Para acabar de vez com a má fama da gula.

Se ignorarmos considerações menos adequadas, tipo "má rês", "enxertada em corno de cabra" ou até a quase insultuosa "deve ter bicha solitária", acho que sou a pessoa certa para dar uma pequena ajuda nesta época de enfardanço que se aproxima.
Apesar de por vezes o parecer, este blog não é propriamente uma revista feminina, mas já que tanto se fala aqui em comida parece-me que será útil dar uns conselhos a quem não quiser ter de aproveitar os próximos saldos para renovar todo o guarda roupa, por imperiosa necessidade causada por uma súbita inadequação nos tamanhos dos trapinhos.
Antes de começar com o que realmente interessa convém apresentar o meu curriculum e mostrar os diplomas que me conferem, há muitos anos, as devidas qualificações para este tipo de aconselhamento. Pois bem, aí vai.
Desde que tenho memória que o cumprimento que me é habitual ouvir não é o absolutamente normal "olá, estás boa?" mas sim o irritante "olá, estás magra!". Esta frase, dependendo do sujeito, ou até mais frequentemente da sujeita, pode sofrer ligeiras alterações. Pode tornar-se num excessivo "olá, estás tão magra!", num implicativo "olá, estás magra que te fartas!", num calunioso "olá, estás mais magra!" ou mesmo num familiar "olá, estás magrita!". Caso seja a minha mãe a proferi-la as alterações são ainda maiores, perdendo-se o "olá", única pequena simpatia, e passando directamente ao "estás com mau aspecto!" que rapidamente descamba no "estás doente?", "só se te vêem os olhos!", "nunca te vi tão magra..." e acabando normalmente com o "não faças um Raio X torax, não... deves estar é tuberculosa".
Confesso que apesar de já estar habituada a estes mimos ainda considero que quem os profere é pouco elegante, ou pouco educado, ou, sei lá, muito invejoso, se é que a inveja pode ser para aqui chamada. É que eu, pessoa com alguma classe apesar de magrita, normalmente cumprimento as pessoas com um "olá, como tens andado?", mesmo que sinta uma vontade quase irreprimível de dizer "olá, como tens rebolado?".
Que me lembre acho até que nunca comecei uma conversa com quem quer que seja fazendo simpáticas considerações sobre a montanha de gordura que lhe escorre do esqueleto, apesar de já algumas vezes ter dado os parabéns por gravidezes que desconhecia, mas isso foram pequenos lapsos prontamente rectificados. Ou prontamente tentados rectificar.
Muito bem, fica o aviso feito, as magras são alvo da chacota popular e sofrem todo o tipo de ofensas e discriminações, que nunca encontrei, apesar de já muito ter procurado, um tratamento verdadeiramente natural para ganhar cinco quilos numa semana, ou umas pílulas milagrosas que até se podem encomendar pela internet para passar do tamanho 34 ao decente 36 sem sacrifícios, ou mesmo um ginásio que prometa que nos transforma em verdadeiras balzaquianas num abrir e fechar de olhos, mas se insistem e querem ser magras eu digo como se faz.

Primeira Regra. Esqueçam tudo o que já leram, ouviram ou vos recomendaram especialistas da treta e nunca, mas nunca, façam dieta para emagrecer.
A única altura da minha vida em que a balança passou os 50 kg, tirando dois curtos períodos em que atingiu os impensáveis 54 kg, que voltaram aos 46 do costume assim que desovei, foi quando aos dezoito anos me envolvi com más companhias e a minha crédula e ingénua juventude me arrastou para uma dieta. Durou um ano escolar esta fase negra da minha vida e passei toda a fome que tinha de passar. Os meus jantares eram de pesadelo, à volta de uma mísera torrada sem manteiga, e tudo o que era bom foi proibido de entrar lá em casa. Como se não me bastasse passei esse Verão decidida a manter uma coisa a que se chamava forma, e atirei-me, de bruços, a um intenso exercício físico, nadando todos os dias 3 km. O resultado de todo esse esforço sem par foi ter chegado a Setembro com 51 kg e com a cara a parecer uma bolacha maria. Sem manteiga, claro!
Dietas? Nunca mais.
O suporte científico para este facto está expresso numa das variantes da Lei de Murphy. Inúmeros testes, com resultados publicados nas melhores revistas da especialidade, provaram, há muito, que " A melhor maneira para conseguir engravidar é usar um preservativo". Portanto, esqueçam as dietas. Todas elas.

Segunda e Ultima Regra: Comam. Comam desabridamente. Comam como se o mundo fosse acabar amanhã ou o Continente anunciasse uma greve sem limite de tempo. Comam tudo e nunca, mas nunca pensem, que isto ou aquilo engorda. Comam gelados com muitas natas, comam quilos de chocolates, enfardem queques uns atrás dos outros, deliciem-se com muitos fritos, feijoadas, cozidos à portuguesa, bacalhau espiritual e fatias douradas. Comam pacotes de batatas fritas tamanho XL antes de adormecer e comecem o dia com um pequeno almoço de ovos e bacon. Devorem caixas de Ferrero Rocher e bebam umas cervejas sem medo de ficarem com barriga. Varram do vosso frigorífico tudo o que disser Light, ou Zero% de Gorduras, ou Sem Açúcar, e ocupem o espaço com morcelas para assar, farinheiras, presunto gordurento, queijos da serra e caixas de fios de ovos. Temperem os legumes com maionese e façam saladas de fruta com muito chantilly. Comprem leite gordo e bebam-no com açúcar e cacau.
Se tiverem um verdadeiro espirito de sacrifício deixem de fumar e compensem a falta de tabaco com mais comida. Posso garantir que nessas alturas é extremamente fácil tomar três pequenos almoços antes de, pela uma hora que se faz tarde e o estômago aperta, devorar duas doses de caldeirada de chocos com muito panito ensopado na molhanga.
Façam tudo o que estiver ao vosso alcance para ganhar uns quilos e usem a balança com bastante frequência tentando mesmo dar saltos em cima dela para ver se o ponteiro tomba um pouco mais para a direita. Em situações extremas, posso recomendar um batido de cerveja preta, açúcar de cana, banana, gema de ovo, malte e um suplemento alimentar à vossa escolha. O Buclina, para abrir ainda mais o apetite, não vale a pena, e os complexos vitamínicos não têm grande graça porque não dão para trincar e normalmente não sabem a nada.
Extremamente importante, fundamental mesmo, é quererem convictamente engordar. Antes de comer a dúzia de pastéis de nata olhem para a caixa com um ar de desalento e pensem que não é possível acreditar que aqueles pastelinhos minúsculos vos poderão dar a largura de anca que sempre desejaram. Não podem. Não dão. Aquilo dissolve-se tudo e nem se dá por nada.
Provas? Para além de mim, podem encontrar várias dissertações sobre este fenómeno na literatura de referência. Se tentarem o Jerome K. Jerome encontrarão, na sua famosa obra de consulta "Três Homens num Bote (sem falar no cão)" mais uma variação deste princípio.
Segundo o autor uma chaleira nunca ferve se estivermos ansiosamente a olhar para ela. A atitude correcta a tomar quando estamos mortinhos por um chá é afastarmo-nos do fogão, virarmo-nos de costas, e dizermos em voz alta frases do tipo "não tenho pressa nenhuma", "espero que não ferva já que as torradas estão atrasadas" ou mesmo "acho que me passou a vontade de beber um chá quente".
Acreditem. É a única coisa que funciona. Vão por mim e comam. É muito muito bom e mal não faz de certeza, mas preparem-se para passar a ouvir referências pouco elogiosas à vossa forma física, como os supra citados " olá, pareces um pau de virar tripas!". No entanto não desalentem, que o calo e o tempo criam uma espécie de filtro no tímpano acabando por só conseguirmos ouvir um "olá, continuas boazona, que raiva!".

25 comentários:

gaija do norte disse...

só vou no primeiro parágrafo: queres dizer-me alguma coisa???

gaija do norte disse...

já percebi! estou no bom caminho.

teresa disse...

tás nada que já te ouvi falar em calçar saptilhas e cortar nos bolos e coisas assim.... vais ficar uma texuga, ai vais vais....

gaija do norte disse...

amuei!!!

teresa disse...

Foi com o texuga?

gaija do norte disse...

não, foi com o cortar os bolos com sapatilhas!!!

Anônimo disse...

estou contigo, também sempre fui magro escepto uma insuportável barriguinha há uns anitos, que entretanto já se foi, nada como estar desempregado para fazer exercício físico, natural.

há uma parte perversa nisso, querem dar-nos cabo da auto-estima, alguns se possível ao ponto de irem chorar ao nosso funeral,

é a triste e risível condição humana

(sopa de alho francês, arroz à valenciana e queijada, atenção: não é torta!, de azeitão)

Anônimo disse...

excepto

teresa disse...

Gaija, claro que só pode ser triste se começas a cortar bolos... mais ainda com as sapatilhas..

Alguém que me compreenda, z...

Anônimo disse...

porque será que caímos neste mundo menina?

mas isto ainda assim está cheio de gente que lá no fundo é boa

estou preocupado é que com a crise estão a tentar pôr-nos uns contra os outros, para se safarem gordos e a rir, cabrões

mas vou atacar

PS: afinal o meu bonzão morreu para salvar a humanidade. só me saem números destes agora, o próximo filme que vejo é a Branca de Neve ou assim

teresa disse...

Cuidado não leves o Bambi ou o Rei Leão que esses também têm drama qb...

Não sei se concordo contigo que com a crise nos estão a pôr uns contra os outros. Acho que assim é como temos andado e deve aplicar-se aqui o mesmo pincípio que se aplica à economia portuguesa - pior é impossível portanto as previsões só podem ser optimistas.

Anônimo disse...

engraçado, também acho que faz mais sentido no Verão, mas deixa ficar mistério:

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=60&id_news=362740

teresa disse...

Já tinha visto esta notícia e realmente faz muito mais sentido no Verão...

Anônimo disse...

ah, mas optimistas e a fazer por isso é o que eu gosto, às vezes tenho quebras anímicas, mas aquele cão do vídeo fica-me como exemplo

Anônimo disse...

do vídeo da notícia do Chile, não é aqui do meu vídeo embora a samantha era bem bonita e corajosa, pastora alemão

por falar nisso tenho que ir entregar o vídeo

Gabs disse...

O que me fica é que deve-se falar muito de comida, cozinhar muito para os outros, e ir fumando e tomando uns copos de vinho enquanto se cozinha, depois servir os outros, arrumar a cozinha e náo comer quase nada. Ah, ah!

O Santo disse...

bla bla bla.... e bebam umas cervejas sem medo...

(grand post - plo menos algumas partes dele)

olhando assim pa tua foto tua mãe tem razão, so se veem os olhinhos... tas magrita xefa... parece

teresa disse...

Queres fazer um tirocínio mais completo, Gabs?

Santo, também queres fazser um tirocínio mais completo?

O Santo disse...

quer se queira quer nao, o problema nao e a ma fama, é o pecado mortal

Gabs disse...

Tirocínio? Que é isso? Vou ali ver ao google...

O Santo disse...

axo k tem a ver com armas de fogo. tiro, ou entao e uma canseira como os cavalos do mesmo.

teresa disse...

o pecado é mortal porque nos é próprio, a nós, homens mortais... assim sendo achas que devemos deixar mal visto quem assim lhe chamou e não o praticar?

eu acho que tem a ver com raspo... ou deixo... ou ponho..

sem-se-ver disse...

bem, estás magrita, sim... mas vê-se que no teu caso não é defeito, é feitio.

eu, pelo contrario, va-se lá saber porquê e até gostaria de saber, dei por mim a engordar um kg por mes nestes ultimos três, e estou á beira do panico pq nao como nem mais nem menos do que até ali.

(e nao, nao vou comer mais como aconselhas...)

teresa disse...

Olha, tem piada. A primeira vez que me aconteceu isso, engordar um quilo por mês, passados uns tempos nasceu a Clara.

Gabs disse...

Eu também engordei nove quilos. Mas nos primeiros três meses devo ter perdido uns 5 kg...