Politicamente (In)Correcto.

Lembram-se de quando o Lucky Luke ainda fumava? Eu lembro e não gosto que andem a mudar o meu mundo em nome de supostas sensibilidades e protecções ridiculas. Acho que todos nós conhecemos, desde muito pequenos, a história do velho ( ou deverei dizer idoso?), do rapaz (ou criança?) e do burro (ou animal simpático em vias de extinção?) e sabemos que agradar a toda a gente é tarefa impossível.Também sabemos que o uso em excesso de antibióticos faz mais mal que bem, que em lugar de matar o que deve ser morto, depressinha e sem consequências de maior, só cria bactérias mais resistentes, habituadinhas aos remédios, e a tuberculose aí está outra vez, em força, esfregando-nos na cara os disparates que temos andado a fazer mas nos recusamos a ver.

Não gosto do "politicamente correcto". Não sei por onde passa a linha da correcção e não sei em nome de quê nascem estas políticas, em que gabinetes escuros se decide o que é certo e errado. Na minha imaginação galopante vou até ao fundo deste caldeirão que ferve e vaza e encontro fardas e cruzes suásticas a decidirem o correcto da política e a reescreverem a história com banhos de gás e vejo a Santa Inquisição a queimar livros e gentes por não dizerem Amen com os outros. Todos cheios de boas intenções, claro, e sacrificando-se pelo bem comum.

Ontem, ao ler a Sábado, descobri que há muito mais gente como eu, farta de rebanhos e farta dos punhos de renda que nos querem obrigar a usar. E gritando, alto e bom som, que a ditadura do correcto pode ser mais perigosa ainda que o tal cigarro nos lábios do Lucky Luke. Criaram um site e dedicaram-se a expôr os ridículos e os perigos deste branquear dos costumes. Deixo o link e um dos exemplos que lá encontrei da fúria dos que, armados de tesoura e cola, vão reescrevendo a história perante o nosso silêncio, que ninguém se arrisca a dizer que o rei vai nu...

Campaign Against Political Correcteness

Enid Blyton biographer condemns changes to children's books
26 June 2006

Enid Blyton's biographer - Barbara Stoney - backed by the Enid Blyton Society has accused publishers of bowing to political correctness. Some characters in Enid Blyton's books have been changed - some examples of the changes are listed below:

Dame Slap becomes Dame Snap
Bessie (a black character) becomes Beth (a white girl)
Fanny and Dick become Frannie and Rick

Um comentário:

Emiele disse...

Sensacional o link!
Já o registei numa pastinha.