Boxing Day

É o dia a seguir ao Natal, na Inglaterra. Hoje estou sozinha, e ontem adormeci muito cedo,acordei cedo. Já li o post da Teresa, o meu é mais ou menos igual, e diferente.
Também tive aqui a minha mãe no Natal, os miúdos foram jantar a casa do pai onde iam umas primas e avós. Eu que nem gosto de Natal, claro que tenho a sala decorada com árvore , um presépio, Pai Natal , mas só a sala! Por mim ficava sossegada a ver os filmes da Sic, mas com a minha mãe tive de arranjar a panóplia de Natal, no caso dela, bacalhau, com batatas e couves, bolo-rei e essas coisas. Mas não tinha alho, ainda bem, assim fiquei só a arrotar a couves...
A minha mãe estava muito animada, num nonstop-talking, que infelizmente inclui um desfiar de todas as suas doenças e de como as empregadas (sim, plural) a maçam por turnos. Eu ía recebendo sms alegres e telefonemas de primas divertidas, e amigas, mas a mãe nem notava, continuava a falar de como os outros estão mal, até os desgraçados do Coro de Sto. Amaro de Oeiras levaram por conta, "com aquelas caras tristes e sérias!", e eu lá murmurei que se tivesse 8 anos e estivesse no hospital do Alcoitão, também estava assim.... (isto foi antes).

Finalmente lá pus as prendas na árvore, para se abrirem no dia seguinte e fomos para a cama. Eu para ler. Depois acordei às 2h 30 com o pai a trazer os filhos de volta (noite) e a filha em prantos "porque só lhe tinham dado roupa e as primas tinham tido muitos brinquedos". Mentalmente simpatizei com ela, eu uma vez também ensaiei uma birra parecida (sim T. em Cantanhede) mas fui logo corrida com um "és uma mal agradecida e já não tens idade para essas coisas", e lá a trouxe e deixei dormir na minha cama , com o irmão que também murmurou algo sobre "lhe terem dado meias e ainda por cima serem de menina".

No dia seguinte, acordaram bem dispostos, a avó também, gostaram todos muito dos presentes e a paz foi restaurada.

Ontem também andei a vestir a roupinha que vou levar ao dito casamento, parece-me bem, mas é a primeira vez em 15 anos que vou a um casamento solteira e sem os filhos, com a família da minha mãe, e tal com a prima, lá vou eu de queixo erguido. A minha estratégia é sentar-me bastante ao pé da tias para evitar as tesouradas nas costas, e ter tento na língua nas respostas que dou, vou tentar manter-me sóbria.

5 comentários:

Anônimo disse...

tu és prática; eu não vou a casamentos porque nunca fui ao meu

Anônimo disse...

ah, agora é que vi o primo :)

Gabs disse...

Sempre foi o nosso heroi desde crianças, e com 47 continua giro!

A Tasca do Tijoão disse...

lololollololo..

Gabs disse...

Mas é verdade, o tal primo giro deixa muito a desejar. E sem ser primos, eram só casados (presunçosos, como diria a Bridget Jones) mas pronto, já passou. Nunca mais vou a um casamento sem levar os filhos!