E as agências de viagens? Sim, já pensaram no prejuízo que vão ter?

Mais de 1.800 genéricos baixam de preço a partir de hoje, o que permitirá uma poupança anual de cinco milhões de euros aos utentes e de 10 milhões ao Serviço Nacional de Saúde, estima o Infarmed.

Confesso que quando hoje li esta noticía fiz um ligeiro sorriso de satisfação. Não por achar que vá poupar grande coisa em medicamentos, que também não gasto quase nada, mas por pensar que se se poupam quinze milhões de euros é porque, e LaPalisse não o diria melhor, se deixam de gastar, logo deixam de ser recebidos.
Pois, o meu sorriso de satisfação foi direitinho para os Laboratórios Farmacêuticos, esses desgraçados que lá vão ver os seus enormes lucros reduzidos uma pevide. Achei que iriam ter de apertar os cordões à bolsa, que os tempos já não são de grandes esbanjamentos.

Nem de propósito, que logo logo a seguir li esta notícia.

I Congresso Virtual Medicina Geral da Família arranca amanhã.

«Sem sair de casa e aproveitando as novas tecnologias, este congresso vai permitir reunir médicos que de outra forma nunca estariam em contacto», disse à agência Lusa o presidente da Associação Portuguesa de Médicos de Clínica Geral (APMCG), Luís Pisco, que preside ao congresso.

À semelhança dos congressos tradicionais, o objectivo do I Congresso Virtual de MGF é a troca experiências e informação, visando «o desenvolvimento da especialidade e um desempenho médico cada vez melhor junto do utente», explicou.

«Inicialmente o congresso era só para pessoas de expressão portuguesa, mas o interesse foi tão grande que rapidamente se estendeu a outros países«, disse Luís Pisco, salientando que são 1.300 os médicos inscritos, dos quais cerca de 750 são portugueses.


Congresso virtual? Virtual ??!! Sem precisarem de se mexer para aqueles hotéis do outro lado do mundo em nome da ciência? Para troca de "informações e experiências"? Então mas assim não pode ser, que as informações e, sobretudo, as experiências que mais se trocavam nos congressos tradicionais não são muito práticas de trocar online...
Tenho pena, tenho mesmo muita pena. Lá se vão as férias pagas, não é caros doutores?

3 comentários:

Anônimo disse...

Querido Fisco
No meu casamento, que se realizou no dia ..., estiveram presentes 120 convidados: 89 adultos, 9 crianças e 2 bebés. A festa teve lugar na Quinta ..... do meu padrinho Luís M. que me presenteou a boda ( as cópias dos talões do talho, da mercearia e da peixaria seguem em anexo).

A minha tia Alzira S., que é costureira, fez-me o vestido e não cobrou nadinha, mas gastei 60€ em tecidos, 34,5€ nas rendas e bordados e 18,75€ em linhas, botões e alfinetes. As meias e as ligas ficaram por 35€, conforme recibos que envio. O noivo usou o fato da Comunhão Solene com umas ligeiras alterações (a Tia Alzira não cobrou nada).

O meu irmão foi o fotógrafo de serviço. Todas as fotografias foram enviadas aos convidados por e-mail, que imprimirão as que entenderem por sua conta.

Não foi alugada qualquer viatura. Eu fui na Charrete do Sr. José M., que andou comigo ao colo e é como um pai para mim. O Manuel ( o noivo) foi de mota: a mota dele que ainda está a acabar de pagar, conforme se comprova com documento.

As flores foram todas do jardim da minha avó Margarida e a minha prima Mariana F. que é uma moça muito prendada fez os arranjos.

A animação da festa esteve a cargo do irmão e dos primos do Manuel, que têm uma banda - os "Sempr'Abrir" que merecem ter sucesso.

Não pudemos aceitar nenhum dos presentes, uma vez que não vinham acompanhados dos recibos.

Os charutos cubanos que um amigo nosso nos trouxe de Cuba ficaram para nós, porque não os declaramos na Alfândega, e assim não os podíamos oferecer para agora provar o seu custo.

Os preservativos comprou-os o Manuel naquelas máquinas que estão longas horas ao Sol (porque é um rapaz muito introvertido), mas que não dão recibos, o que me permite escusar-me a revelar o seu número, não vá, daqui a alguns anos, lembrares-te de cobrar retroactivamente uma taxa pelas que foram dadas na lua de mel.

Maria Julieta Silva Chibo

Manuel António Sousa Chibo

Emiele disse...

:D
E olha que essa do "Congresso Virtual" vai ser um poupanço do caraças. Até me fico a rir com as caras dos distintos médicos, que até poupam tempo e tudo!

Mas estava na cara que os laboratórios tinha de poupar nalgum lado.

Emiele disse...

Mas ainda cá volto, Teresa, é que olha que os genéricos estavam realmente francamente caros. Posso dizer-te que alguns eram mais caros do que os medicamentos de marca. A sério!!! Posso dizer-te que um que eu tomo, o 'de marca' baixou e o genérico subiu, de modo que troquei e voltei a comprar o de marca!!!!

Vamos ver se agora isto passa a fazer sentido.