm de saber que está sol e o mar está quente e o Manelinho já tem outras cores e ontem foram ao franguito assado. Estes índios também sabem que a força lhes vem da união e recusam-se a ficar sozinhos. Prainha boa é prainha atestada, e quantos mais e mais juntinhos melhor, que brincar sozinhos e sem o resto do povo a ver não tem graça nenhuma.

Um bocadinho mais para o interior andam os caras-pálidas. Branquinhos, branquinhos, branquinhos, coitados. Muitos acabaram de cruzar as tais portagens, ainda com o selo de cara-pálida fresquinho na testa, e vieram direitinhos para a tipicamente algarvia Zara, que pode chegar a vizinha do R/C e levar a blusita que vai fazer furor. Outros, branquinhos também, mas à força do after-sun recomendado pela empregada da farmácia de serviço, que isto de brincar aos índios não deixa dormir à noite, deliciam-se com o double-cheese menu que ninguém faz como fazem aqui. Estes também são giros e também andam sempre muito juntinhos. Cavalos e caravanas em círculo cá fora e aí estão eles, felizes, no shópingue, que férias sem shópingue nem são férias de jeito. E depois, convenhamos, lá de onde vêm de certeza que não há shopingues. E se há, não têm estas lojas. E se têm, não têm estas coisas. E se têm tudinho, não são assim assim como estas, que aqui é algarve e é logo outra categoria.

E pronto, nós lá vamos resistindo os dois meses do costume, que não tarda volta tudo ao normal e já se consegue encontrar uma praia decente outra vez, fazer as compritas que não podemos deixar de fazer e andar por estas estradas sem parecer que foram invadidas por hordas de taxistas com a mão na buzina e o pé no acelerador, que antes deles ninguém chega e o lugarzito de estacionamento não lhes roubam de certeza, que são duros e aprenderam lá na selva onde vivem a não deixar que ninguém lhes passe a perna.
Não passamos, descansem, passamos é um belo atestado de pobreza, disso não tenham dúvidas nenhumas.

15 comentários:

Ana Sousa disse...

Ai mulher q é TAL E QUAL!!

Vou já linkar!!!!

(alguém q me compreende!!!)

Ana Sousa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ângela disse...

Por isso é q me recuso a meter os pés no Algarve a partir de Maio e até Outubro.
Este fim-de-semana vou ter de passar por lá, mas a caminho de Granada. Uns vão para a praia, outros em busca de um banho de História e de cultura...

teresa disse...

Ana,
Eu bem que quis ir meter o nariz no link, mas não consegui chegar a lado nenhum...

Ângela,
Grande escolha. Estive lá o ano passado, na Páscoa, e Granada é lindissima.
Já agora, e se passam aqui, já sabes, aparece que nesta zona há poucos indios e ainda menos caras pálidas...

Mãe da malta disse...

:) ahahhaahh gostei!

aproveito e fumo um cigarrinho, pode ser?

baby sitter disse...

Marafados..é mesmo a algarvia...
Pois eu digo não há nada como o sol do Algarve,qual granada qual que..
Gostamos mesmo é da bagunça,do stress dos taxistas e dos olhares indiscretos que somos meio loucos..
ALG-ARBE....ALG-ARBE

Ana Sousa disse...

Aahahahah!!

Seguiu mail!!

Ângela disse...

Teresa,
obg. Dp digo algo.

sem-se-ver disse...

posso roubar? tudinho tudinho? lá pró meu?

teresa disse...

já-te-vi, claro que podes... e sabes que não é roubar...

ana, obrigada... já meti nariz!

sem-se-ver disse...

já tá :-)

teresa disse...

já vi... 'brigada!

Emiele disse...

Eh, grande algarvia!!!
Também sempre pensei que estes meses para quem aí vive devem ser como contas.
Por isso NUNCA aí vou nestas alturas.
Livra!

O Santo disse...

meninas,

estou convicto que a visão deve ser mesmo a oposta. o algarve serve para ir à praia no Verão, fazer muito barulho e chatear os residentes.
e pq existem residentes? perguntam vcs...
pq precisamos de cravar um cantinho onde por as tralhas e nada melhor que uns amigos simpáticos a dizer... ficas cá em casa.
por isso que nos restantes meses sao poucos e calmos. imaginem agosto se o algarve estivesse o resto do ano cheio de gente e confusao, heyn? conseguem?

esclarecidas??

teresa disse...

agora não é só a UEFA que está baralhada, ó santo... mas vou ler mais umas vezes que talvez consiga perceber...

emiele, só fazes bem. acredita que fui suave...