Sempre tinhamos um retorno do investimento

Hoje os Irlandeses estão a votar o sim ou não ao Tratado de Lisboa.
Sim, eles fizeram mesmo aquele referendo que também era suposto nós termos cá pelo burgo, caso o Tratado de Lisboa não fosse completamente diferente da Constituição Europeia como os Senhores Doutores e Engenheiros nos explicaram atempadamente.
Pelo menos foi oficialmente explicado. Se vocês não perceberam patavina é óbvio que não se preocuparam o suficiente a recolher informação relevante (pelo menos foi o que concluí com o meu caso pessoal, para não sofrer mais de insónias e assumir pacificamente a culpa).

É porém no resultado desta votação que se centram agora as minhas atenções: E SE O NÃO GANHAR??
Fica tudo sem efeito mesmo? Afinal o Tratado não vai tratar coisa nenhuma?
Parece que sim, que não neste caso, e que até o Sr Presidente da Comissão já reconheceu publicamente que não existe plano B. Boa Barroso que apesar de não acreditarmos muito nisso a frontalidade é uma coisa muito bonita.

Ou seja, a presidência portuguesa foi um sucesso porque se conseguiu ir onde mais ninguém tinha ido - o que também já é uma tradição muito nossa - e "bora" mas é festejar tal sucesso.
Toca de celebrar com os tradicionais comes e bebes, abraços a quem dá jeito e umas palmadinhas nas costas, que Viva Viva, somos mesmo muito bons.... Mas se calhar era a brincar.

Eu confesso que não me sinto muito europeu em termos de afinidades. Nada contra os Eslovacos mas somos assim tão iguais? Acho que a minha geração nunca vai "viver" uma Europa una. Dá algum jeito em termos logísticos e económicos mas as diferenças são ainda muito marcadas para sentirmos preocupações comuns. Principalmente por isto, a vitória do SIM ou do NÃO vai interferir muito pouco com as minhas emoções.
Mas, e os croquetes? Vão ao menos devolver alguns?

6 comentários:

gaija do norte disse...

Nada se irá alterar em termos de identidade nacional. Fazemos parte de um bolo em que todas as fatias são diferentes. Pelo menos é isto que dizem os senhores que lá estão. Se assim fosse, eu até concordaria, mas a imposição de uma série de normas que para nós não fazem sentido é que me preocupa. Aqui para nós que ninguém nos ouve, e não querendo, de todo, ser uma cabra, o não dos irlandeses até vinha a calhar... (eheheh)

Gabsna net disse...

Eu pelo caminho que isto leva já me estou a ver a vender coisas na Feira da Ladra... nada que não tenha já feito...em miuda fui para lá vender livros e canetas velhas (em que tinha posto alcoól) e acabei a vender o relógio de pulso, que até era da minha mãe...
é o entusiasmo!

O Santo disse...

Essa das fatias de bolo, ca por baixo gente chama de salganhada.
Mas li não sei onde que alguem tinha ouvido o que os srs dizem. Nunca acreditei, mas afinal foste tu... mundo pequeno.

O Santo disse...

Quando formos europeus vamos vender canetas para Paris e Estrasburgo, relógios de pulso para Berna. Só curtir. Afinal ficou Sim ou Não??

teresa disse...

Está mais para o não que para o sim...
E quero os croquetes a que tenho direito.

O Santo disse...

Ja tou quase a acabar a sangria para acompanhar. So nao sei bem o que fazer com a lata.