Tomo II (Do brilhozinho nos olhos)

Desenganem-se, minhas Senhoras, não me refiro à cor dos olhos, se são mais ou menos rasgados, maiores ou mais pequenos. Nem sequer falo do sorriso, todos nós sabemos que as mulheres possuem uma artilharia infinita de sorrisos com que nos vão esboroando o coração (no caso de o termos, o que não é, manifestamente, o meu caso). Sabemos descodificar o sorriso gelado, o sorriso sensual e todas as outras qualidades de sorriso, com especial relevo para o sorriso triste, esse destroçador.

O que nos faz tirar do sério, apostar tudo numa mulher, deixar cair as defesas a zero, destruir de livre vontade os muros que laboriosamente construímos, é aquele vosso brilhozinho nos olhos, cintilante, brilhante, magnético.

Uma mulher com aquele brilhozinho nos olhos faz de nós o que quer, o brilhozinho conduz-nos, faz-nos ajoelhar, com o brilhozinho nos olhos deixamos de ser eloquentes, passamos a balbuciar palavras desconexas, percebemos que deixamos de ser nós a mandar. Isto ao princípio, claro, é coisa de segundos, a dona do brilhozinho nos olhos sabe que nós, assim entarmelados e com movimentos descoordenados não lhe servimos de nada, então ela atenua a frequência do brilhozinho nos olhos, sintoniza-se na banda larga, que é a nossa sintonia favorita, faz-nos pensar que temos outra vez algum controlo, nós percebemos que alguma coisa se passou, que algo se passou com todos os nossos sistemas nervosos, algo os revolucionou, deu-lhes três nós cegos, voltou a desatá-los, só para fazer de conta que sim, que somos o tal, mas elas deixam sempre um vestígio de que sim, podemos pensar que recuperámos o controlo, mas é coisa momentânea, em qualquer altura podem perguntar-nos se queremos outra vez ser John Malkovich.

Aquele brilhozinho nos olhos está sempre a perguntar-nos se jogamos. E nós jogamos. E ganhamos, querendo elas.

8 comentários:

sem-se-ver disse...

olha, um post bonito.



(ok, ficou mt antipático. reformulo)



que post bonito.

Visconde de Vila do Conde disse...

Obrigado, SSV. Como a seguir vou falar da relevância do tamanho das mamas, achei que devia escrever qualquer coisa de abichanado, só para desenjoar.

sem-se-ver disse...

que nada: o que desenjoará será o post das mamas. que bem abichanado será.


(vc troca sempre tudo)

shark disse...

Ajoelhar, Visconde? Não está a falar de um brilhozinho nos olhos, mas sim de um lança-chamas...

(E espero que esteja a falar de um ajoelhar específico, com um objectivo concreto e tangível.)

O Santo disse...

nao será das lentes de contacto?

Mente Quase Perigosa disse...

Finalmente, vi uma frase que reconheço como um dado adquirido desde que me lembro de ser gente:

"querendo elas"

Afinal, até é capaz de perceber disto...

tereza disse...

Visconde, sei de duas palavras que lhe poderão ser de grande utilidade - Ray Ban!

O Santo disse...

a Ray ban ja faz lentes? uau, e assina?