Afinal a ideia é legitimar a tacharia?

Ao contrário do que fiz em anteriores ocasiões, prestei alguma atenção aos resumos que a Imprensa tem preparado acerca da campanha eleitoral para as Europeias.

No fundo, acho que buscava argumentos para votar seja em quem for neste plebiscito que pouco parece interessar à maioria dos que nele podem participar. E por isso prestei atenção a todos eles, sem excepção, tentando vislumbrar as diferenças entre si em matéria do futuro desta União que me soa estrangeira, nos moldes, nas restrições e mesmo nos milhões que tudo aquilo movimenta.

Em causa está o modelo de construção para a Europa que queiramos ou não está a acontecer aquém fronteiras também e nem sempre da forma que sentimos melhor. Mas estão também as regalias de uma classe que passámos a sustentar num outro patamar e por isso justifica o escrutínio atento das suas capacidades e das suas ideias, sobretudo para afastar o fantasma da prateleira dourada em que o cargo em disputa parece ter-se transformado nos partidos nacionais.
E por isso prestei mais atenção à campanha eleitoral, tentando descobrir as diferenças, desde a do MMS à do partido no poder.

Nem uma referência consegui encontrar acerca das questões europeias e fartei-me de ver mais do mesmo, repetido o nó na garganta que enfrento de cada vez que preciso de votar e escasseiam as opções.

Mas se calhar fui só eu, que de política enfim... 

8 comentários:

CybeRider disse...

Epá nem eu... Sobretudo quando a modos que numa mensagem subliminar me surge um indício sobre este dia de eleições:

É que neste domingo, precisamente, recomeça a série "Prison Break"...

tereza disse...

Aí há eleições?
Quando?

shark disse...

A quarta série? Começa hoje? Fixe, Cy!

shark disse...

Alguém falou em eleições?
Há um pretexto para legitimar instituições de utilidade duvidosa, nada mais.

CybeRider disse...

Pois, também acho que é fixe. E a nossa série de "Prison Break", também. Ainda me lembro daquele episódio como sr. Barroso. E hoje recomeça "essa" saga também. Vamos ver quantos de quais é que se vão conseguir evadir deste charco...

Achei uma coincidência curiosa, até porque só o reinício da série (uma das mais vistas), é só por si um convite a deixar muitos em casa.
Há mentes sábias a comandar estas coisas...

CybeRider disse...

Errata: como = com o (que eu dali não como nada)...

sem-se-ver disse...

não, serve para legitimar a presença de quem lá está e trabalha de modo sério, empenhado, responsável, competente, com residuais taxas de absentismo e provas de independência face ao grupo político ao qual pertence.

'utilidade duvidosa', o parlamento europeu?... achas mesmo, ou foi só brincadeira tua?

AnaT disse...

Neste caso o que estas eleições têm de positivo é que a malta consegue 'despachar' uns quantos politicos pra fora do país!