Soluções do famoso concurso "Adivinhe de que falam os homens quando se encontram".

Os homens, quando se juntam, aplicam um complexo sistema de comunicação, desenvolvido ao longo de gerações, refinado por melhorias contínuas, sofisticado por avanços espantosos. Os homens comunicam por sinais. Em silêncio, o grau máximo da excelência da comunicação.

Por exemplo, o acto de acender, tranquila e cuidadosamente um Montecristo. Parece um gesto simples, acender um charuto de excelência, saboreá-lo pausadamente. Parece. Mas não é. Na verdade acender um charuto cubano é um sinal, significa um debate acalorado sobre o embargo americano a Cuba, debate-se o efeito Obama nas relações entre os dois países, discutem-se os avanços que teve Raul Castro quando comparado com a acção do seu irmão Fidel, fala-se do desempenho do Benicio del Toro, compara-se a última película sobre Fidel com os Diários de Motocicleta, sem tocar uma vez que seja no desempenho de Garcia Bernal. Há diferenças entre puxar uma baforada de um Montecristo, um Cohiba ou de uma qualquer marca Dominicana. Chama-se pluralidade de opiniões.

Outro exemplo, será a degustação de um whiskey. Parece simples, não é? Mas não, é um tema complexo, daria para meses de conversa. A escolha dos copos, o acto de colocar gelo ou não, a decisão sobre se é um Old Bushmills ou um Jameson de 12 anos define de que lado se está na problemática da Irlanda do Norte, mostra atitude em relação aos últimos acontecimentos no Ulster. Parece que estamos a saborear uma bebida em silêncio, Puccini em fundo, mas não. Estamos a debater o fim do período de ouro dos nichos tecnológicos na Irlanda, estamos a traçar paralelos entre os fluxos migratórios de há quase cem anos, no tempo das grandes fomes e os de hoje, os que resultam das históricas taxas de natalidade dos Irlandeses e o decréscimo das taxas de empregabilidade.

Era só isto. Por agora era só isto.

48 comentários:

CybeRider disse...

Ah Visconde! Lá nos foi contar os segredos... Ficam as moças a pensar que somos uma intelectualite... Anos e anos a convencê-las que eram os sexos, os futebóis, os motores...

Sinto-me despido!

Visconde de Vila do Conde disse...

Cyber, tinha que ser. A minha honorabilidade começava a ficar em causa.

(mas, meu caro, não contei tudo...)

CybeRider disse...

Isso é verdade Visconde. Depois de lançado o concurso, não havia retrocesso...

Mas se houver outro, estamos perdidos!

Mente Quase Perigosa disse...

Eu estou abismada...

Pela primeira vez na história é aberto (ou será melhor dizer, entreaberto) o pikeno livro que acompanha qualquer macho aquando do seu nascimento...

Fez-se história neste blog e eu agradeço o privilégio de ter podido assistir...

Embora - tal como eu suspeitava - seja muito menos interessante do que a nossa mente fértil de femeas, imaginava...

CybeRider disse...

Bem pequeno MQP, acredita, daí os meus receios...

É de facto um momento único, já tirei até uma foto ao monitor.

CybeRider disse...

Epá... A foto não saíu grande coisa... Não sei se foi do fumo do Cohiba ou de me ter esquecido de desligar o flash...

("MULHER! Prepara aí um bolo de anos!")

Mente Quase Perigosa disse...

Ganda ideia a da foto.

É que quando eu contar isto às minhas amigas naquelas reuniões de gaijas onde falamos de trivialidades, elas não vão acreditar na efeméride!!!!

O Santo disse...

a minha segunda... isto ja começa a ser um habito tio

vitorino amnésico disse...

Agora já me lembro porque é que não me lembro da minha última conversa só com homens...

CybeRider disse...

MQP, a foto não foi - por razões óbvias - uma boa escolha.

(Visconde, com jeito ainda safamos isto...)

Xeque.

(Prevejo mate em duas jogadas e penso: ainda vou daqui sem pôr as mãos na massa...)

Que bom lê-lo Visconde, é difícil encontrar melhor que o seu site de xadrez. (nível 8?)

Mente Quase Perigosa disse...

Não? Eu tenho uma boa máquina. Capaz de fazer bypass ao fumo do cohiba...

Xeque é para mim? Eu não sou grande jogadora a nível táctico mas sou boa a fugir pelo tabuleiro. Não sei se 2 jogadas serão suficientes, Cyber!

;o)

CybeRider disse...

Bom... Tenho o bolo quase pronto... Alguém quer uma fatia?

CybeRider disse...

(e duas...)

TIMEOUT

Oh rapariga! Sai lá da cozinha que afinal aqui ninguém gosta de bolo!

CybeRider disse...

Havia vários fins possíveis... Eu sei que sou mauzinho, às vezes... Eu sei!...

:)))))

Mente Quase Perigosa disse...

Satisfaz-me a curiosidade, Cyber: o bolo tem algum motivo especial?

Acaso celebras hoje algo que faça com que te óscule com mais firmeza do que o habitual?

CybeRider disse...

Era só para celebrar uma ocasião especial - a grande revelação do texto exímio que temos o grande prazer de ler.

Mas diz-me tu toleras uma brincadeira...

Mente Quase Perigosa disse...

Não ligues que eu hoje estou um bocado lerda, mesmo. Deve ser da falta de sono. Mas sai um ósculo à mesma.

Se eu tolero uma brincadeira? Penso que sim...

CybeRider disse...

Então está tudo bem! Um grande ósculo para ti também. Mas digo-te, tenho pena que não me tivesses dado a sova que merecia (estás justificada!).

(E já sei que se uma certa pessoa lê isto, não me escapo de fazer o jantar!)

Mente Quase Perigosa disse...

Cyber, eu devo estar mesmo muito lerda (mais do que o costume, pelo menos...)!

Não percebi peva...

Havia algum motivo para te desancar?

Está-me a apetecer dizer 'dahhhhh' a mim mesma e não sei porquê.

E alguém ganhou um jantar à conta da minha lerdice e tudo??????

CybeRider disse...

Oh pá! Então deixam-me vir aqui ao Cabra mandar uma mulher para a cozinha e sair ileso?

Nunca pensei que isso fosse possível.

Preparei-me para o pior, mas dei as armas todas: a foto ao monitor, o flash ligado...

MQP, não foi por mal. Mas que isto me deu para gargalhadas boas! Digo-te...

Mas já me deste os motivos (que não precisavas), e não fiques a pensar mais nisso. O teu desempenho aqui é muito, mas muito mais brilhante e notável do que o meu algum dia há-de chegar a ser, a maioria das vezes abro a boca e entra mosca.

Não chegou ao jantar, senão garanto-te que estavas convidada!

CybeRider disse...

(Bom Visconde... O tal jantar, e tal... ninguém ouviu nada...)

Mente Quase Perigosa disse...

Se calhar, se eu não adorasse cozinhar, a coisa teria dado para o torto.

O 'problema' aqui foi que eu considero a cozinha como um espaço sagrado e mágico, logo, ideal para mulheres (e também para homens que eu acho que um homem a cozinhar é do mais sexy que há) que misturam ingredientes como feiticeiras misturam poções.

Um dia li - acho que foi no livro de coulimária da Helena Sacadura Cabral. Ou terá sido no Como àgua para chocolate? - que cozinhar era um acto de amor e concordo.

Tivesses tu mandado uma mulher passar-te as camisas a ferro ou aspirar o chão e aí ías ver o que era bom para a tosse!!!!!!

Mente Quase Perigosa disse...

Eu disse 'coulimária'????

Isto hoje está mesmo a correr bem. Not!

(Quem é que vai cozinhar afinal, Cyber? Tu ou o Visconde?)

CybeRider disse...

Obrigado pelas dicas! Para a próxima já sei...

E garanto-te, estou em vias de ser eu, mas não será para o Visconde...

Mente Quase Perigosa disse...

Lá está... Não podem ouvir uma peixa gira a dizer que acha que um homem a cozinha fica sexy, que saltam todos para a cozinha!!!!!!!

:p

O Santo disse...

(psiuuu... bamos imbora que os srs nao querem ser perturbados)

Mente Quase Perigosa disse...

(Olha um que conseguiu finalmente libertar-se da sessão de sexo intenso!!!!!)

ponto de interrogação disse...

(Mas quem é que quer libertar-se de uma coisa dessas???)

sem-se-ver disse...

foi no água para chocolate.

Mente Quase Perigosa disse...

(ele há gente para tudo, Ponto... ele há...)

SSV ;o)

calamity jane disse...

(não é por nada mas penso que está gente a ver-vos...)

tereza disse...

Obrigada,. sem se ver... Ia esclarecer também.
E MQP, concordo contigo, a cozinha é um espaço mágico e cozinhar é das artes mais fantásticas e relaxantes que conheço por isso mandarem-me para a cozinha não é nunca ofensa. No entanto detesto estar sozinha na cozinha. Agradeço que ninguém se mexa mas, como todos os artistas, preciso de público. E de companhia...

calamity jane disse...

Bay da ueie, tb adoro cozinhar MQP! Mas todos os dias por obrigação é que... enfim...

calamity jane disse...

olhá chefa! Tás fixe? Já fizeste o ensopado?

tereza disse...

Visconde, porque será que só confirma o que eu adivinho?
Disse-lhe, desde o princípio, que não estava minimamente interessada em conhecer as conversas dos machos e bem me queria parecer que era a atitude mais avisada. Depois deste post, mais acredito que estava certa - os homens, machos, gajos, gaijos, senhores, o que seja,- Não conversam! Juntam-se numa roda e à vez atiram uns bitaites para o ar com um tom sério. Não dizem nada, não querem dizer nada, vão fazendo sons para não adormecerem. Em BD poderiamos ilustrar com uns Bof!, Hum!, Pfft..., Shlept,,, e mais umas onomatopeias inventadas só para eles.
Boring.... So boring....

tereza disse...

E agora, que estamos esclarecidos, vou contar-lhe o que sei desde miúda. Os homens, quando não se limitam a fazer os tais sons, têm conversas de gajas. Note, não são conversas sobre gajas, são aquilo a que eles, para nos deitar areia nos olhos, estipularam chamar Conversas de Gajas.
Desde sempre ouvi o meu pai (que era um bufo no que ao sogro dizia respeito!...) contar que no Clube da Covilhã, onde se juntavam os senhores industriais, a noite era assim - jogavam cartas até se fartarem (meu avô incluído)e quando se fartavam davam início ao que realmente os levava lá.
Um deles perguntava - e agora vamos fazer o quê? E um outro qualquer - penso que os papeis rodavam de acordo com uma ordem prevista nos Estatutos do Clube - respondia: Vamos dizer mal de alguém!
Caro Visconde, o único e grande segredo vosso é exactamente este - os homens são uns más línguas e quando se juntam, depois dos Hum... bop... e Ups... cortam na casaca de uns dos outros. Chama-se a isto coscuvilhice e é como os homens, que nem gostam nada, ocupam 90% do tempo.
Tão simples como isto!

calamity jane disse...

É que é mesmo, Tereza. E o entusiasmo deles nestes encontros cheios de encontrões ( heheh) e de abraços daqueles com palmadas e essas onomotapeias todas e... So so boring!

calamity jane disse...

Ora bem! Eu já assisti e sei q é a mais pura das verdades.

tereza disse...

Mas depois vêm com tretas e cheios de frescuras a pensar que por aqui somos anjinhas e compramos lindas teorias...

tereza disse...

( Por obrigação é lixado por isso é que quando estou inspirada faço doses grandes e vou guardando as sobras nos famosos táparuéres para os dias maus...)

calamity jane disse...

(o meu problema é que não me cabe mais nada no congelador que está avariado - vulgo pronto para seguir para o ferro-velho mais próximo ou lá o que se faz agora com os electrodomésticos em fim de vida - e tem mais gelo que comida...)

tereza disse...

(se souberes o que se faz avisa, que a minha arca congeladora continua cá fora à espera que me indiquem o caminho para o paraíso dos electrodomésticos precocemente falecidos)

Mente Quase Perigosa disse...

(E eu a pensar que estávamos sozinhos... CJ. Que vergonha...)

Detesto cozinhar a comida do dia a dia. Acho entediante.

Agora cozinhar para muita gente; cozinhar coisas complicadas; experimentar receitas: deêm-me 2 dedos de conversa (tb gosto, Tereza) e um copo para a mão e contem comigo.

Gabs disse...

Eu cheguei a dizer que era de NADA.
Mas dispenso o jantar. Ando sem apetite...

calamity jane disse...

Sim! Tb sou dessas. Copázio de vinho tinto, música a rodos, pessoal a entrar e a sair da cozinha, e, quanto muito, um(a) único(a) bom(a) ajudante...

calamity jane disse...

E a janta sai lá pràs dez e meia, um quarto para a meia-noite...

Mente Quase Perigosa disse...

Nem mais. E acaba quando os deuses querem.

O último acabou às 7 da manhã...

tereza disse...

Com carambas... Acho que estamos as três tramadas... é que é isso mesmo. O copo. A música. A conversa. Gente a entrar e a sair e a cozinha cheia de tachos.