Uma geral

A sem se ver acabou de sair daqui. A Mente já passou por cá. Os telefones tocam durante o dia inteiro, a caixa de emails está cheia, as de comentários nem é bom falar.

É bom. É muito bom saber que vocês estão todos por cá. Tenho um trambolho de uma perna esticada na minha frente que não me deixa fazer nada, é desesperante depender de terceiros para abrir uma porta, lavar os dentes, chegarem-me o telemóvel quando está a tocar e mais umas coisinhas que não posso referir que a gaija não gosta de pormenores, mas há muito que não ria tanto como na semana que passou.

Rio até às lágrimas com os telefonemas do Shark (sim, não vou esquecer de escrever na perna, antes de entrar para o bloco, Não Cortar!), com os conselhos da Gaija, com as queixas do Santo que também está coxo e ninguém lhe liga, com o Visconde, o Cyber, a CJ que aposta que até já conhecia a minha voz, e tantos que, todos os dias, me fazem mais uns mimos. Ainda estava estendida na relva, debaixo do Sol, a ser devorada por formigas, com uma perna finalmente balzaquiana, completamente sozinha à espera que chegassem os primeiros socorros, e já o Santo me estava a fazer rir, a Mente me azucrinava aos ouvidos, o estupor do Pedro me perguntava se tinha feito a depilação ou ia para o hospital feita uma badalhoca, fazendo-me esquecer as dores e o tempo que teimava em não passar. Desde aí não tenho parado de rir e ontem, chegada ao Cabra, ainda ri mais. Ri de tal maneira que as enfermeiras foram ver que comprimidinhos andava a tomar. E ri também com o email que o Vasco me mandou de lá de longe, entre dois coffee shops, apesar de estar a ponderar seriamente na sugestão feita

só tu é que consegues cair para dentro duma piscina e partir uma perna ao mesmo tempo, é incrível, mas há sempre a hipótese de pedires uma bolsa ao Instituto Nacional  de Estatística,  porque [estatisticamente] deves ter entrado para uma franja muito reduzida de azarados, a quem tudo corre mal, e que probabilisticamente constituem uma fronteira, para lá da qual é mesmo MUITO difícil que alguém venha a ter  "tantos ou mais azares que tu" : a ideia é  ofereceres-te como caso de estudo ou cobaia para que as companhias de seguros e afins possam efectuar estudos e merdas...tens é que cobrar bem, tás a ver?

Tou. Tou a ver a sorte que tenho. E também tou a ver que não consigo agradecer-vos a todos. Que não vos consigo dizer como, ainda mesmo antes de ter net, me liam os posts ao telefone – o Visconde tentou imitar a Tina Turner mas não foi muito bem sucedido… – me liam os comentários, me faziam reportagens quase ao minuto. E riamos, claro.

Não vou responder a comentários antigos e não sei se consigo responder aos emails. Tinha muitos na caixa de entrada e, mesmo tendo todo o tempo livre, vai ser difícil de fazer. Assim, se não se importarem, vou passar directamente para os posts. É que nem imaginam como um hospital pode ser altamente inspirador. Durante uns tempos vou ser a Cabra do Serviço. De ortopedia, claro!

15 comentários:

calamity jane disse...

Esperando ansiosamente...

(faxávor de não esquecer descrição ao pormenor das ementas)

(já arranjaste solução para equilibrar o laptop num lap-torto?)

kuka disse...

E eu que pensei aconselhar a menina a ir antes tratar da papelada bolorenta! Agora já não adianta.

Anônimo disse...

que coisa! Olha os sábios são aqueles que conseguem converter negativos em positivos, eu só consigo um tanto, aproveita para te enamorar pelos enfermeiros, não? E ler un daqueles livros que se tá para ler há milénios, o Salambô do Flaubert é bem giro, mas não sei se para gaijas,

bem saiu-me na rifa um daqueles trabalhos a recibo verde, gigantesco e para ontem, de mistura com a mudança de poiso, portanto agora nem penso muito para não ficar com dor de tola,

bjo

Mente Quase Perigosa disse...

Ai azucrino-te o juizo, é????

A sorte é que gosto de ti e até já te comprei a Playboy para te levar na 3ª quando te for azucrinar mais um bocadinho!

Mente Quase Perigosa disse...

Mas se calhar é melhor não levar mais gourmet senão ainda te expulsam do quarto, não?

elle disse...

Pois eu, mandei-te um beijo pela sô dona sem-se-ver e já sei que ficou sem-se-dar...

Diz-me lá, isto faz-se?
Tsss... (désolé)


Já gora, Peixa... tu deste o beijo à chefa? (aquele que deixei numa caixa de comentos?)
Não??!!!

Peixa, Peeixa, Peeeiixa…


(é que não se pode confiar em ninguém...)

Mente Quase Perigosa disse...

Porque lho vou dar pessoalmente na 3ª, Elle!!!!!!!!

Com direito a bochecha lambuzada, baba, marca de lip gloss e tudo e tudo e tudo.

É que eu não sou peixa de deixar a coisa pela metade!

elle disse...

pela metade? credo!!!

elle disse...

cadê a doentinha? tá tão sogadita...


tá na hora de higienização, só pode. (enfermeiro de esponja e paninho...)

huummmm...

Mente Quase Perigosa disse...

Considerando que ela diz que o único gaijo de jeito é o fulano dos resíduos tóxicos, isso da esponja e enfermeiro não me parece lá muito apetecível, Elle.

calamity jane disse...

Cheira-me que está a ser operada... Tereeeeezaaaaaa!!!! uériariuuuuuuu???

shark disse...

Chefa, agora diz que não me preocupo todo com cada uma das tuas partes...

escarlate.due disse...

estás melhor Tereza???
beijinho para ti

AnaT disse...

Bem vinda de volta, estavas a fazer mesmo falta... mas o rebanho aguentou-se à altura da Chefa!
Mtos bjinhos de melhoras!

tereza disse...

Numa geral uma resposta geral
Estou melhor, sim, se bem que são melhoras ilusórias. Enquanto não for operada não posso melhorar.
Mas estou mesmo a tentar tirar o melhor do pior e acaba por não ser assim tão mau estar aqui.
Obrigada a todos e todas