Todas temos em nós um pouco de Bridget Jones

Acho que já vi e revi todos os episódios do Sex and City várias vezes, em vários canais, a várias horas e com várias disposições.

Todos? Todos, todos?
Não, todos não. Há um que consegui falhar sempre, que adivinho pelos outros, que esperei ansiosamente desde o primeiro. É o episódio redentor, o episódio que faz qualquer gaija pensar que afinal a vida é bela e o amor existe e acaba sempre bem como nos contos de fadas e nos faz suspirar de felicidade solidária. Mr. Big voa para Paris, salva a Carrie das garras do gélido príncipe russo e assume finalmente a enorme paixão que tem por ela. Lindo. Encantador. De ir às lágrimas. O momento que gaija nenhuma quer perder.
O momento que sempre perdi, aquele único bocadinho que tento ver há anos, com que sonhei temporada atrás de temporada, episódio atrás de episódio.
Mas... pois é... há sempre um mas, e tal como a Carrie e o Mr. Big tiveram a segunda hipótese de serem finalmente felizes ontem a minha décima quarta hipótese de ver o que nunca vi caíu-me no colo sem a esperar. 
Miúdas na cama, manta no sofá, tabaco, cinzeiro, fósforos, pc, telefones, tudo à mão de semear, comando apontado para a box e o zapping do costume que televisão para mim só mesmo a horas tardias. Não esperava encontrar grande coisa, não esperava de certeza tropeçar no Sex and City e muito menos nos números mágicos - Temporada 6, Episódio 19. 
Ups. Era aquilo. Era quase aquilo. Ela já estava em Paris, faltava pouco pouco. Guia TV e lá está, seguidinho, o epidódio 20, o tal, o desejado!
Despacho o primeiro e aí vem o finalmente. O Mr. Big já apareceu, está a tomar um café com as amigas dela, quer conselhos, vai ou não a Paris ter com a Carrie?, e a Miranda chega-se um pouco à frente, debruça-se em cima da mesa, olha sério nos olhos dele e atira a frase decisiva - Vai e traz-nos a nossa menina!

Telefone! O meu telefone acaba de tocar! Tenho de atender. Quero atender!...
Yes!....... Já tenho Meo!... Yes! Yes! Yes!
Botão de Pausa, imagem parada naquele precioso momento e longa conversa ao telefone. A técnica, as maravilhas da técnica. Não vou perder nada, nadinha. Meia hora depois telefone desligado - não, não transcrevo conversas privadas - Play and Go... Mr. Big prepara-se para ir para Paris...
Bá dá di, bá dá dá, muito encher de chouriço e vamos para intervalo sem nada de importante acontecer. Intervalo? Nadinha, isso é para quem não tem Meo... Imagem para a frente, ora aqui está, Play again...
E agora não sei se foi o sono, a nabice ou partida do destino, sei é que o botão do Play era o de baixo. Aquele era para trocar de canal. Trocar de canal!!!!!.............. Troquei de canal!!!.......  Só espero que.... (e contas de cabeça à velocidade da luz, muitas contas de cabeça.....)... voltar rapidamente ao outro... era qual?... (mais contas, é certinho... está-se mesmo a ver o que aconteceu....)... aqui está, Sex and City....
Pois está, pois estava! Estava a Carrie, meia hora depois, a chegar a casa, em Nova York, com um sorridente Mr. Big ao lado, a quem já tratava por John desde o fantástico reencontro em Paris. Esse, o tal, o reencontro que mais uma vez não vi, que ficou perdido na nervoseira dos meus dedos que carregaram no botão errado e apagaram a meia hora mais sagrada de todas desde que a televisão entrou nos nossos lares!...
They always have Paris...
Eu? Eu nunca tive!...

54 comentários:

Mente Quase Perigosa disse...

Oh porra, pá!
Saca já isso da net!

tereza disse...

Sabes onde consigo arranjar?
(e será que não vou descarregar um virus em forma de Carrie? Já não acredito que seja possível conseguir ver aquele momento tão desejado...)

calamity jane disse...

Pois, o Meo requer essa aprendizagenzeca... NUNCA, MAS NUNCA MUDAR DE CANAL. Em caso de programa imprescindível, gravar.

(por acaso até vi esse episódio pelo menos duas vezes, uma delas em... Paris! - um amigo meu entra nesse episódio)

CybeRider disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
CybeRider disse...

Oh Tereza! Não quero que lhe falte nada:

http://www.megaupload.com/?d=39TVYU8F

Com votos de que encontre a sua Paris em breve. A minha ia-me passando ao lado. Fica-nos depois a nostalgia de sabermos que atingimos o cume e que para cima não há mais nada. Os remaques e sequelas não chegam lá. Encontrar outra série que nos encha a alma pode não ser fácil. Às vezes ver ESSE episódio é mais uma maldição que uma benção. Há que seguir o link com cuidado.

Uma das belezas da vida é a incógnita da nossa morte. (Isto não me saíu bem, mas temo pelo seu futuro...).

tereza disse...

Obrigada Calamity, NÃO ME PODIAS TER DITO ISSO ONTEM ANTES DA MEIA NOITE???

Um amigo teu entra neste episódio? É o puto da livraria fã da Carrie, o turista do bateau-mouche que a filma chorosa num banco, o empregado do restaurante, ou aparece na meia hora negra que nunca vi???

tereza disse...

Obrigada Cyber. Vou ter todos os cuidados do mundo.

Por acaso até concordo com o que diz. O climax, muitas vezes, é mais e melhor saboreado enquanto desejado que enquanto acontecido. Mas diga-me, porque teme pelo meu futuro?

shark disse...

Ora, e eu tenho em mim um pouco de George Clooney...
(gosto do nexpresso)

shark disse...

(nespresso?)

CybeRider disse...

Não tem virus. Ficheiros avi, mpg, rmvb (que é este) são ficheiros de video, não têm interacção com o sistema. Se usa Windows (consequentemente o Mediaplayer) pode ser necessário o Realplayer para ver isso. Qualquer coisa deixe uma mensagem no meu blog que isso resolve-se.

Um bom leitor de conteúdos rmvb:

http://superdownloads.uol.com.br/download/79/real-alternative/

calamity jane disse...

Já tive os meos desesperos com o bicho. Já me peguei com o puto à pála do bicho. Já percebi q o bicho tem manhas. Então aprende mais esta: se queres ter a certeza q um programa fica gravado do princípio ao fim, programa para gravar. E faz por hora de princípio e fim, com os respectivos descontos. Gravar directamente faz com q se desligue a meio sem perceberes como nem porquê. Se te aperceberes na hora q queres gravar algo, programa para o minuto seguinte ou mesmo o próprio. Deixa tempo de sobra no final.
QUEM É AMIGUINHA???

O meu amigo é o q abre a porta do hotel (Georges V?) para a Carrie entrar.

tereza disse...

Tens, claro que tens... (queres que te faça mais algum favor?)

Nes qualquer coisa. Que é que isso interessa se o café for forte e saboroso?

CybeRider disse...

Exactamente pelo desaencanto que pode provocar o climax inclonável.

Pode ser um estigma para sempre.

Livre-me dessa responsabilidade.

shark disse...

(Chefa, essa do clímax não-sei-o-quê deixa-me preocupado. Andas a ver demasiada tv...)

CybeRider disse...

É desencanto. Esta coisa devia dar para reeditar os comentários...

tereza disse...

Calamity que o bicho tem manhas já eu tinha topado mas agora vou contar contigo para amansares a fera...

(quando sacar o episódio da net vou cuscar o teu amigo..)

tereza disse...

cyber, acho que vamos ainda trocar muitos emails. Há por aí um mundo de sabedoria nética a descobrir.

tereza disse...

Shark, não me digas que todos os teus climax foram memoráveis...

CybeRider disse...

São muitos anos. Muitas ruas. Vantagens da caruncheira!

Gabs disse...

Lol, até eu faço isso, e só tenho o Meo há ,,, dois anos? Praí...

shark disse...

Ò chefa, eu não disse que estava a falar dos meus...
:)

Simplesmente eu disse...

o meo tens destas coisas..

se te consola, a mim acontece-me seeeempre isso, enganar-me fatalmente nesse botãozinho quando mais preciso dele..enfim já nem ligo..agora tudo o que é importante ponho a gravar..mesmo o que estou a ver em directinho, não vá querer rever mais tarde..;)

tereza disse...

Cyber, a net não tem assim tantas rugas...

tereza disse...

Gabs, eu já descobri que na página da Meo online há um documento pdf com as instruções do comando. Não ensina tudo mas é útil.

tereza disse...

Shark estranho seria se todos os climax correspondessem exactamente ao que tinha esperado deles. Seria sinal que arriscava muito pouco.

tereza disse...

Simplesmente eu nunca me lembro que posso gravar, aliás, eu nunca me lembro que posso fazer muito mais que não seja ligar e desligar. Mas garanto que vou começar a aproveitar melhor que uma destas não me torna a acontecer.

calamity jane disse...

Pssst! Tb podes deixar o programa a decorrer e depois andar para trás. Continua a deixar fazer pause. Cuidado é a andar para a frente, q às vezes andas demais e depois pode já não te deixar voltar a trás. E NUNCAS MUDES DE CANAL. Como tens putos em casa o melhor é esconderes o comando (pelo menos qd estiveres com a fisgada)

CybeRider disse...

Eu é que tenho, algumas. Ainda tenho o meu primeiro modem de 1991!
Quando um computador bera ainda custava o salário de 4 ou 5 meses... Pois, também me parece que foi ontem, que olhei para um monitor com um "A" a piscar e me perguntei: então um computador é isto? E agora? (Nessa altura não tinha modem...)

Gabs disse...

Eu nem sei quantos Art Attacks e Hannah Montanas tenho aqui.

Mas eu ía dizer qq coisa e esqueci-me a ler os comentários.

tereza disse...

Isso não sabia, que podia andar para trás a qualquer momento. E foi a andar para a frente que me lixei...

Esconder os comandos delas? Elas é que os escondem de mim. Dois dias depois de termos a Meo já sabiam como bloquear numa televisão a televisão que a outra estava a ver.

calamity jane disse...

Isso de andares com o look da Rachel Hunter deve estar a atacar-te os neurónios...

Gabs disse...

Já sei, era só que a Bridget Jones gostava do Colin Firth naquele episódio do "Orgulho e Preconceito" em que cai num lago e vem com a camisa e calças coladas.
Eu também gostei dessa série.

calamity jane disse...

Pois, quem julgas tu q me disse q dava para andar com a emissão pra trás...

shark disse...

Ora essa...
E não podia querer dizer que arriscas sempre bem?
:)

Gabs disse...

É mesmo. Mas ela é tão gira e esperta, até casou só uma vez e com o Rod Stewart...

tereza disse...

Cyber, a primeira vez que trabalhei com um computador foi em 1981 um HP como este agora mas tamanho família e que na altura ainda se chamava Hewllet Packard. O meu pai tinha-o comprado para a empresa e eu estive 3 meses antes da faculdade começar a informatizar os ficheiros de clientes. Era medonho, tinha uma sala só para ele e uma sirene que tocava quando fazíamos um erro (acho que se gastou depressa...)
Agora net veio mais tarde, muito mais tarde e ainda ando a descobrir...

CybeRider disse...

Andamos todos Tereza, que isto são coisas novas todos os dias. Mas essa recordação é um mimo.

tereza disse...

Shark, nunca se arrisca sempre bem ou estávamos todos ricos...

tereza disse...

(estou encantada com a minha loirice...)

shark disse...

(É a Dolly?)

tereza disse...

A Parton, claro...

gaija do norte disse...

(ó chefa, não te falta o ar?)

tereza disse...

Ai, nadinha, que tenho caixa toraxica que nunca mais acaba... Não vejo é os pés.

shark disse...

Se fosse eu estava pior, que não via o... o...
Ah, poizé, os anjos não têm...

tereza disse...

Ai bálhamedeus, como diz a gaija, será que os santos também não têm?

shark disse...

Alguns têm, mas são tão raros que só por milagre se encontram...
E com uns anjinhos é a mesma coisa.
Insondáveis desígnios do Senhor...

shark disse...

Os e não uns.

tereza disse...

Agora deixaste-me a pensar... será que tinha pontos suficientes para trocar por milagres ou foi uma borla da fé?

gaija do norte disse...

(alguém precisa de um aparelho de laboratório para observar alguma coisa em pormenor???)

shark disse...

(Gaija, fizeste-me rir tanto que até me caíram penas das asas...)
:))))))))

gaija do norte disse...

desculpas para não aboár...

tereza disse...

Eu preciso é de uma vacina qualquer que com tanta penugem no ar vai ser um festival de espirros

gaija do norte disse...

não te estejas a fazer à farmácia!

fármaco-dependente disse...

Eu faço-me! Eu faço-me!