...Continuar a fugir

Caminhou ao longo do caminho de ferro com a firme intenção de ver onde a linha acabaria, sem destino marcado, sem um rumo definido para a sua passada.

Queria ver a linha acabada num ponto qualquer, um objectivo alucinado para um dia tão recheado de desnorte.
Era um filho da pouca sorte, como se sentia, e essa linha que percorria agora era uma estrada que o levava para fora da vida de que pretendia escapar e por isso decidira partir quando algo na sua cabeça quebrou.
A vontade que dele se apoderou no momento pior, quando o tempo lhe pareceu parar na derradeira estação ou seria o seu coração, não o sabia, e por isso virou as costas a tudo e deu início à caminhada ao longo de uma estrada que acreditava ter um fim.
O epílogo para uma ausência de dor assim, surpreendente, no final de um amor ardente que o consumira por dentro até lhe esgotar a força para resistir à desilusão, queimado um fusível de ligação à realidade que o atormentava a cada passo que dava sobre as vigas entre carris.

E foi por isso que quando o comboio apitou por detrás ele não quis...

10 comentários:

Mente Quase Perigosa disse...

Tu escreves muita bem e eu gosto muito de ti!

And that's all I have to say about that!

shark disse...

E nem um bolas, bolas, bolas?
:)

Mente Quase Perigosa disse...

Nada de bolas. Só mesmo isso.

(Além disso estou finalmente a fazer o post dos cereais e escrever bolas e cereais era capaz de ficar estranho.)

Carrie disse...

Bolas, bolas, bolas! Quando o Sr publicar alguma coisa avise!!!
Muito bom!

Até à parte do comboio a apitar...estou em sintonia exacta...só não estou com instintos suicidas...de resto...podia ser eu.

shark disse...

Venha ele!!!

(e sim, essa associação de ideias era capaz de soar um nadita... crocante, perdão, chocante.)

shark disse...

Não foi bem suicídio, foi um excesso de confiança na resistência do material circulante... :)

Obrigado, Carrie.

gaija do norte disse...

os meus dias são carregadinhos de norte! e os do peixão mailindo também!!!

shark disse...

ah poissão! - diz o peixão.

tereza disse...

E quantas vezes apitou o comboio?

impressionou-me este texto. por ser bom e por ser demasiado real. na semana passada uma miúda de 16 anos perdeu o norte e, na frente do namorado caminhou pela linha direita ao comboio. a estrada dela teve um fim ali.

shark disse...

Isso não sei, Chefa, pois não assisti ao desfecho da ocorrência.
Aliás, não sabia dessa situação da miúda pois em sabendo não teria publicado o post nesta altura...