A posta no São Tubarão

Acho que já referi algures que sem saber como (deve ter sido uma partida de Carnaval ou assim) o meu nome e morada foram parar à base de dados de uma das muitas organizações religiosas deste país, nomeadamente ao que julgo ser um ramo jesuíta da Igreja Católica. Ignorando o facto de eu ser um agnóstico empedernido (o que até me torna num mercado alvo potencial, bem vistas as coisas), a palavra de Deus é-me assim entregue de forma gratuita na caixa do correio papel sob a forma de uma publicação periódica.

E eu, que não gosto de negar à partida coisa alguma excepto todas as que possam acontecer nas minhas costas, toca de ler a cena em busca de sinais que possam despertar os últimos estertores da minha fé moribunda. Não é que, para minha surpresa, eu e o Senhor até estamos em sintonia?

Então vejam os destaques “urgente” da publicação em causa:

 

Urgente é que diga às pessoas que lhe são queridas quanto as ama.

Tá feito! É que é a toda a hora, sou uma melga nessas lamechices. Um ponto para o filisteu.

Urgente é que saiba que é filho de Deus, e se dê conta de que Ele o ama e que o quer a ver sorrir, feliz e cheio de vida.

Resulta! E Ele até sabe do que eu gosto, daquilo que me faz sorrir, feliz e cheio de vida. E faço. Outro ponto para o excomungado potencial.

Urgente viva intensamente cada segundo e pare para contemplar as belezas da natureza e as criaturas maravilhosas que dela fazem parte.

Na mouche! Digam lá, quem me conhece, se isto não é feito à minha medida? Senhor, eu é nos semáforos, na calçada, seja onde for. Fico paradinho em serena contemplação. Até as fotografo (as criaturas maravilhosas)!

Mas há mais na palavra de Deus que me veste como um casaco com forro de penas (para me ir habituando e ver se não sou alérgico para quando chegar a hora das asinhas…).

Urgente viva da melhor forma possível, contribuindo com o bem estar de todos os que o rodeiam, criando assim um ambiente de paz contínua.

Palavras (de Deus) para quê? Tirando o pormenor desse machismo gramatical do “todos” e substituindo-o pela forma correcta só posso achar que Ele sabe bem que pode contar comigo numa aflição daquelas. É só mandar um sinal ou uma crente (também pode ser descrente que eu tento convertê-la) necessitadinha de paz e de bem-estar e eu cá estarei para esse sacrifício em nome da Fé.

Urgente é que não deixe a vida passar como um sopro e que quando chegar a idade avançada, não olhe para trás como quem quer voltar e sinta que já não há mais tempo, porque tudo o que fez foi em virtude do seu incessante trabalho e de seu repugnante orgulho, pois “esqueceu-se de VIVER”!

Pode ficar descansado, meu Pai! Não há tempo a perder e o que exista não o gastarei com toda a certeza no incessante trabalho nem no meu repugnante orgulho. É sempre a bombar pelos seus insondáveis desígnios fora. E como pouco queijo…

Urgente portanto, saiba distinguir quanto antes o que é urgente na sua vida.

Não falha! Tenho uns óculos magníficos para o efeito e o que é urgente distingue-se na boa, na hora, sobretudo quando trago calças de ganga mais apertadas.

 

Digam lá então se estou ou não no bom caminho para ser meu o Reino dos Céus?

21 comentários:

gaija do norte disse...

eu diria até mais: não é um cantinho, mas um palácio o que te espera no reino dos céus!

(tás certinho...)

São Shark disse...

Dize-me, criatura: estás pronta para abraçá-Lo e para recebê-Lo em ti?

Visconde de Vila do Conde disse...

Aleluia, irmão...

Visconde de Vila do Conde disse...

(disclaimer: o terceiro comento não está relacionado com o segundo comento...)

gaija do norte disse...

abraçar e receber quem? o cantinho ou o palácio???

O Santo disse...

concorrencia??

shark disse...

Ele está no meio de nós, irmão Visconde. Louvemos a Sua existência, pois no meio reside a nossa virtude (não é bem a meio, depende do tamanho das pernas).
E o disclaimer foi muito bem recebido nas mais altas instâncias, até se rezaram vários Avé Marias em sua honra.

profetizo mas também curo maus olhados disse...

Nem o cantinho nem o palácio, mas sim o profeta!

shark disse...

Santo, jamais! E há prái filisteias aos magotes, não falta espaço para evangelizadores.

Mente Quase Perigosa disse...

Não sei o que me assusta e/ou me faz rir às gargalhadas mais:

a) O Bruce Religioso

b) A Gaija a vender real estate no reino dos céus

c) O Santo a preparar-se para boicotar a concorrência

d) o timing do 3º comentário

Eu diria que este post foi uma experiência religiosa digna de uma música pimba de há uns 15 anos atrás!

gaija do norte disse...

os profetas não têm poiso! sem palácio não quero evangelização.

contigo era logo no taj mahal disse...

Serve o de São Bento? Eu posso sempre tentar meter uma cunha ou assim...

shark disse...

Ó Mente, porventura julgas-me algum pecador? Nada disso, tirando uma ou outra cobiçadela de raspão à mulher do próximo (ou seria à do anterior?)...
:)

O Santo disse...

ai agora sou boicoteiro??? axo que este post nem a pimba chega

shark disse...

Ò Santo, não fui eu que te chamei boicoteiro e o post é que paga?
Isso é pecado, pá...

tereza disse...

E não é que eu li o post todo a achar que era do Visconde?
Estranhei que no meio de tanta Fé não tivesse falado na Soraia, mas que fiz confusão e achei que era dele, lá isso achei...

(Agora vou ter de fazer refresh e ler outra vez e rir muito outra vez... que chatice...)

escarlate.due disse...

já te estou a aimaginar de aureola na cabecinha

shark disse...

Só posso tomar isso como um elogio, Tereza.

shark disse...

De auréola na cabecinha, Escarlate? E que tal, fica uma imagem bonita?
:)

tereza disse...

elogio para qual, Shark?

Mas sabes que confundi mesmo. Quando cheguei tinha montanhas de emails a comentarem esta posta e, achei eu, fui ao fim da lista e vi Visconde. Pensei que era posta dele. A maior graça é que só estranhei quando vi a história das calças de ganga apertadas e até anotei mentalmente o comentário a fazer...
Só por piada, tenta ler a posta a pensar que é do Visconde. É que faz também sentido...

Mente Quase Perigosa disse...

Oh Santo, era um elogio!!!!!!!! Tava a imaginar qualquer coisa dentro do género Missão Impossível (mas a série original, nada de Tom Cruise!) com muita acrobacia, muita imaginação...

Mas, pronto, se não gostas, eu retiro...