A poesia das pernas

O bonde passa cheio de pernas:

pernas brancas pretas amarelas

Para que tanta perna, meus Deus, pergunta o meu coração.

Porém meus olhos

não perguntam nada



Carlos Drummond de Andrade
Poema de Sete Faces

4 comentários:

Mente Quase Perigosa disse...

A sorte é que o pc está dificil de lá chegar... Senão, já tinhamos todos a carta de despedimento...

(grande poema, carissimo...)

AnaT disse...

Já começaram a actualizar os curriculos?...;o)

calamity jane disse...

Magnífico!
(Agora sim, surpreendeu-me, caríssimo Visconde)

Rafael Castellar das Neves disse...

O cara é bom mesmo!! sem comentários!