As coisas que me impressionam.

Não, não me impressiona sair de casa sozinha a esta hora para ir comprar cigarros. Também não me impressiona saber que só há uma tasca aberta, que não é bem aqui ao lado e que, por lá, o teor alcoolico já é elevado. Impressiona-me ainda menos ter de atravessar uma esplanada cheia de tipos a tresandarem a aguardente e de olhos postos em mim.
Impressiona-me sim, e muito, ver um deles, grande e façanhudo, com as mãos postas em concha, a dizer alto para quem o quisesse ouvir - era uma aranha deste tamanho, parecia um novelo!
Foi nessa altura que achei que estes caminhos são perigosos. Muito perigosos.

8 comentários:

Anônimo disse...

pensei que tinha deixado de fumar.

teresa disse...

eu digo como o mark twain - deixar de fumar é fácil, já deixei mais de cem vezes

Gabsna net disse...

Essa da aranha é gira. Uma vez em casa olhei para o chão e vi um bocado de cotão e apanhei-o. Só quando se começou a mexer na minha mão percebi que era uma aranhoca preta... Atirei-a pela janela. Calculo que morresses logo ali, não?

teresa disse...

Eu tinha-me atirado era a mim pela janela...
Uma vez, devia ter uns 15 ou 16 anos, a tirar o pijama, vi uma pata preta, enorme, na camisola. Comecei a gritar, acudiu a harpia da Adelaide mas eu, que já sentia a aranha a correr por mim, esgadanhei-a tanto que ficou coberta de vergões vermelhos. Era uma linha preta, mas não me arrependo de nenhum dos arranhões que fiz aquela santa de quem eu tanto gostava....

gaija do norte disse...

definitivamente a conversa descambou neste blog! não gosto de aranhas nem de centopeias, e nunca mais vou voltar a falar sobre este assunto! já me basta ter que ser eu a por fim às criaturas pk não há mais ninguém cá em casa que o faça!

@na disse...

arranja um gato!
(dos que miam...)

gaija do norte disse...

já tenho, mas não a deixo comer isso!!!

@na disse...

não vá fazer-lhe mal....