Tal como dantes

Sinto-o mais ou menos como um regresso ao passado.
Eu, praticamente da altura deles, só rapazes, tal como dantes. Afinal, nem sei bem quantos vieram… seis, o sétimo chega mais tarde. As conversas deles são as minhas, fazem questão de não me colocar de lado, de me fazer sentir mais um.
Tal como dantes, é dia de festa. Esta não tem, é certo, o encanto e o bulício das outras. Não foi preciso tirar as toalhas enormes do armário, todas as louças e mais alguma, as mesas e as cadeiras do sótão. Não acendemos o fogareiro e ainda não tiramos fotografias. Não há caldo verde nem bolo de aniversário.
Lembrei-me de ti todo o dia, como todos os dias, e daquela fotografia em que ficamos iluminados apenas pela luz das tuas velas, que, pois não, não vamos soprar. Mas estamos felizes e gostamos sinceramente uns dos outros, o que já constitui um excelente motivo para festejar.
Eu e ele recordamo-nos de ti e desejamos-te um feliz aniversário onde quer que estejas, tal como dantes!

4 comentários:

shark disse...

Já te disse hoje que gosto cada vez mais de ti?

tereza disse...

E eu acabei por só me lembrar agora que te li. Desculpa, mas sabes que o meu dia foi um caos, não sabes?
(deixa, conheço bem quem as soprou com ela)

gaija do norte disse...

podes voltar a dizer amanhã, peixão?

gaija do norte disse...

não tens que te lembrar...
(deve ter sido uma festança!)