Prazeres de cabra

Primeiro vi-o. Tirei-lhe as medidas, apreciei-lhe a pinta, imaginei-lhe a textura, o perfume, o sabor.
Depois toquei-lhe. Rijo, mas macio. O cheiro: forte, acre, poderoso. É este, pensei, já antecipando o prazer que me havia de proporcionar.

Mais tarde, já em casa, provei-o, devagar, semicerrando os olhos de gozo. Com a ponta da língua, experimentei, cautelosamente. Senti um ligeiro picante, que me fez estremecer e a água cresceu-me na boca. Finalmente, não resisti e trinquei-o com alma: simplesmente delicioso. Não sei se já vos tinha dito que adoro queijo de cabra...

13 comentários:

Mente Quase Perigosa disse...

Tarada...

esse deve ser de celorico ou assim disse...

Poupa-nos os detalhes quando comeres cornetos, fónix...
:)

calamity jane disse...

Quem? Eu?

é do Fundão disse...

Olha que boa ideia! É já a seguir!..

gaija do norte disse...

bálhamedeus, bálha... tudo isto por um queijo de cabra...

Joaninha disse...

Não desfazendo CJ mas este post devia ter sido escrito pela : MENTE QUASE PERIGOSA! :)))))

Mente Quase Perigosa disse...

AHAHHAHAHHAHAHAHAH

Acho que somos todos um pouco QUASE PERIGOSOS, Joaninha.

os dentes afiados é só para impressionar turistas e tal disse...

Eu não. Sou absolutamente inofensivo.

calamity jane disse...

Ora, Joaninha, então porquê?

calamity jane disse...

Balhatedeuje, Gaija. Vou-te poupar aos detalhes do cornetto e espero que vás de férias, boa? ;-)

Joaninha disse...

Cj - Só porque o nome dela se encaixa muito bem no teu post! (que está muito bem feito)

calamity jane disse...

Mas não te esqueças que eu sou calamitosa... pior ainda que "quase perigosa"! ;-)

tereza disse...

Calamitosa, e eu posso atestar o facto, vai muito mas muito além de "quase perigosa", joaninha...