Lendas e Narrativas ou A História da Agenda, do Agente e dos Camaleões.


Sem palavras.

A evocação de uma "lenda" oriental foi um dos fundamentos que serviram de suporte ao arquivamento de um processo disciplinar contra um subcomissário do Núcleo de Deontologia e Disciplina da PSP-Porto. Em causa no referido processo estavam alegados comportamentos incorrectos para com um antigo subordinado, com a categoria de chefe, que se queixou de pressão psicológica e de, durante uma discussão, ter sido alvo do arremesso violento de uma agenda, ao qual conseguiu escapar, embatendo num armário metálico no local. Tudo terá acontecido em Janeiro do ano passado e o caso foi há dias dado como encerrado.

Para arquivar o processo contra o oficial, o instrutor justificou que foi dado como provado que a referida agenda foi arremessada e embateu no armário metálico, mas não se provou quem a arremessou, não dando crédito à versão do denunciante e testemunhas apresentadas.

Daí que, ao que apurou o JN, tenha sido estabelecido um paralelo entre o caso e uma lenda, "explicando o inverosímil". A história narrava que, por temer uma invasão, um rei de um pequeno reino pretendia agradar ao rei de um reino maior, mandando um súbdito oferecer-lhe dois camaleões. Só que, durante a viagem, o subordinado foi subornado por dois homens ricos e deu-lhes os dois animais. Mas, quando chegou à presença do rei mais poderoso, fez de conta que a caixa ainda continha os dois camaleões. Espantado, o rei perguntou "Então onde estão os camaleões?". "Não estão aí? Olhe, se calhar comeram-se um ao outro!", respondeu o emissário do rei submisso.

Perante esta situação, o instrutor entendeu ser possível que, durante a discussão, não tenha sido o subcomissário o autor do acto violento, tendo sido proposto o arquivamento do caso, que foi aceite pelo líder do Comando Metropolitano da PSP-Porto.

2 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns e Feliz aniversário.

ernesta disse...

Obrigada que isto de parabéns anónimos é engraçado...