Senta-te aí

Ontem, já tarde e más horas, li um texto que me deixou a pensar no diálogo de gerações. Rebeldia vs experiência, a urgência de viver vs a calma do ir vivendo.
Lá fui deitar com a música no ouvido que aparece sempre nestas ocasiões - Senta-te aí.
Lembram-se dos Rio Grande? A letra é do João Monge e a quadra chave sei de cor:

Estou cansado, aceita o testemunho
Não tenho o teu caminho para escrever
Tens de ser tu com o teu próprio punho
Era isto que eu te queria dizer

Simples não é?

2 comentários:

teresa disse...

É estranho estar do outro lado, não é?
Tão estranho que até já falamos em "tarde e más horas" quando antes as horas eram sempre boas.
Apercebo-me, agora, o que é falar sem me ouvirem. E pergunto se terão de ouvir.

baby sitter disse...

OBRIGADO