Recomendo fatias fininhas e manteiga. Até me babo...

Bolo de Ançã: VIII Feira promove produto artesanal do concelho de Cantanhede

Cerca de 5.500 bolos de Ançã vão estar à venda, domingo, na oitava edição da Feira dedicada a este produto típico da vila do concelho de Cantanhede, muito conhecido e apreciado na região.

"Há muitas tentativas de copiar o Bolo de Ançã, nomeadamente confeccionando-o de forma industrial em fornos eléctricos, mas o genuíno tem como base um processo artesanal de fabrico, sendo amassado manualmente e cozido em forno a lenha", explicou hoje o presidente da Associação para o Desenvolvimento e Promoção da Qualidade de Vida do Meio Rural de Ançã (AVANÇÃ), João Parreiral.

Farinha, açúcar, ovos, limão e manteiga são os ingredientes desta guloseima, "de confecção simples, mas de reconhecida qualidade", segundo a AVANÇÃ.

De acordo com João Parreiral, o segredo para tornar o bolo tão apetecível, apesar dos seus ingredientes vulgares - que devem, contudo, ser de qualidade -, reside no facto de ser amassado manualmente e cozido em forno de lenha.

O presidente da Junta de Freguesia de Ançã, Ricardo Rosa, realçou ainda, em declarações à agência Lusa, que a lenha usada na cozedura também não pode ser uma qualquer".

"São usados apenas os pequenos galhos dos pinheiros, que se vão apanhar nos pinhais", referiu, adiantando que a experiência é fundamental nesta produção que, muitas vezes, se insere numa tradição familiar.

Os bolos de Ançã são um produto artesanal conhecido e muito apreciado, sobretudo na Beira Litoral.

São comercializados sobretudo na vila de Ançã, onde as boleiras os vendem em açafates, ou em feiras e mercados da região.

Verdadeiro "embaixador" de Ançã, o Bolo é vendido domingo por perto de duas dezenas de boleiras na feira dedicada ao produto, que decorre no Terreiro do Paço da vila.

11 comentários:

Anônimo disse...

Muito bem, só não telefono imediatamente para a nossa querida e mui amada ASAE, para não arranjar problemas ao Ricardo.

Com que então a amassar o bolo manualmente! Que falta de Higiene. Com o forno a lenha, a destruir a floresta, e ainda por cima não pode ser uma lenha qualquer, são esquisitos. Já dizia o ditado, quando se acende uma fogueira quem se lixa é o mexilhão, isto é, os galhos pequenos.

Anônimo disse...

Teresa: só te fica bem defenderes as coias e os valores da terra. Já dizia Tolstoi - escreve a tua aldeia e serás universal. Eu sou todo pelas cavacas das Caldas: quando duras podem amolecer-se com um copo de vinho do Porto ou então do outro...
JCFrancisco

cristina rocha disse...

Do que tu te havias de lembrar Teresa... E eu aqui tão longe e sem poder ir a casa este fim de semana.
Nem imaginas as memórias de infância que acabas de acordar: ainda quentinho, partido e comido com as mãos a caminho de casa. Pois é, sempre que íamos a Coimbra no regresso era paragem obrigatória e se por acaso já não houvesse, a desilusão era uma certeza. Tempos em que a estrada principal para Coimbra ainda passava pelo interior de Ançã.

Enfim, ficam as memórias e a certeza de que assim que puder vou matar saudades desta gula tão tradicional.

Bjs

SaltaPocinhas disse...

e são excelentes os bolos de ançã!

estes e também o pão que fazem normalmente!

Emiele disse...

É claro que com este reclame ficamos todos a 'aguar'... E com manteiga? E a minha linha?...
:)

teresa disse...

A ASAE em Ançã?!! Ançã é a terra dos burros, os próprios, e devem saber bem demais como lidar com os meninos do Nunes...

Zé,
Nem tudo o que é tradicional é ouro, mas bolos de Ançã e bolos da Páscoa de Cantanhede (vendidos durante o ano inteiro, que de Páscoa só têm o nome), chouriça de Quiaios e pastéis de molho da Covilhã, fazem-me salivar, qual cão Pavlovianio.

Cristina,
Deixa ver. Para ires para casa passando por Ançã, de certeza, quase certezinha, que vinhas da Praia de Mira...
Olá vizinha...
Para mim o percurso era ao contrário. Sexta-feira era dia de sair de Coimbra e ir passar o fim de semana a casa. Os bolos eram vendidos à porta, os melhores era antes de chegar ao Largo, e eram embrulhados em papel pardo, lembras-te? Compravam-se sempre, pelo menos, dois, que um era comido logo ali e partido com as mãos.

Os bolos de Ançã são uma das minhas memórias mais antigas. Andei num jardim escola em Coimbra, e ia e vinha todos os dias com o meu pai, que, na altura, trabalhava lá. Nos dias em que ele não se esquecia de mim no colégio, o meu pai era completamente distraído e chegou várias vezes a casa sem mim..., o percurso das sextas feiras - os bolos só se vendiam ao fim de semana - tinha de ter uma paragem em Ançã para comprar bolos. A primeira coisa que comia era aquela coroa em cima, lembras-te da coroa?

Salta Pocinhas,
Outra vizinha? Mas olha que os ovos moles das barricas também são uma das minhas memórias de criança, que o meu pediatra tinha consultório na Lourenço Peixinho...

Émiele,
Linha quê? Estás a falar do TGV? Manteiga é aquela coisa amarela, deliciosa, que se come e que, juro, não engorda coisa nenhuma. Se engordasse eu era um pote e não precisava de andar nas farmácias a perguntar se já inventaram comprimidos para a engorda...

cristina rocha disse...

Ola Teresa, ou será melhor dizer vizinha.
Da Praia de Mira não, mas de Mira com certeza.
Se bem que nos últimos anos me tenho considerado mais cidadã do Mundo, ou nos últimos nove anos não ter andado pelo Porto, Aveiro e agora estar no Algarve.
E nos próximos meses se saberá onde irei parar.

Bjs

teresa disse...

Algarve? vinda de Mira? Cristina, de Mira não vim que lá é ala-arriba e eu era mais marialvas, mas pelos vistos continuamos vizinhas a sul...
Barlavento ou sotavento?

cristina rocha disse...

Sotavento, mais propriamente na capital de distrito.
Porque quem trabalha por amor à profissão vai para onde é preciso.
Marialva hei? Pois eu de nascimento e por BI sou marialva. Uma pena terem fechado aquela maternidade cheia de bons profissionais (já lá vão quase 20 anos).

teresa disse...

gandaresa de gema, portanto...
mas eu de BI sou coimbrinha apesar da tal maternidade que fecharam há 20 anos funcionar no hospital que o meu avô ajudou a criar.

(porque tenho a impressão que és de bioquimica?)

Anônimo disse...

O mundo é pequeno. Vim a descobrir na Escócia depois do casamento da minha filhota mais velha que eles fazem uns maranhos assim parecidos com os de Proença e da Sertã. Desde Fort Williams até Inverness foi sempre a aviar; nem era preciso lista. E eles admirados com a nossa preferência pelso haggis... JCFrancisco