Trânsito da Urbe

Apesar de, por motivos profissionais, efectuar um grande número de deslocações e sendo que a maioria delas ocorrem na cidade Lisboa, já não tinha presente a última vez que andei pelos lados do Príncipe Real e do Largo de Camões em horas laborais.
A reunião de hoje às 6 da tarde era na Rua do Loreto e lá me pus a caminho do Bairro Alto seguindo pela Rua da Escola Politécnica, que percorro sempre com alguma nostalgia das inúmeras vezes que a calcorreei de cima abaixo nos bons tempos de caloiro de Ciências. Transito de final de tarde em Lisboa, confusão de carros parados em tudo que é cruzamento, complicado atravessar a Braancamp, la chego à Rua Nova de S. Mamede e desemboco no Largo de S. Mamede (já um nadita atrasado).
Pára arranca, 1ª, 2ª,pisca para a esquerda e... de repente encontrei uma imagem que me fez valer a viagem e grande parte do resto da tarde - estava ali sabiamente a comandar as prioridades dos automóveis que chegavam de todos os lados nada mais nada menos que "Um polícia sinaleiro". Que giro, nem sabia que ainda existiam e que além disso ainda trajavam da mesma maneira e que tinham os mesmos processos e gestos de comando. No caso particular até o bigode era típico. Foi mesmo uma surpresa, mas acho que contornei o Príncipe Real, passei por São Pedro de Alcântara e cheguei ao Largo da Misericórdia ainda com um enorme sorriso de satisfação.

6 comentários:

Emiele disse...

Deve ser o único, que conservam por motivos decorativos.
Já o tenho encontrado noutros lugares. Há um cruzamento, lá para o Beato onde costuma poisar...
(só uma dúvida: o sítio para onde ias tinha garagem ou estacionamento reservado?... É que ir de carro para esses lados parece de aventureiro! Eu cá preferia um táxi)

teresa disse...

Já hoje de manhã me lembrei deste post. Achas que o sinaleiro terá umas horas vagas para dar um jeitinho ao transito aqui por estes lados? É que cruzei-me com três carros, três, quando ia para a escola das miúdas. Ou alguém pôe ordem nisto ou é o caos...

Taxi, emiele? Um cowboy nunca larga o seu cavalo...

gaija do norte disse...

há anos que não vejo um polícia sinaleiro... gostava daquilo que usavam na cabeça. também se chamava capacete? não é chapéu, boina, gorro, boné, panamá...

teresa disse...

Penico?

gaija do norte disse...

ora aí está! é um poço de sabedoria, esta chefa!

teresa disse...

(olha que aulas é com o tubarão que eu não me voluntariei para nada...)