Encontro ao entardecer

Ali estava ela a caminhar na minha direcção. Loira. Gira, muito gira. Trazia vestidas umas roupas exíguas que condiziam com a temperatura exterior e olhava para mim com uns olhos muito azuis, que fugiam dos meus para percorrerem o ambiente que nos envolvia. O diálogo foi rápido e aconteceu quando ela já estava muito perto, mas antes disso vou contar como tudo começou.


Final de tarde de um dos primeiros sábados do ano realmente quentes na capital e, obviamente, a linha de Cascais estava com uma lotação superior ao normal. A necessidade de criar outras opções para a indumentária de piscina do que os calções que ficam a menos de um palmo dos tornozelos e que o sacana do puto acha que são indicados para levar para todo o lado onde tenha de mergulhar, levaram-nos ao centro comercial para a aquisição de um fato de banho a sério, compatível com a actividade desportiva em questão. Apesar da indicação imediata de que qualquer outra opção que não fosse os Speedo azuis escuros seria liminarmente considerada inválida, o moço resolveu dedicar um tempo exageradamente grande à dita escolha. Sendo uma loja de desporto aproveitei para dar também uma volta por ali, mas as poucas novidades existentes não eram de molde a demorar o tempo equivalente ao da aprimorada escolha de calções e foi então que, face às condições de temperatura, optei por me pôr literalmente ao fresco e vim para o corredor mesmo em frente à Sport Zone.

E tudo aconteceu de repente. Não tinha dado por ela dentro da loja mas instantes depois de ter chegado à porta apercebi-me de como ela  se encaminhava também para o exterior e da forma resoluta em chegar lá rapidamente. Apesar dos passos curtos que os seus 3 ou 4 anitos imprimiam à trajectória, consegui ver que ela ia passar ao alcance de um braço e ainda mais da voz. Segundos depois estava já ao pé e mim e preparava-se para continuar o seu percurso que seguiria incólume caso eu não o tivesse interrompido com o referido diálogo.

Onde é que vais miúda? - perguntei. Parou e tentou esclarecer que ia para... e sabe Deus o que ela disse depois na sua vozinha de míuda. E vais sozinha? Insisti eu pensando que a ideia de uma miúda pequenita andar sozinha pelos corredores do shopping não era agradável. Mais uma vez percebi alguma da resposta - .... o meu pai. E tu sabes onde está o teu pai? Foi então que os olhinhos azuis percorreram o ambiente em redor e ainda não se tinham decidido quando fomos ambos surpreendidos pela ordem crua. MARIANA, que estás ai a fazer? Anda já para aqui. 
Meia volta volver como na tropa e a Mariana, loira e gira, muito gira e de olhos azuis, seguiu de novo para o interior da loja ao encontro da mãe. Mãe que a chamou quando ela estava a porta a trocar umas ideias comigo que ainda lhe disse adeus. E fiquei a pensar se a mãe percebeu sequer que ela já poderia não ouvir o Mariana se tivesse seguido sempre.

10 comentários:

Mente Quase Perigosa disse...

Há perguntas para as quais nós não queremos saber mesmo a resposta. E essa é uma delas.

Dorme bem, herói.

tereza disse...

E só tinhas uns speed azuis vestidos? Pobre da mãe, apanhou o susto da vida dela.

CybeRider disse...

Antigamente era assim! Isso hoje em dia foi mesmo à herói, como dissa a MQP.

E nem se experimente dizer: "Gosto muito de crianças" - esta, corriqueira há anos, agora é mesmo de mau gosto, ou de verdadeiro campeão de fundo.

O Santo disse...

bigado mentinha, dormi que nem um santo, sim

CR (sem ofensa), sempre trabalhei com miudos e faz mm confusao como em locais complicados se perde a noção de onde eles andam, e mm assim a culpa é sempre dos mm. que nao deviam ter saido. caramba, sao miudos.

O Santo disse...

assim de cabeca consigo mencionar alguns nomes de quem ja me viu so com speedo azuis e nao ficou com sequelas de maior. e tb nomes de quem nao ficou com sequelas na altura mas voltou ao local para as arranjar sozinho.

tereza disse...

ahahahahahahahah.... agora estiveste muito bem, Santo.

(e, para quem não sabe, algures, neste blog, há uma foto do Santo com uns Speedos azuis que, graças ao photoshop passaram a verdes por conveniência de serviço, foto essa tirada no mesmo sítio onde, quase um ano depois, a minha tíbia esquerda deixou de ser una e passou a ter vários bocadinhos. Recuso-me a colocar o link dessa foto já que, como percebem, mesmo um ano depois e contrariamente ao que o Santo diz, ela provoca acidentes graves...)

Gabs disse...

Ah, ah, essa foi boa, Os miúdos parece que têm bicho carpinteiro, e uma mãe nas lojas fica distraída. É para isso que servem os pais. Também conheço alguém que ouviu tocar os alarmes da loja e quando olhou era o filho, com um sapato na mão, já no corredor. Aí foi o segurança buscá-lo.

Gabs disse...

Ah, e a culpa é do pai. Essa Mariana ía à procura dele. O dever dele era aguentar ali em vez de estar a tomar café.

calamity jane disse...

TEmos Santo!
Ficas desde já nomeado baby-santo-sitter da Mini-Calamitosa durante o ensaio geral do Encontro Nacional do Cabra.

O Santo disse...

calamidade, felizmente nao e preciso nomeacao que la vou xateando a malta nova, quer eles queiram quer nao. o segredo pa dar bem com eles é nao pertencer ao grupo dos progenitores, por isso...