Uma resposta para @na - parte II

@na, acabei de perceber que podemos estrebuchar muito mas o que é tem muita força e se está nos genes pouco ou nada podemos fazer...

- Mamã, hoje fui tão má, tão má, tão má.... mas sinto-me tão bem, tão bem, tão bem...
Sabes a M. ? No último teste de matemática teve uma boa nota e andou a gabar-se pela escola toda que era a melhor. Hoje teve insatifaz e eu, pois!, tu sabes que o professor já te disse que foi muito bom o meu teste. A A., sabes, a pequenina?, também teve má nota e estava a chorar ao pé da M.. Eu fui até lá e disse à M. que é amiga da A. e lhe devia dar apoio, que devia ser muito mau ter uma nega. E depois pus assim uma cara como se tivesse acabado de me lembrar e disse "Ah, desculpa, estava a esquecer-me que tu também não te safaste..."
- Xica, isso é ser muito cabra!
- Pois, mamã, filha de peixa sabe nadar!

Será que também vai ter insónias por causa da cabronice?

12 comentários:

Anônimo disse...

então mas é com cabronices que se aprende e explora os limites do mundo, exterior e interior, é na junção desses dois que se faz a semiose, o processo de significação, que é uma articulação de sentido que nos faz perceber as coisas

isso como tempero não faz mal, como conduto é que é não

cabrinha: temos de ir aos chás, de valeriana ou de cidreira, os nomes são bonitos

quero a família toda corrida a chás antes de xonarem quentinhos!

o pai é mais café

teresa disse...

E bem que precisava de uns chás que isto não anda muito católico. Hoje vou ver se compro valeriana. Tenho por aqui muita coisa, caixas e caixas de chá, que costumava encomendar pela net a uma loja de Bremen, mas são quase todos de frutos e umas flores estranhas, com nomes alemães, onde só reconheço o hibisco. Valeriana é mais nossa e cá em casa andamos a precisar de desacelerar um pouco. E café é só de manhã, mas sabes que para a hiperactividade infantil um café forte ao pequeno almoço pode ser a solução. Parece contraditório, mas é verdadeiro.

Anônimo disse...

eu café a partir das 18h também não tomo, só quando tenho reuniãao que é coisa que fui erradicando da minha vida, agora é só residuais

chás é uma curtição mas eu tinha guardado isso para arma secreta quando chegasse a cota, tá na hora de dar um giro de druida

ainda tenho é umas coisas densas para escrever e ando aqui a esvoaçar

então e a espada do meu bisavô? Se isso não dá nada vou direito à embaixada e pergunto

sumaca disse...

Colégio de freiras, ainda por cima interno? aí é que ela se transformava numa verdadeira cabra. A experiência diz-me na maior parte desses sítios (sem querer generalizar)nem sempre se forma o melhor carácter...mas percebo, também tenho duas lá em casa e às vezes quando tento pôr um travão em algumas coisitas.. lembro-me daquele provérbio " faz o que eu digo, não faças o que eu faço". É isso mesmo, se está nos genes não há volta a dar...

teresa disse...

Sumaca o colégio interno, e de freiras, seria para poder dar uma moldura adequada a toda a cabronice que já ali anda... seria assim uma espécie de peixe na água e, para além disso, talvez eu pudesse finalmente voltar a ir ao cinema sem ser para ver filmes da Pixar...

@na disse...

ah grande Xica....

teresa disse...

Pois, mas não lhe posso dizer isso...

sounds familiar... disse...

Uma espécie de peixe na água?

Anônimo disse...

o que aconteceu ao post de cima da Gabs?

Gabs disse...

Tirei, parecemos uns pais babados.
Porquê?

Anônimo disse...

não sei, mas gosto de saber notícias dos miúdos, agora já sei que são três e que come tudo bem. O filhote de 9 anos vai espigar agora tem que comer bem.

Gabs disse...

Pronto, pus de novo, com o do santo no meio e tal, disfarça o "sou tão babada pelos meus filhos". Isto para explicar o "disfarça o quê?"e a culpa foi tua anónimo, que eu nem o queria publicar...