"A mística sublime de poder trocar os lençóis duas vezes por semana" *



Isso é que era bom, se fosse assim tão simples. Então e o tira nódoas, o anti calcário, o amaciador, a temperatura que tem de ser a certa, a meia que ficou esquecida cá fora e agora a porta já não abre, as lavagens agendadas de acordo com as tarifas do contador bi-horário, enfim, todo o trabalho e a enorme sabedoria que é necessária para pôr a roupinha na máquina? 
Uma afirmação destas só pode mesmo vir de quem não percebe nada do assunto e está habituado a usar lavandarias. (Banco do Vaticano, não era assim que se chamava uma delas?)
Mas pronto, vamos lá ao que interessa que aqui tratamos é da boa vida das mulheres desde que deixaram de ser Marias Papoilas. Então não é que afinal andávamos todas enganadas e a emancipação da mulher não foi uma questão de justiça mas tão só o resultado de termos trocado o sabão clarim pelo skip? Está certo que tem a sua lógica, a malta ficou por ali sem nada que fazer e toca de ir para a rua trabalhar que mãos ociosas são diversão do demónio, mas eu é que estou aqui com umas dúvidas. Se com a máquina da roupa veio a emancipação, afinal o que é que ganhámos com a da loiça e os fornos micro-ondas? Cheira-me que andamos a ser roubadas!...

14 comentários:

beto (electro)doméstico disse...

E a bimbi? Esqueceram a bimbi?

tereza disse...

A bimba sou eu! E se não sou a esta hora pareço sempre muito...

ecila disse...

Ao principio pensei que fosse uma piada (daquelas de mau gosto). Depois de ler a noticia, verifico que a instituicao católica (ou seus representantes) ultimamente só me chocam pela negativa. Está cada vez pior...

tereza disse...

ecila, sejamos justos. O que se passa com o Vaticano é louvável. É que estamos na quaresma e assim, em jeito de sacrifício, decidiu auto flagelar-se!

gaija do norte disse...

é mais a instituição caótica...

toupeiro disse...

(Cada buraco, cada minhoca. É assim, não é?)

escarlate.due disse...

ainda pensei que aquilo fosse alguma anedota...
pensar parece não ser o meu forte
pronto, nunca mais penso, a partir de agora faço como o vaticano

Anônimo disse...

Já ouvi essa , quando me queixei que passava a vida a lavar roupa.
"Não és tu, é a máquina". Ah. Ah.

tereza disse...

Caótica é que não é gaija, que sabem muito bem organizar-se...

tereza disse...

Toupeiro, não sei se é cada buraco se cada sachadela mas vai tudo dar ao mesmo...

tereza disse...

E com o nome que tens deves ser Bispa, escarlate...

tereza disse...

Anónima, sim, que sou uma mulher sente essas coisas, uma resposta assim merece roupa encharcada na cara

Mente Quase Perigosa disse...

Eu nem tenho palavrinhas para comentar isto e olhem lá que eu sou pessoinha palavrosa.

Gabs disse...

Também se podem misturar as camisas dele com as t-shirts cor de rosa das filhas, lavar as calças com os documentos do carro no bolso, tudo por distração.