Eu já despachei isto.

Eu já…
... tive a colecção toda das revistas do Tintin;
... fui yuppi e fui boémia;
... tive um ataque de riso num velório;
... escondi um homem no armário do meu quarto;
... acreditei em Deus;
... ganhei eleições;
... defendi convictamente um pedófilo;
... passei fins de tarde num bar de marinheiros a beber gin com eles em copos com sarro (enquanto a Gabs ficava a ler no quarto do hotel);
... roubei galinhas de madrugada e cozinhei-as a seguir;
... andei muitas vezes à pancada no meio da rua;
... tive um Porsche vermelho e um cavalo branco;
... chorei dias seguidos;
... decidi há muitos anos que a vida não me ia vergar;
... fui crédula e desculpei quem não devia;
... meti conversa num pub londrino com um médico sem fronteiras belga que me queria levar para a Etiópia;
... estive a amamentar uma criança acabada de nascer no quarto ao lado do quarto em que a bisavó estava a acabar de viver;
... me despedi de um ano, um século e um milénio a fazer amor numa varanda por cima do mar;
... comecei um ano, um século e um milénio a fazer amor numa varanda por cima do mar;
... parti corações;
... aprendia francês e inglês e matemática com quatro anos;
... fiz teatro e rádio e televisão e escrevi em jornais;
... trabalhei na mesma revista que o Shark e só descobrimos agora;
… aos 13 anos tinha lido os livros todos que o meu pai não sabia que eu sabia que ele tinha;
... virei muitas mesas;
... voltei a acreditar;
... fiz um cocktail Molotov;
... li várias vezes os Lusíadas;
... cacei gambuzinos, quis ser astronauta e escrevi cartas ao Pai Natal;
... me apaixonei por um canalha;
... tive um lago secreto;
... lutei com a morte e ganhei e lutei com a vida e perdi;
... fui a menina do papá;
... tive algumas mulheres apaixonadas por mim;
... conheci um grego chamado Jorge que tinha um barco;
... tive uma paixão pelo Rudolf Nureyev;
... trabalhei com um computador maior que uma sala;
... fui estupidamente temerária;
... fui apalpada sem saber por quem;
... fui expulsa de um coro por desafinar;
... quase morri no mar e mergulhei em ondas maiores que casas;
... fui exemplo a seguir;
... vagueei uma noite inteira sozinha pelo Quartier Latin;
... juntei amigos de seis nacionalidades diferentes nesta sala;
... tive um professor que me fazia poemas nas aulas;
... ganhei muito dinheiro e gastei-o todo;
... tive que ouvir dizerem-me que a minha filha tinha minutos de vida;
... desci a Avenida da Liberdade a dançar a meio da tarde porque a minha filha não morreu;
... fui confidente de muita gente e ouvi muitas histórias;
... tive uma pistola apontada ao peito;
... tive certezas;
... achei que era burra e feia;
... fui arrogante;
... passei mais de 48h seguidas a trabalhar sem comer e sem dormir;
... tive o rabo mais giro da praia;
... deixei de fumar mais de 100 vezes...
... fui brilhante;
... enganei e fui enganada;
... fui obrigada a assistir a uma autópsia e fugi a meio;
... ri mais do que chorei;
... parti duas vezes o mesmo braço a andar de patins;
... vivo sozinha há quase 30 anos;
... arranjei o motor de um carro com uma pastilha elástica;
... bebi até cair e vomitei na esquina de uma rua em cima dos pés da Tab@sco;
... tive o mesmo namorado que a minha irmã, a minha cunhada e a minha melhor amiga;
... quase me casei;
... fui feliz;
... fui cabra;
... falei demais!

22 comentários:

gaija do norte disse...

já foste??? já foste cabra?

teresa disse...

aqui é só para a fotografia....

gaija do norte disse...

está muito boa, esta fotografia!

shark disse...

Boa todos os dias! (A fotografia, senão ainda alguém me ameaça com porrada).

És uma chefa muito gira.
Somos todos uns gandas cromos.
Não penses que te safas, Gaijinha.

teresa disse...

Aqui era no blog não era no post...

teresa disse...

Que eramos uns grandes cromos já nós todos desconfiávamos...
Obrigada ao Visconde por nos ter feito levantar (um bocadito!) do pano.

Visconde de Vila do Conde disse...

Caramba, Teresa!...
(você é de tirar o fôlego...)

teresa disse...

Fôlego que deixa muito a desejar em quem até já correu uma meia-maratona!

gaija do norte disse...

o visconde não disse mais nada! será que ainda está a oxigénio?

teresa disse...

Ai credo, dei cabo do senhor? O Horácio não me vai perdoar nunca...

gaija do norte disse...

por falar nisso, o que terá feito na vida o nobre horácio?

teresa disse...

psst, o Horácio não é nobre, é plebeu... deve andar a tratar das palhinhas para a manjedoura do menino...

gaija do norte disse...

é nobre sim! vai ler as palavras que ele dirige ao visconde...

Anônimo disse...

tu és gira, chega cá para mim

e esperta

teresa disse...

Eu chego, vou-me chegando...

O Santo disse...

ena tanta coisa... as pessoas de idd sao assim, ja fizeram mto

teresa disse...

Puto!

gaija do norte disse...

(já viste o que ainda vou ter que andar, santinho?)

O Santo disse...

pobre gaija..... coragem

(essa do puto nao vale... respondo o q sem recorrer ao verncaulo?? petiza??)

gaija do norte disse...

fala, santo! diz o que te vai na alma...

teresa disse...

vá, diz... diz lá... (reparaste naquela coisa de já ter andado muita vez à pancada??)

Gabs disse...

Aqueles marinheiros também te queriam levar para a Etiópia, a ti e à Jeitosa L , desconfio eu, lembras-te que vos queriam levar a passear? De barco?