Capitulei.

Comprei um telemóvel para as minhas filhas. Achei que, agora sim, estava a fazer falta, que tenho de coordenar a saída delas da escola e não tinha como as avisar quando chegava mais tarde.
Todos os dias era bombardeada, mais ou menos suavemente, com a história de que todos os amigos tinham telefone, mas não era por aí que me levavam e elas sabem disso. Acho que o telefone, na idade delas, deve ser usado se fôr necessário e só mesmo se não houver outras alternativas. Sinais de fumo servem como alternativa. O problema é que eu já tinha o número dos amigos todos delas e era para esses telefones, que eu considerava errados, que ligava quando precisava de lhes dar um recado. Pareceu-me que era pior a emenda que o soneto - tentava ensinar-lhes que era um disparate miúdos atrelados a telemóveis e depois eu usufruía do disparate.Comprei um telefone ontem. Baratinho, que o que interessa é que faça chamadas e receba, que esses da Hello Kitty custam mais que aquilo que a decência diz que é razoável.
Esta manhã já recebi dez chamadas. Todas importantes, de certeza. Não atendi nenhuma...

2 comentários:

Anônimo disse...

O meu tem agora 13 anos, teve o telélé aos 10, quando foi para o 5º ano e os carregamentos foram sempre escassos. Por isso recebe mais chamadas do que faz e está sempre controladinho nos horários...eheh ... quando precisa mesmo de falar faz a chamada a pagar no destino ... coitadinho ... mas tem de ser. Se não fôr assim, gasta o saldo a comprar músicas, imagens, jogos ... Cuidado com isto, é pior que pagar renda !!!

ernesta disse...

eu sei... já tive essa infeliz experiência quando elas mandaram um sms com o meu telefone e eu comecei a receber sms pagos no destinatário, a dois euros cada um. apercebi-me da trafulhice bastante tempo depois...
este também tem o saldo controlado, mas se abusarem é bloqueado. posso pedir ao operador para que o telefone só faça chamadas para x números definidos e acabar com as mensagens.