Todos deviam ter uma teresa qualquer na vida.

Ter vinte e dois anos é bom e mau (como tudo na vida)
Até porque a vida é boa. Mas também é má. O bom é facil, não custa e quase nunca dói.
Tinha dezassete aninhos, dei a volta a mil e uma situação e embarquei no novo Mundo. Eu, sozinha, à minha responsabilidade. Viver como queria viver. À minha maneira, no meu Mundo (ainda hoje sou assim). A achar que estava preparadissíma para o abraçar.
E até estava. Tive juízo, muito juízo. Não caí em nada que não devesse ter caído e tinha toda a liberdade do Mundo. Fácil, não me dava gozo fazer qualquer coisa que não pudesse fazer. Isso não existia no meu dia-a-dia.
Fui feliz, muito feliz. Nariz empinado, super segura de mim, e com um orgulho imenso por me estava a safar sozinha.
Mas, porque em tudo na vida há um MAS/SE, não tive uma teresa qualquer na vida. Uma mãe daquelas que nos oferecem presentes e dão um beijo de boa noite...
E, hoje, saber fazer isso é complicado...
Um dia caí e desde esse dia nunca mais me levantei.
Continuo a ser segura, mas com mil e duas duvidas. Aquela garra que tinha para lutar e vencer, aos poucos foi-se... Escapou-se-me entre os dedos.
É então que entra uma teresa qualquer na minha vida e me ralha quando tem de ralhar e faz-me rir quando quero chorar.
Mas a força, essa, não mais voltou. E cada dia que passa sinto-a mais perdida!
Agradeço a todas as teresas quaisquer que existem no Mundo.
Fortes, inteligentes, seguras de si mesmas.
Mães que sobrevivem sozinhas, com as proprias sombras e marcas e a saberem que nem tudo está perdido...
Pensei que era assim, mas nem para tudo chega ter vinte e dois anos e ser "bonita".
O levantar, erguer a cabeça, não existe mais.
Desculpem por desiludir. Sei que sempre acreditaram que eu era forte, mas a força alguém a levou.
Não quero, não quero mais continuar aqui, neste caminho.

8 comentários:

teresa disse...

Porra! (e fizeste-me dizer uma das palavras que, como sabes, não gosto.) Mas que faço contigo e que faço com este post?

Gabsna net disse...

Temos sempre que continuar, a andar pela estrada da vida,há momentos muito felizes e outros que não, mas é a estrada, como diz a Mafalda Veiga.
Beijos, Babysitter

gaija do norte disse...

não tens força agora nem nunca vais ter. estás a chorar, e vais chorar muito mais. tem só a certeza que o que te vais rir nos intervalos do choro, vale por todas lágrimas.(digo eu, que não tenho idade para ser tua mãe!!!)

teresa disse...

Mintirosa....

Epá, e o que estas gajas de 22 anos me irritam? São giras, não têm rugas, nem celulite (isso também não) nem estrias (muito menos, caraças) e depois armam dramalhões...
É que elas não sabem, e nós não lhes dizemos, que é segredo bem guardado, que daqui a vinte anos vão continuar a ter os mesmos dramas, mas com as outras porcarias todas em cima...

shark disse...

Eu também não tenho idade para ser mãe dela e por isso, jovem como sou, posso garantir-lhe que a cabeça ergue-se por si mesma na exacta proporção do acerto no nosso percurso após cada trambolhão.
Com o tempo aprendemos a transformar cada cicatriz numa pequena medalha, acredita.
:-)

Anônimo disse...

A Gente vai continuar

Tira a mao do queixo,nao penses mais nisso
O que lah vai ja deu o que tinha a dar
Quem ganhou, ganhou e usou-se disso
Quem perdeu ha-de ter mais cartas para dar
E enquanto alguns fazem figura
Outros sucumbem a batota
Chega aonde tu quiseres
Mas goza bem a tua rota

Enquanto houver estrada para andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada para andar
Enquanto houver ventos e mar
A gente nao vai parar
Enquanto houver ventos e mar

Todos nos pagamos por tudo o que usamos
O sistema eh antigo e nao poupa ninguem, nao
Somos todos escravos do que precisamos
Reduz as necessidades se queres passar bem
Que a dependencia eh uma besta
Que dah cabo do desejo
E a liberdade eh uma maluca
Que sabe quanto vale um beijo

Enquanto houver estrada para andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada para andar
Enquanto houver ventos e mar
A gente nao vai parar
Enquanto houver ventos e mar

Enquanto houver estrada para andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada para andar
Enquanto houver ventos e mar
A gente nao vai parar
Enquanto houver ventos e mar

Fullmoon

sem-se-ver disse...

mas, se me permites, quero eu. que continues no teu caminho, e no meu, e no nosso.

a força? essa volta sempre, numa qualquer curva desse mesmo caminho. é só nunca te esqueceres de lhe dar boleia. que ela merece a tua porta aberta.

e beijo (grande).

baby sitter disse...

Thanks...
Só hoje,que mais calma estou percebi o que aconteceu....´Nessa noite,em que escrevi o post,24-Junho..Fez precissamente 12anos que o meu grande heroí faleceu,meu avo!Po incrivel que pareça foi o 1ºano que me esqueci da data,mas,meu coração não!
Foi o grito,concerteza...
Partiu o meu avo amigo,ficou somente a saudade jamais o esquecimento...