Apetece-me um bolo bom!

Não é nada meu, que até costumo preferir salgados a doces, mas hoje deu-me para isto. Estou para aqui aguada por bolos e pela minha cabeça já passaram todos os que me fazem salivar.

Comecei pelas Palmeirinhas, estas da foto, comidas em pé no balcão da Palmeira em Coimbra. Tinham um recheio de chantilly e ovos que à primeira dentada ia parar exactamente em cima do sapato do senhor do lado, mas eram de-li-ci-o-sas... Estou a imaginar a crosta de açucar a derreter-se na boca, a amêndoa torrada misturada com o chantilly, os ovos moles lambidos do guardanapo... 

Mais em baixo, ao fundo da Rua da Sofia, ficava a Império. Era por esta altura do ano que começavam a aparecer os barcos de chantilly e morangos e tenho cá para mim que foi o nosso arrebatador das moitas quem me iniciou nesse pecado, portanto gaijo, se me estiveres a ouvir, manda meia dúzia (o tipo é um bocadito para o forreta, à dúzia já não chegava...)

Se andar mais um bocadinho para trás no tempo estou a descer a Rua da Fonte, na Figueira, e a passar pela Sofico. Era lá, na fábrica dos bolos, que comprávamos as almofadas acabadas de fazer e que comiamos depois das aulas de natação na velha piscina das docas.
As almofadas eram bolos que nunca mais vi. Feitos com a massa das bolas de Berlim mas com forma rectangular, com um corte em cima cheio, a abarrotar de chantilly (começo a topar que o chantilly tem estado presente em todos eles...).

Pronto. Não vou ser esquisita. Agora também despachava um queque de noz da Ericeira. Ou umas castanhas d'ovos de Viseu. Ou uma Glória comprada às mulheres dos bolos na praia. Ou umas Queijadas de S. Jorge feitas pela Irene em casa da minha mãe. Ou queijadas de Tentúgal comidas a sair do forno na antiga tasca ao pe da Igreja, na esquina da rua, lá ao fundo.
Ou qualquer coisinha doce.... Hoje deu-me para aqui! Pagava por aquilo a que a minha mãe chamaria um bolo bom, mas por aqui perto só há bolos de amêndoa e figo e esses dispenso bem!...

33 comentários:

CybeRider disse...

Ahhhhhhh Tereza! Então e a torta de alfarroba? E os merengues? E o D. Rodrigo?

Além de que as figuritas de amêndoa sempre têm uma vantagem: faz-se o bonequito de alguém que se gosta e trinca-se de uma ponta à outra. Uma delícia!

tereza disse...

Torta de Alfarroba só gosto da que eu faço. D. Rodrigos nem pensar - demasiado doces.. - e o mesmo se aplica aos queijos de amendoa e aos outros doces tradicionais - demasiado açucar...
Essa de trincar as figuritas odiosas já não me parece assim tão mal, mas costumo usar o truque quando faço biscoitos ou com as filhoses do Natal...

tereza disse...

Afinal era trincar quem se gosta... ó Cyber, para isso prefiro outras trincas...

CybeRider disse...

Não Tereza essa ideia de repente abriu-me novos horizontes!

Por aí amanhã já me encho de doces.

tereza disse...

Cyber vê lá não te façam mal.... é melhor mandares para aqui

CybeRider disse...

Como o puré de castanhas... Pois...
Mas aquele não me caía no goto...

tereza disse...

E os bolos também podem não cair,,, é melhor nem tentares..

(mandei-te um email. viste?)

CybeRider disse...

Ando com a cabeça num 8... volto já...

gaija do norte disse...

o gaijito adora almofadas, chefa, mas cá só encontro com creme. precisas que te leve alguma coisinha??? tamares também se arranjam, mas não têm chantilly.
temos glórias e pastéis de tentugal.........

calamity jane disse...

Bom, lá vou eu ter de ir jantar.

disse...

Na minha zona os bolos aqui da imagem chamam-se discos, e também são de babar.
Depois deste post comia uma malga cheia de ovos moles à colherada :S

gaija do norte disse...

também eu, zá, também eu!

tereza disse...

Pois... eu vi que por aí as palmeirinhas se chamam tamares. Mas eu gosto é com chantilly.
Bem me parecia que o gaijito era dos meus...

gaija do norte disse...

queres ficar com ele?

tereza disse...

Chamem-lhes o que quiserem, eu como na mesma...

Zá, se ficares enjoada podes deixar que há mais quem queira... (gaija, tira as unhas que a chefa sou eu...)

tereza disse...

Se vier vestidito e calçado para a época não me importo... mais despesas é que não.

calamity jane disse...

Bom, já comi os (poucos) restos q os putos deixaram. Afinal o que é a sobremesa?

tereza disse...

A nova aqui não és tu? estamos à espera que nos digas e sirvas...

tereza disse...

(mas, adaptando um provérbio da minha avó, perdoa-se o mal que sabem pelo bem que ela nos faz...)

calamity jane disse...

A peixa é mais nova...
Dou-te de beber mas alguém vai ter de tratar da sobremesa. Até tenho ingredientes mas não sou muito jeitosa para doces.

tereza disse...

Doces é departamento da gaija

calamity jane disse...

Gaija?! Já deste cabo da francesinha? O que é a sobremesa?

gaija do norte disse...

já! tou que não me posso mexer outra vez. o que vale é que trouxe de casa do papi uns docinhos...

calamity jane disse...

Desbronca-te, vá!

elle disse...

Tereza, prometo que lhe farei chegar, em breve, umas palmeirinhas - da Palmeira! (as melhores, sem dúvida!)


ahhhh...esquecime do knock konck!

elle disse...

e do hifen no "esqueci-me"...

(o caraças do alemão!)

gaija do norte disse...

(ela não quer o alemão! só as palmeiras...)

elle disse...

Mas, Gaija do norte, as palmeiras de hoje em dia trazem fava...

maneiras que é assim: é pegar ou largar! :)

tereza disse...

Fava???
(elle, escusas de estar com o knock knock desde que não tragas o alemão... cá por coisas...)

Mas ficaram prometidas essas palmeirinhas e não sou gaija para me esquecer de uma promessa dessas (da Palmeira mesmo??)

Anônimo disse...

Pois pois escreves D. Rodrigo mas diz-se «dom rodrigue». Não é Teresa?
Eu por uma questão de geografia não passo sem as cavacas do Gato Preto nas Caldas. Já o meu avô que nasceu em 1906 as trazia de lá. Quando estão duras deita-se vinh do Porto ou vinho do nosso para amaciar...
a) JCF

elle disse...

Sim, da Palmeira - R. da Sofia, em frente à CGD. Com recheio de chantilly, doce de ovos à volta e a tal amêndoa torrada no topo da cobertura - tipo zejuítas.


(tou a ficar com fomeca...)

tereza disse...

Essas mesmo... e aquilo parecia um buraco e tinha o chão sempre sujo com o creme que saía disparado, mas eram tão boas...
Vi na net que a Palmeira ia mudar de sítio, dão cabo de tudo.

tereza disse...

Sabes, agora já estou um bocadinho habituada a este sotaque, mas quando aqui cheguei só percebia metade. Mesmo assim há uns dias ia pondo a minha filha fora do carro porque ela saiu-se com um "mas que jêto"...