Uma questão de termos

Nunca percebi porque chamam doméstica à violência lá de casa. Acho que a palavra certa seria selvagem, que nunca vi uma besta doméstica. O problema é que não sei se seria seguro, que se chamasse animal a algumas bestas que conheço corria o risco de ser processada pelo Wildlife Fund por difamar os bichos.

6 comentários:

Ângela disse...

minha cara,
basicamente, disseste tudo!
As bestas são-no com muito mais decência que esses humanos a que te referes!
Cá para mim, castiguinho exemplar era pô-los (homem ou mulher, que a violência não escolhe sexos, embora tenha preferências...) de cuzinho para o ar em praça pública e vá de arrear umas palmaditas bem dadas. Duvido que repetissem a dose!

ernesta disse...

Angela,

Bons olhos te vejam por aqui.

duvido, infelizmente, que o teu castigo desse resultado. garanto que me dava gozo, mas dúvido que a besta se emendasse. besta que é besta nunca tem culpa, é sempre provocada e só reage porque não pode fazer mais nada. uma coisa dessas só a ia fazer sentir-se mais injustiçada ainda e besta injustiçada é besta duas vezes.

Anônimo disse...

E que nome propoe?

ernesta disse...

eu gostaria de não ter de propor um nome que fosse, que era sinal que não existiam.
como não é assim, acho que devem ser chamados pelo nome próprio, apelido, nickname, título e o mais que houver. e acho que deve tudo isso ser dito alto e bom som para que seja público e saia das quatro paredes onde querem que fique guardado.

shark disse...

Ao penúltimo que se cruzou no meu caminho apertei-lhe o pescoço até ficar meio azulado.
É que entretanto alguém apertava o meu em simultâneo e tive que interromper o construtivo diálogo que, ainda assim, provou nos anos seguintes ter sido muito domesticador da besta em questão.
A vida tem merdas mesmo desnecessárias.

ernesta disse...

Querido querido Shsrk,
só se perdem as que caem no chão. queres ajuda ou ajudas-me tu?